Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Requintes de malvadez masculina

Avatar do autor tsetse, 20.10.09

Ontem estava a ouvir algumas histórias sobre homens que planeiam ao mais pequeno pormenor vinganças, quando são trocados ou abandonados ou até quando são simplesmente criticados em público. Todas tinham quatro coisas em comum: requintes de malvadez, planeamento cuidado, dispêndio de muita energia nas acções e um protagonista masculino.

 

Não estou a dizer que não haja mulheres que se vinguem ou que embirrem com alguém até à exaustão. Não retiram é o mesmo prazer com o sofrimentos dos outros, são mais impulsivas e sinceras (vai, quase sempre, tudo à frente logo ali, quando as irritam) e não colocam tanta dedicação e requinte no cálculo da vingança. E eu até valorizo a dedicação e o requinte. Só não os aceito quando aplicados à maldade, em lugar de outras coisas mais produtivas, e muito menos quando estamos a falar de vinganças desnecessárias.

 

Alguém não querer passar o resto da vida convosco, não implica que vos queira prejudicar. Simplesmente, para o seu gosto, não são o que mais lhe convém. Se não vão lutar por mudar isso, então aceitem e sigam em frente. Por uma mulher vos trair, não têm que a humilhar. Decidam se querem melhorar a relação e diminuir a probabilidade de o mesmo voltar a acontecer ou se consideram o acto imperdoável e, portanto, querem terminar a relação. Se ela vos contrariou de outra forma qualquer ou vos humilhou em frente a alguém e acham isso condenável, expliquem-lhe o facto. Não precisam de despender tanta energia numa vingança maquiavélica, quando uma explicaçãozinha de cinco minutos tem um melhor efeito.

 

O que mais me faz confusão é o prazer que dá a estes homens fazer sofrer o outro. Como se isso fosse, de alguma forma, compensar o seu próprio sofrimento. No caminho, não aprendem nada com os erros que cometeram e que provocaram a tal situação e, por isso, vão continuar a cometê-los, e não usam a energia em algo muito mais importante: melhorar a sua vida para que os problemas diminuam ou, pelo menos, diminuam de importância.

 

Esse prazer que sentem na preparação da vingança é agridoce e só atrasa a vossa evolução. Para além de que não abona nada a vosso favor nem a favor do vosso futuro, que pode depender da pessoa em questão ou de alguém que lhe é próximo. E, como diz a nossa amiga TNT: "Portugal é uma varandinha".

4 comentários

  • Imagem de perfil

    tsetse 21.10.2009

    Miguel, como conheço mais casos de homens que admitem ter pensado seriamente em fazer ou chegam mesmo a colocar em prática planos elaboradíssimos com esse intuito de ver sofrer quem os fez sofrer, fiquei com essa impressão. As mulheres também se vingam, mas, do que tenho visto, é mais na altura ou quando a oportunidade aparece. Ou seja, por impulso e com histórias menos refinadas e menos complicadas.

    Já agora, obrigada pela sua teoria. Sempre é melhor ficar com a ideia de que falo demais, do que pensar que os assuntos não interessam a ninguém.

    Image
  • Sem imagem de perfil

    Miguel 22.10.2009

    Não diria que é "falar de mais". É apenas uma questão de estilo.
    Um blog deste tipo, na minha opinião, faz mais sentido se provocar um feedback dos leitores, se os posts levarem à discussão (no bom sentido) dos diversos pontos de vista.
    Em regra, gosto do que leio escrito pela Tsetse, mas, também em regra, não sinto ter algo a acrescentar, parece-me sempre uma coisa que nos leva a pensar "Falou e disse!".
    Não quero dizer que todos devem escrever como a TNT, que puxa mais pelos leitores, provoca mais reacções. Nada disso. Mas, caramba, gostava mesmo que os seus posts me dessem margem de "manobra", porque os temas abordados costumam ser muito interessantes.
    Por exemplo, este das vinganças (perdas de tempos) masculinas:
    Generalizando, um homem sente-se ultrajado quando não percebe porque foi abandonado, atraiçoado ou criticado em público. Vocês agem e reagem por razões que raramente são claras para nós. Assim, o que fica é o facto: fui abandonado ou fui atraiçoado ou fui criticado em público, e não sei porquê. E, ainda generalizando, estala o verniz; começa a ofensa, a perseguição, ai que vontade de dar uma tareia, vais-mas pagar e bem pagas...
    Ou seja, o homem só é vingativo por culpa da mulher, que não lhe explicou, de forma clara, a razão de ter feito o que tanto o ofendeu. E homens burros que não percebem tais razões são, graças a blogs destes, cada vez menos. Eu, por mim, tenho a certeza que castigarei quem me atraiçoar, ali, logo, a quente. O resto, espero que me ajude a aprender com os erros.
  • Sem imagem de perfil

    sooty 04.11.2011

    faço minhas as tuas palavras ruben
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.