Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

O ponto G de Gigi

Avatar do autor TNT, 11.01.10

Há uns tempos, esta empresa ofereceu-nos uma coisa destas para experimentar. Já que fazemos tanto alarde do ponto G pareceu-me uma boa oportunidade. Vai daí, toca de criar ambiente para a experiência.

O que posso dizer é que nestes dias de Inverno, e à falta de quem nos aqueça os pés, a temperatura sobe como se estivéssemos em Agosto às três da tarde e em Beja! Outra vantagem é a de que mesmo que a empregada nos vá à gaveta dos mistérios, dificilmente percebe do que se trata, uma vez que o luxo e a estética da coisa se assemelha a qualquer objecto de decoração. E quem diz empregada, diz sogras metediças ou crianças curiosas.

Tem on e off, coisa que não acontece com o tipo que temos em casa, várias intensidades - o que reitera o ponto anterior – está sempre disponível, é silencioso e bonito.

Como vêem, só vantagens!

6 comentários

  • Imagem de perfil

    TNT 13.01.2010

    E o sintético não me convence... mas em situações extremas lá terá de ser!
  • Imagem de perfil

    garimpadas 14.01.2010

    O ponto G é algo interior que só se revela no ardor do amor. Não creio que o gigi desempenhe completamente a função para que foi criado: dar prazer verdadeiro. No homem a coisa é mais fácil e o climax manual é sempre apoiado na imaginação pornográfica do ser, do ter, do possuir.
  • Sem imagem de perfil

    Carla 16.01.2010

    E o que é que o leva a crer que na mulher a imaginação (pela qual, aliás, somos muito mais "conhecidas" do que os homens) não nos acompanha nestes actos????


    E o que é que o leva a crer que no homem é sempre mais fácil?


    Olhe que não, olhe que não...
  • Imagem de perfil

    garimpadas 18.01.2010

    Porque a mulher vive mais de coisas internas  (O Interno Feminino) não precisando de se apoiar na vista mas muito mais nos sentidos de que ela é feita e depois o sentido da realização tem a ver com o aspecto prático e externo da coisa que se acende mais depressa mas que mais depressa se vai embora tal como na forma como se tempera o aço. Aquecido com rapidez e depressa esfriado resulta em aço estaladiço como sempre acontece ao homem exactamente por ser mais fácil.
  • Sem imagem de perfil

    Carla 19.01.2010

    Eu acho-vos sempre imensa graça (é a sorte!)


    Então quando somos sentimentais e lamechas...é porque somos sempre sentimentais e lamechas! Quando somos práticas e imaginativas....é porque não pode ser, porque a nós nos falta a componente sentimental!


    Já vocês homens e ilustres machos não vos faz falta a componente sentimental e emotiva para se satisfazerem sexualmente (isso é coisa de gaja). Desculpem mas tenho que me rir!


    Se colocarem de parte os preconceitos, homens e mulheres recorrem à imaginação e não será à toa que, segundo as estatísticas, as lojinhas de artigos sexuais vendem mais artigos para elas do que para eles (ou nós usamos e abusamos da imaginação e até gostamos e nos sentimos satisfeitas ou vocês andam a fazer uma péssima performance).


    Óbvio que o ideal é a dois, mas também me parece óbvio que o prazer auto proporcionado também é possível para ambos os sexos, e julgo que essa coisa do mais rápido, melhor, mais prazeiroso etc , depende de pessoa para pessoa e não do género a que se pertence.


    E graças a deus, que as mulheres não têm elemento fálico ou haveria por aí muito macho boquiaberto. Oh se haveria!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.