Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Adiando o inevitável...

Avatar do autor TNT, 27.07.08

Confidenciava-me um amigo que não se sentia completamente confortável com a sua nova namorada. Que não conseguia relaxar. Que não se “sentia em casa”... Achava que se calhar não gostava tanto dela, como ela dele. Que ela criava mais expectativas sobre a relação do que ele. Enfim... resumindo e concluindo, que havia um grande desfasamento entre os anseios e objectivos de cada um.

Como penso que é uma grande injustiça para ambas as partes – enganam e são enganados à vez – achei por bem explicar que talvez o melhor fosse terminar com a relação, antes que as coisas se tornassem mais sérias e consequentemente mais dolorosas e difíceis.

Eh pá, pois é... também já pensei nisso... mas não sei muito bem como hei-de fazer, não tenho jeito para terminar relações e tal...” Disse-lhe que o melhor seria ser honesto e explicar à moçoila que os objectivos de cada um eram diferentes e que para ser completamente honesto, não poderia continuar assim, etc, etc, até porque ela merecia algo diferente, mais de acordo com as suas expectativas... Ou seja, um bocado na linha do “não és tu, sou eu” mas mais soft!

Eh pá, é que ainda hoje de manhã nos embrulhámos... é um bocado chato acabar tudo de repente... ainda por cima temos um jantar de uma amiga dela na terça-feira e já disse que ia...

Oh meus amigos! Quando se quer adiar uma decisão, é possível arranjar desculpas indefinidamente. Ele é o jantar, ele é o aniversário, ele é o natal, a passagem-de-ano, o carnaval e a páscoa. É o festival da canção, a novela e a estreia do filme checo. É o que for! Desde que adie o inevitável.

Na minha opinião, estas coisas só têm tendência para piorar. E, normalmente, o feitiço vira-se contra o feiticeiro. Mas isto... cada um sabe de si!

 

TNT

19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2