Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Romance ao Kilo

Avatar do autor TNT, 26.12.06

Ligo a Sic Gaja e apanho um programa a meio, julgo que se chama “What men want”. Aparentemente este é sobre romantismo nas relações. Aquilo que os homens julgam ser romance.

A apresentadora questiona várias pobres criaturas sobre o que acham que devem fazer para mostrar o seu romantismo à menina.  

Que chorrilho de asneiras!! Se alguém me fizesse alguma daquelas coisas, ou ficava enjoada que nem um peru em vésperas de Natal ou ria-me até à exaustão. Então um dizia que a noite romântica ideal era um belo take away e alugarem o “Dirty Dancing” porque as miúdas se derretiam com o filme. Outro achava que também devia incluir uma refeição em casa e papar dois episódios do “Sex and the City”... (que apesar de ele não compreender os pensamentos das intervenientes, sabia que a garota gostava). Ah! E que devia dizer 'amo-te' várias vezes ao dia...

Quanto ao Dirty Dancing, nem comento. Só acrescento que não conheço mulher nenhuma que me tenha comentado este filme como o ideal para uma noite romântica. Relativamente ao Sex and the City, reconheço que as mulheres gostam, só acho é que se nos desperta algum tipo de emoção, não será propriamente a do romantismo...

Sei que não sou a rapariga mais romântica do mundo e que para mim a maior história de amor do século XX é “Star Wars” e que a do século XIX oscila entre “Dracula” de Bram Stoker e outros romances dignos desse nome. E que não gosto de peluches. E que não tenho paciência para palavrinhas docinhas, como fofinha, quiduxa e conversas afins. Mas... sou mulher! E é óbvio que me encanto com bom gosto, sentido de oportunidade, perspicácia e interesse.

Dizerem-me ‘amo-te’ só porque sim, entra-me a 100 e sai a 200! Não são as palavras e as flores que nos encantam. São os actos e o facto de pensarem em nós, lembrarem-se de nós, nos momentos mais improváveis. E se nesses momentos nos telefonarem ou enviarem um sms a dizerem ‘something stupid like i love you’, ou um ramo de flores enquanto estamos a trabalhar naquele projecto que nos está a enlouquecer, isto sim... eu considero romântico!

O resto são tangas!

TNT

8 comentários

Comentar post