Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Sexo depois dos filhos

Avatar do autor tsetse, 02.02.09

Nos últimos tempos, tenho ouvido alguns desabafos de mulheres com filhos pequenos. Trabalham oito horas por dia, depois chegam a casa, têm que tratar da vida doméstica e dar atenção a um ser pequeno, ou mais, que ainda não conhece limites e precisa de atenção constante. Chegam ao fim do dia exaustas e querem aproveitar todo o tempo livre para descansar. Com isto, a vida sexual passa para segundo plano, pois não têm energia e mais uma hora de sono dá mais prazer que um envolvimento apressado, programado e sempre parecido.

No caso dos homens que foram demasiado mimados, de repente, surge ainda mais um problema. Habituados a ser o centro de atenções da mulher, começam a ficar carentes, quando estas têm que dedicar quase todo o seu tempo às crias. Com esta carência, vem também a falta de iniciativa.

E, no caso dos homens que não ajudam, a coisa fica ainda mais complicada. A exaustão da mulher é maior e a irritação aumenta, proporcionalmente. E uma mulher irritada com o seu parceiro não fica propriamente com vontade de grandes intimidades.

A solução? Eu, que nunca tive filhos e que vejo de fora, diria que deve passar por:
1. Os pais partilharem as tarefas (de notar que a única que só pode ser feita pelas mulheres é a amamentação) e, assim, aliviar a exaustão da mãe.
2. As mães perceberem que não podem dar atenção só aos filhos. Têm que fazer um esforço para, dentro do possível, não alterarem muito o comportamento com o companheiro.
3. Ambos arranjarem umas horas por semana sem filhos, nem conversas sobre as finanças do lar. Um momento para manter a cumplicidade e aumentar o bem-estar. Claro que este ponto depende de ter alguém que tome conta das crianças ou de dinheiro para a contratar.
4. Evoluir e diversificar, para que o divertimento supere o cansaço. Para isso, recomendo as aulas da TNT e os manuais da Bee.

 

Aulas:

Sexo no Feminino - Aula #1

A anatomia do Bico - Aula #2

Na cama com... Gräfenberg - Aula #3

Trabalhos Manuais - Aula #4

Quem és tu hoje? – Aula #5

 

Manuais:
Manual da bomba na cama

Manual do super-homem na cama


Tsetse

6 comentários

  • Imagem de perfil

    tsetse 02.02.2009

    As crianças precisam de atenção constante. Primeiro, porque nem conseguem mudar de posição sozinhas, depois, quando começam a andar, porque não têm noção dos limites. É difícil não ficar um pouco obcecado. Mas os conselhos não deixam de ser válidos, por serem difíceis de aplicar.


  • Imagem de perfil

    TNT 02.02.2009

    Na minha opinião, as crias dão cabo da harmonia de um casal quando ela existe. Se já não existe, as crianças só vão agravar o estado das coisas.
    Se algum elemento do casal vir as crias como o seu centro, julgo que a coisa só pode dar confusão. Tanto para o casal como para os miúdos que podem tornar-se adultos insuportáveis e mimados, prontos a minar outra casa!
    O centro do casal deve ser o próprio casal. Os putos são pessoas. Indivíduos que devem ser orientados e nunca a bússola.
    Verifico, com tristeza, que as mulheres tendem a fechar-se sobre o seu ninho. E com isso perdem tudo. Passam a ser apenas a mãe do Francisco, a mãe do João ou a mãe da Rita. Mas a culpa será sempre dos pais e das mães...
  • Imagem de perfil

    tsetse 02.02.2009

    Tens toda a razão, TNT.
    "O centro do casal deve ser o próprio casal" - mais umas frases destas e podes editar uma nova versão do "Segredo". Ficavas rica!

  • Imagem de perfil

    TNT 02.02.2009

    Olha, isso é que é conversa. E nem sabes o quão perto da verdade podes estar... não a parte de enriquecer, claro!
  • Sem imagem de perfil

    executivo_chanfrado 02.02.2009

    OLÁ,
    Eu sou Pai de dois e nunca tive problemas em ultrapassar esta fase. Alguns considerandos sobre os números acima:
    1. Se os Pais não partilham as tarefas não deverá a Mãe considerar a continuidade do relacionamento? Afinal de contas, com que merda de homem estão casadas?
    2. É mais fácil dizer do que fazer. Principalmente nos primeiros tempos. Agora aquelas “gaijas que têm filhos e depois a única coisa de que sabem falar é da cor da merda, dos arrotos, das bronquiolites….poupem-me
    3. Tse, tse, andas a escrever para alguma revista feminina ou quê? Vamos cair na real! Por esta altura o Tuga médio anda a tripar com o custo do leitinho em pó que cada caixinha se esvai em 4/5 dias! E as fraldinhas? Tão baratas? Tu a mudares e eles a cagarem-se para a próxima! E os dodots? E? E? E?
    4. Evoluir e diversificar é uma tarefa constante. O cansaço nos primeiros tempos é muito. E depois depende da raça deles. Experimenta passar um aninho sem dormir uma única noite de seguida tendo em média 2 a3 horas de sono por noite. E depois isto tudo acaba por passar, a vida volta ao normal e os orgasmos reentram na nossa rotina
    E TNT, tens toda a razão. Os filhos são definitivamente o grande teste á relação. E olha que muitos são autenticos misseis lançados sobre uma relação boa. E depois, como é que fazes o fogo anti aereo? Eu por exemplo, produzi um missil.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.