tsetse @ 23:59

Dom, 21/12/08

Quando era adolescente, ouvi uma conversa de um adulto que me abriu os olhos para a verdadeira essência masculina. Eu tinha grande consideração pelo senhor, que era extremamente simpático, inteligente, educado e bondoso e tinha uma enorme paciência para tomar conta da filha, que tinha uma doença gravíssima. Ele era, para mim, um exemplo de virtude e carácter. Mas a conversa foi a seguinte: "Estava eu numa festa, quando a minha mulher se ausentou, para ir cumprimentar alguém, e eu fiquei a conversar com a Xpto." Ora a Xpto era uma senhora solteira e simpática, mas pouco elegante e que não tinha muito cuidado com o seu aspecto. Não era asquerosa, era simplesmente gordinha e simples. E ele continuou: "Quando eu estava a falar com ela, chegaram dois colegas da faculdade, que eu não via há anos. Cumprimentaram-nos, falaram um pouco e eu não consegui dizer que aquela não era a minha mulher. É que é preciso ter azar... Logo eu, que tenho uma mulher tão bonita e com tanta classe..."

 

Ou seja, o facto da Xpto ter sido simpática não contava, (e posso dizer que a Xpto tinha um ar muito mais simpático que a trombuda da mulher dele), mas sim que ele não estaria bem na vida aos olhos dos amigos, por não ter uma mulher arranjada ao lado.

A partir daí, comecei a reparar que vários homens tinham um comportamento parecido: se estavam com uma namorada bonita, fartavam-se de a apresentar, mas, se ela estivesse com pior aspecto ou eles estivessem com uma namorada menos bonita, já não faziam tanta questão de a apregoar como namorada. Até reparei noutra particularidade, em alguns homens: se estão ao pé de uma mulher bonita quando um conhecido passa, não se mexem. Mas, se estão ao pé de um trambolho, dão uns passitos para o lado, não vá o diabo tecê-las e os conhecidos acharem que esse trambolho é a namorada deles.

E foi aí que se fez luz. Como nós usamos uma mala bonita ou um colar para nos valorizar, eles usam as mulheres como acessórios humanos. Na cabeça deles, ter uma mulher bonita ao lado dá status. E porquê? Deve ser porque quando vêem um amigo com uma mulher arranjada, pensam "eh lá, o António está bem na vida". Já as mulheres que eu conheço e que têm as características do senhor que apresentei no início, funcionam ao contrário. Se vêem uma amiga com um namorado lindo de morrer, não pensam se ela fica ou não bem ao lado dele, mas sim "eh lá, que tipo lindo". Depois, se ele for burro que nem uma porta ou completamente desinteressante, pensam "ainda não me tinha apercebido que ela era assim tão fútil".

Ou seja, os homens premeiam (com orgulho, simpatia e boa disposição) as mulheres, quando elas estão mais arranjadas e em melhor forma, mas depois tentam convencer-nos que as mulheres são umas fúteis, por perderem tanto tempo e dinheiro a melhorar o seu aspecto, como se, pelo menos subconscientemente, esses prémios não as incentivassem a fazê-lo. Depois, andam com acessórios humanos ao lado e já não acham fútil. Perverso, não?

 

Tsetse



executivo_chanfrado @ 08:19

Seg, 22/12/08

 

Contraditório no minímo.
Mas também não convém generalizar e olha que as mulheres também têm comportamentos semelhantes.


tsetse @ 11:36

Seg, 22/12/08

 

Bom dia, Executivo.

Eu sei que também há mulheres que o fazem, mas eu nunca vi uma mulher que eu admirasse a fazê-lo. No entanto, já vi vários homens fantásticos a fazê-lo, como se fosse a coisa mais natural do mundo.

executivo_chanfrado @ 18:56

Seg, 22/12/08

 

Olá Tse, tse
Então esses homens, se calhar, não são serão assim tão fantásticos...
O tipo de situação que referes acima é para mim demasiado estranho. Ao longo da minha vida tenho conseguido (com algum sucesso) excluir da minha proximidade a mesquinhez, o cinismo, a hipocrisia, a estupidez.... enfim....
Obviamente, no campo profissional isso é impossivel e aí, temos que lidar com isso.
Ora o que referes acima enferma exactamente dos adjectivos que acima refiro. É por isso que não os vejo. Nem dou atenção a esse tipo de pessoas.
Outra questão que não tem a ver com este post. Parece-me que vi em algum espaço teu uma crtica de vinhos. Tou certo ou errado? Se sim, aquilo é algo que se possa descarregar por aí. Sou há muitos anos fã do Baco e gostava de deixar os meus bitaites por aí.


tsetse @ 19:06

Seg, 22/12/08

 

Olá Executivo!

