Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Como abordar fora da tribo

Avatar do autor tsetse, 24.09.08

Como prova de que levamos este blog muito a sério, às vezes precisamos de conversar com (ou, mais precisamente, entrevistar) alguns amigos para estarmos bem documentadas. Desta vez, queria escrever sobre como meter conversa com desconhecidos (com sucesso!) e lá comecei a demanda, percorrendo várias capelinhas.


Perguntei a um amigo, que morou em Nova Iorque e que lá praticou o engate em grande escala, qual era a frase que mais funcionava. Ele, que costuma frequentar bares com música ao vivo, disse que a mais eficaz era: "are you here for the band?" pois, independentemente da resposta dada, podia sempre desenvolver o assunto à volta da banda e dos seus vastos conhecimentos musicais. Ou seja, escolhia um assunto relacionado com o local e com o qual se sentia à vontade, sem se mostrar inconveniente, nem engraçadinho. Funcionava e percebe-se porquê.


E, por muito desmotivante que possa parecer, esta foi a única frase interessante que consegui obter. Porque, enquanto fazia esta pergunta a vários amigos, confirmei o que já desconfiava: os portugueses raramente metem conversa com alguém que não pertença à sua tribo. A não ser que estejam bêbedos, mas aí não se lembram do que disseram. Eu própria (rapariga moderna e aberta a novas culturas, cof, cof) não percebo nada de frases de engate porque, na realidade, nunca usei nenhuma. Aliás, não me lembro de alguma vez ter chegado ao pé de um desconhecido e começar a conversar.


Segundo algumas amigas entrevistadas, esta é a realidade portuguesa: as mulheres não iniciam a conversa, apenas olham (com um olhar xpto qualquer e de preferência para alguém da tal tribo) e depois esperam que o rapaz comece a conversa. Como eles começam, continua a ser quase um mistério. No meu caso, lembro-me de algumas frases do tipo "és amiga do Fulano de Tal, não és?", "estudaste na faculdade tal, não foi?" ou "és prima da Maria, não és?", de forma a identificarem-se como sendo do meu grupo de conhecidos.


Por isso, cheguem-se à frente, provem que os meus amigos são uns totós e digam lá quais são as vossas frases vencedoras. Como costumo dizer, este blog é um serviço público...

 

Tsetse

2 comentários

  • Imagem de perfil

    tsetse 25.09.2008

    Eu não, mas tu podes.

    (Estas críticas tão bem argumentadas deixam-me espantada...)
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.