Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Traição... a quanto obrigas!

Avatar do autor TNT, 06.01.09

Fui ver o Mulheres!, um filme onde só entram mulheres, à excepção de um bebé do sexo masculino mesmo no fim. É feito maioritariamente por mulheres, interpretado apenas por mulheres e tenho a certeza que todas as que estavam a assistir se identificaram com uma ou outra situação, se não com todas.

O tema central do filme é uma situação que aparentemente acontece na vida de toda a gente, principalmente na das mulheres: a traição.

E, pelos vistos, a traição é transversal. Não olha a idades, a níveis sociais ou culturais. Deve ser dos factores mais democráticos da vida e acontece a todos. Porém, existem diversas formas de lidar com ela, o que também é altamente anárquico. Não existem regras nem guias, não existem fórmulas correctas.

Há quem prefira enfiar a cabeça na areia, esperar que passe, e fingir que nunca aconteceu. Há quem faça uma escandaleira e ache que o mundo acabou logo ali. Há quem recuse liminarmente que isso acontece, mesmo quando exposto/a a todas as provas e evidências. Há quem, numa de vingança, se enrole com alguém, só para sentir as contas saldadas. Há de tudo. Mas o que é comum a todas as situações é o sofrimento que isso causa e a inevitável transformação para o resto da vida. Uma vez que se trai ou se é traído, a vida muda. Funciona ali um bocado como a puberdade, a entrada na faculdade, o nascimento de um rebento. Nunca mais nada é igual.

Há que aprender a lidar com este factor que, mais tarde ou mais cedo, nos bate à porta. Penso que o segredo para ultrapassar a coisa deve residir em não nos esquecermos de quem somos e não vivermos em função da outra pessoa. Amarmo-nos mais a nós do que ao outro. Porque, seja qual for a nossa postura e reacção ao choque, temos de nos pôr sempre em primeiro lugar.

Para quem começou cedo a trair ou a ser traído, dificilmente haverá remédio ou panaceia que valha. Para quem achar que ainda não se estreou nestas lides, prepare-se. Não é fácil. E não é por vermos os outros passarem pela experiência que aprendemos a lidar melhor com as coisas. Cada pessoa sofre à sua maneira e a nossa própria dor é sempre diferente e, quase sempre, maior.
 

TNT

6 comentários

  • Imagem de perfil

    TNT 07.01.2009

    Eu, que devo ser uma tonta, ainda acredito no amor eterno.
    Se calhar, comigo não vai acontecer. Mas acredito piamente que há pessoas que o conseguem.
  • Imagem de perfil

    Nuite 07.01.2009

    sabes !!!
    eu estou farta do amor ...

    ja nao sei em o que areditar , ou se chego realmente a acreditar em alguma coisa !!!

    quero paz !!! somente isso

    beijinhos Ana
  • Sem imagem de perfil

    Satifa 08.01.2009

    olá TNT já leio o seu blog há imenso tempo! apesar de nunca ter comentado!
    Realmente ler este post de traições na semana em que descobrimos que fomos traidas é dose!
    mas como diz a NUITE -tou farta do amor- é isso mesmo!
    vou me juntar ao clube da NUITE
    deixem-me em paz (é este o sentimento)
  • Imagem de perfil

    TNT 08.01.2009

    É preciso fazer o luto...
    Paz, chocolate, muita série de tv, amigos à volta.
    E lamento ter escrito isto agora. Mas sabes? Qualquer altura iria ser má para alguém. Porque infelizmente passamos a vida nisto.
  • Sem imagem de perfil

    Satifa 13.01.2009

    bastante chocolate!!!
    qualquer altura realmente é má! é a vida
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.