TNT @ 17:41

Seg, 01/05/06

Quando andava na faculdade, lembro-me de ter devorado um livro muito em voga na altura “Manual de Civilidade para Meninas”...  

Se puderem não percam. É uma bíblia para o comportamento de qualquer moçoila que se preze. Regras elementares para nos movimentarmos em sociedade, quais debutantes!

Já nessa altura tinha algumas dificuldades em lidar com o conceito “fidelidade”. É uma coisa assim um bocado canina, não vos parece? Embora goste muito de cães, nunca tive aquele grau canino de fidelidade cega, incondicional e sem limites. E se nunca tive, também não deve ser agora que me vai crescer. 

Para ser completamente honesta, eu não sou de confiança. Não sou de fiar, pronto! Mas tenho os bons princípios de anunciar que não sou de confiança. Depois fica um bocado ao critério dos rapazinhos, sabendo de antemão o que os espera.

É que sempre tive muita dificuldade em ser fiel às minhas relações amorosas. Talvez tivesse conseguido com o meu primeiríssimo namorado, daqueles de mão dada quando tinha 12 anos. A partir daí foi o descalabro. 

A fidelidade é mesmo uma seca ou sou só eu que penso assim? Sejamos sinceras...  

Para sermos infiéis, basta o palhaço do tipo que está connosco, falhar naquelas pequenas coisas que consideramos essenciais. Começamos logo a vê-lo doutra forma e aos outros também. E à medida que ele fica mais enjoativo, os outros vão ficando mais apetecíveis. Como a comida... “Ah, e tal... Comi tanto chocolate branco que enjoei. Agora estou mesmo numa de chocolate amargo, daquele para culinária. É mesmo o que me anda a apetecer...” 

E como sabemos todas tão bem, eles falham a torto e a direito. O que provoca logo uma imensa vontade de assaltar a despensa. E procurar chocolate amargo para confeccionarmos uma sobremesa diferente. Mas meninas... não esquecer, como diz o manual: muita discrição, negar tudo até ao fim e sempre de banhinho tomado a cheirarmos bem, muito decentes e penteadas.

É possível. É legítimo. Não dói nada. E quando as coisas acabam, dá sempre um prazer acrescido. Acreditem...

Dizem que sou multitasking. Se calhar também sou multiflirting, multidating, multifucking...

TNT




Malandrinni @ 23:21

Seg, 01/05/06

 

"É possível. É legítimo. Não dói nada. E quando as coisas acabam, dá sempre um prazer acrescido. Acreditem..."

Portanto partimos do princípio que as coisas vão acabar?

Gosto da "filosofia da infidelidade"... Não sei, agrada-me, talvez por ser homem. Para "desenjoar", as facadinhas são bem vindas de parte a parte, que ninguém morre sem chifres, mas fazê-lo a prever um fim em vez de uma reconciliação talvez seja errado


TNT @ 23:30

Seg, 01/05/06

 

Tudo o que começa acaba....
Como os chocolates....

Norin @ 03:41

Ter, 02/05/06

 

Ai, menina, e onde fica a confiança (já sei que desse lado não existe) e o respeito, importantes numa relação (digo eu), esquecidos dentro de uma gaveta na mesa de cabeceira do Motel ?

E sabendo o rapaz desde o principio que mais cedo ou mais tarde vais provar outra sobremesa e quebrar o respeito que tens por ele / pela vossa relação , o que o impede de ele também não te respeitar, não só provando outro chocolate mas também no vosso quotidiano, no vosso dia-a-dia ?


TNT @ 18:58

Qua, 03/05/06

 

Na gaveta de um Motel, mas não é um Motel qualquer! Atenção! :D

Manela @ 11:31

Ter, 02/05/06

 

Eu por mim acho que a palavra "fidelidade" nem sequer devia existir. Quando se está bem numa relação, nem sequer se pensa no assunto e muito menos que "as coisas acabam". Claro que podem durar 5 dias mas também poderão ser 50 anos. Acho mesmo que traição só existe na mente e no corpo de quem não "está" saudavelmente envolvido e que procura sempre os defeitos (que todos temos) em vez de enaltecer as virtudes. Por mim falo, claro, mas fiel sou enquanto dure....


TNT @ 19:01

Qua, 03/05/06

 

Ó filha! Olha que isto não é uma agência matrimonial! ;P

Manela @ 20:32

Qua, 03/05/06

 

Cara TNT,
Quer-me parecer que não entendeu.... Matrimónios basta 1 obrigada. Estando esse assunto arrumado, só tenho a acrescentar que as infedilidades devem dar muito trabalho para uma pessoa tão transparente e preguiçosa como eu ;)


TNT @ 20:43

Qua, 03/05/06

 

A preguiça é um dos 7 pecados. Já falta pouco para a infidelidade...

Malandrinni @ 13:06

Ter, 02/05/06

 

TNT,
chocolates, assim como tudo o que é bom, é para fazer durar. O fundo do tacho é para ver o mais tarde possivel, se possivel, se o chocolate for bom, so no fim da vida mesmo.

