Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Interno Feminino

Divagações e reflexões do mundo no feminino. Não recomendado a menores de idade ou a pessoas susceptíveis.

Os preconceitos

Avatar do autor tsetse, 25.10.06

Uma das nossas leitoras, de nacionalidade brasileira, deixou um comentário neste blog, onde nos colocava um desafio: dar a nossa opinião sobre as mulheres da mesma nacionalidade e explicar o preconceito e a visão estereotipada que existe em relação a elas.

Antes de mais nada, gostava de contar uma história:
Há alguns anos fui a França, num intercâmbio universitário, e fui presenteada com o seguinte comentário de um estudante local: "As portuguesas são todas empregadas domésticas, com rabo gordo". Todos sabemos que, lá porque as portuguesas que ele conheceu terem essa profissão e essa característica física, não quer dizer que se possa generalizar.

O mesmo se passa com as brasileiras. Não é por haver cá várias doidivanas e interesseiras dessa nacionalidade, que se possa concluir que todas o sejam. Eu, pessoalmente, trabalhei com dois brasileiros e não gostei da experiência. Conheço mais pessoas que também trabalharam e que tiveram experiências semelhantes à minha: que eles não olhavam a meios para conseguir o que queriam, que eram mentirosos, que tentavam ficar com a autoria dos trabalhos dos outros, que subiam deitados, etc. Mas não é por isso que vou acreditar que todos sejam assim. Só posso concluir que grande parte dos que vêm para cá trabalhar são assim. Como grande parte das portuguesas que foram para França na década de 80 trabalhavam como empregadas domésticas.

Na realidade, todas as generalizações são injustas. Mas, na verdade, todos somos tentados a cair nelas. E, quanto menos conhecermos do assunto, mais probabilidade temos de cair. Por isso, cara leitora, não desista! Venha cá e mostre-se! Espere até a conhecerem melhor. E, se puder, escolha as companhias... Opte pelas mentes abertas.

Tsetse

8 comentários

Comentar post