Eu aprecio o gostinho que vai ficando na boca a cada lambidela/trincadinha no chocolate. Gosto que durem os prazeres, sejam eles carnais ou espirituais. Gosto de fazer as coisas durar e faço para não acabarem, mas quando acabam, acabaram no momento em que se lambe o último resto de chocolate já a ver o fundo todo descoberto rapadinho.

gomesh @ 17:28

Ter, 02/05/06

 

Tirando o facto de este blog ser cor de rosa (o que pode ser um bocado embaraçoso quando o leio no escritorio, ainda que o faço na mesma, uma vez que nao me importo...) tyenho de admitir que este e um tema interessante, e sinceramente aprecio o facto de comentarios assim virem do honrado sexo oposto... mas por outro lado faz sentido, eu estou numa relação seria a algum tempo, no entanto o acordo que temos diz o seguinte... o que eu nao sei nao me magoa, e ao mesmo tempo os dois sabemos que enquanto os "chocolates" forem suficientes nem um nem o outro pensa em mais nada. Nao ha stress em relação a infedilidade... apenas um esforço a que nao tenhamos tempo ou vontade de "comer outros chocolates"! Para ser sincero a falta de pressao em relação a esse assunto coloca-nos numa posição previligiada... a fidelidade passa sobretudo pela compreenção e conhecimento intimo de cada um... se nos completamos um ao outro nao queremos "comer fora"... e tenho de admitir que resulta, mas tem de haver uma vontade muito grande de satisfazer o companheiro/a... se calhar sou um pouco nifomaniaco... mas pelo menos tambem e a a minha parceira... tenho plea consciencia que se nao fosse pela vida sexual activa que temos os dois procurariamos fora!


TNT @ 22:27

Qua, 03/05/06

 

Atentem rapazes, atentem! Aqui está uma excelente receita de uma sobremesa que não enjoa!


TNT @ 19:02

Sex, 05/05/06

 

Boa! Assim dificilmente será necessário ir à despensa procurar outros sabores. É mesmo assim que se pretende!


sleep3 @ 18:44

Ter, 02/05/06

 

"Para sermos infiéis, basta o palhaço do tipo que está connosco"

hummm este discurso soa-me que foste lixada(par de chifres) no passado e ficas-te "ressabiada" (talvez por causa do moço de 12 com que andavas de mão dada )

:>


TNT @ 18:28

Qua, 03/05/06

 

Ah, grande malandro do Manel Leitão! Não me digam que ele andava de mão dada com outras?! Alvíssaras a quem o localizar para me pagar as consultas de terapia.
Sim... porque foi preciso fazer um blog e confessar-me desta forma, para uma mente iluminada me mostrar o caminho certo. E ainda dizem que Deus anda a dormir...

georgina @ 11:33

Qua, 10/01/07

 

que se passa com as pessoas de hoje, já não há valores morais nesta sociedade. tudo gira à volta do sexo. Onde tá o prazer de partilhar a vida com alguém? onde tá o conforto, a segurança de poder contar com alguém que nos escuta, nos compreende, que nos ajuda a crescer? Ñão será isto que procuramos num parceiro? Porque que as pessoas hoje tem medo de se dar, de assumir os seus sentimentos, de se encaixar na vida com alguém? Porque queremos viver a vida de forma tão futil? será que só existe sexo, sexo, e mais sexo na cabeça das pessoas.
Que estamos a construir, sim o que é que estas pessoas fazem pela sociedade? O que fazem por si e pelos os que o rodeiam?
A fidelidade arruina as relaçoes, como parceiro perde-se o que se tem de mais valioso a confiança, como individuo, não é um ser fiável porque em qualquer tipo de relaçao este individuo só pensa em si e tirar o maior proveito para si, é um parasita!!!!


tsetse @ 14:02

Qua, 10/01/07

 

Eu acho que uma pessoa pode ser fiável profissionalmente ou nas suas amizades e não o ser nas relações amorosas. Tudo depende das suas prioridades.

E não me parece que a única maneira de contribuir para uma sociedade seja ter uma relação com um homem e ter filhos. Sou solteira mas sinto-me muito útil através do meu trabalho e da ajuda que dou a quem me rodeia.

mariajose @ 16:08

Qui, 18/01/07

 

olá
como me pareces uma entidida na matéria...diz-me lá:
como se lida com uma infedelidade?
bjs zé


TNT @ 16:22

Qui, 18/01/07

 

Depende da intensidade da relação, julgo eu... A única vez que tive de lidar com isso, fui-me embora. Mas isso sou eu que não sou propriamente a pessoa mais paciente nem romântica do mundo...
Para mim a coisa é muito simples: não fico com quem não me quer! Há tantos que querem!

maria josé @ 21:57

Qui, 18/01/07

 

pois...tens razao!

continua...és uma lufada de ar fresco, neste país de gente camuflada!


BF @ 13:47

Qui, 08/03/07

 

Concordo plenamente...
Não sou muito parecida com a TNT em relação ás (in)fidelidades...
Sou fiel e enquanto durar a confiança estou bem...
Quando começo a desconfiar é porque alguma coisa não está bem, e se não está bem mudo-me!
Se é para estar comigo é só comigo, senão....... A andar da minha vida para fora!

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D