Eu realmente tenho um widget no meu blog pessoal com a lista dos últimos vinhos que provei. Antigamente, tinha a lista de vinhos que queria um dia vir a comprar, mas agora mudei.

Eu tenho conta num site que recomendo: http://www.adegga.com/ onde podes gerir os vinhos que tens na tua garrafeira, quais os que já provaste (dando uma classificação, para lembrar mais tarde) e quais queres comprar. E, nesse site, podes copiar o código de um dos widgets e colocar no teu blog ou página pessoal.

executivo_chanfrado @ 19:31

Seg, 22/12/08

 

Olá Tse, tse,
Obrigado. Vou verificar o endereço que deixas-te.
Deduzo que também gostas de vinho. Eu gosto. Tenho esta paixão há uns 10 anos. Queria ficar com um registo mas nada de muito complexo com notas de prova, etc, etc...
Há por aí bogs em suficiência sobre tema (alguns dos quais eu conheço pessoalmente) e fazem-no muitissimo bem. Não tenho paciência para grandes notas de prova. Prefiro ir provando e ficar com as coisas em memória.
Mais uma vez obrigado e fica bem


tsetse @ 12:30

Seg, 29/12/08

 

Eu também gosto de bom vinho, mas, para já, ainda não percebo o suficiente do assunto... Daí usar o site Adegga para colocar os vinhos que provei e se gostei ou não. Ah, e não precisas colocar nota de prova. Aliás, até nem precisas classificar. Podes usar o site só como "inventário".

executivo_chanfrado @ 15:07

Ter, 30/12/08

 

Eu já ando nesta coisa do vinho há mais de 10 anos. Acho que me posso considerar um consumidor esclarecido. Tenho amigos e conhecidos do ramo que são verdadeiros experts.
Fiz como disseste e meti o widget da Adegga no meu blog.
Eu classifico-os e faço uma nota de prova. Simples mas que me permite lembrar o que era o vinho.
Quando quiseres passa por lá e vê.
O vosso blog é espectacular. Continuem em 2009! Boas entradas!

silvia @ 10:28

Seg, 22/12/08

 

Por acaso concordo, diga-se que acho uma profunda estupidez, mas é mesmo assim que as coisas funcionam...


tsetse @ 11:38

Seg, 22/12/08

 

Pois é, Sílvia... Infelizmente, parece que funciona mesmo assim... Há excepções mas não passam de isso mesmo.


antiego @ 11:38

Seg, 22/12/08

 

São mesquinhices humanas. Sabes que o pessoal está sempre pronto para dizer mal e deitar abaixo, sem sequer reparar que fazemos o mesmo.

A sociedade dá muito valor à beleza feminina, até as mulheres. É natural que haja consciência que vão reparar na nossa companhia.
A vaidade é humana também. O que relatas é muito triste e mesquinho. Para mim é muito mais importante se a minha esposa é uma pessoa interessante, de valor. Aí é que tenho vaidade nela.


tsetse @ 14:43

Seg, 22/12/08

 

Eu concordo contigo, Antiego... O importante é a pessoa ser interessante, segundo os nossos valores... Para uns, é importante que seja inteligente e interessada; para outros, é importante que seja educada e bondosa; etc... Coisas que realmente interessam e que não acabam com a idade, nem com o dinheiro.

Jivago @ 17:11

Seg, 22/12/08

 

Tsetse, eu vou supôr que tu não acreditas mesmo no que dizes nem na generalização sobre a "essência do homem"... este post é só para espicaçar, certo?


tsetse @ 17:26

Seg, 22/12/08

 

Exagerei quando falei em "essência do homem", mas que já vi a maioria dos homens (mesmo alguns que admirava muito) a fazer coisas do género, já... E não gostei.

Casper @ 12:38

Qua, 24/12/08

 

Acho que este comportamento é aplicável, da mesma forma, a ambos os sexos. Indiscutivelmente, a sociedade tende a valorizar e a dar mais credibilidade se estivermos rodeados de pessoas bonitas.

Até vocês, mulheres, dão instantaneamente mais valor aos homens se eles estiverem rodeados de mulheres bonitas e arranjadas. E muitas vezes eles despertam-vos tanto interesse que se tornam alvo de cobiça, por essa mesma razão: “Se este trambolho anda com uma gaja tão bonita é porque deve ter algo de especial. Deixa lá ver…”

E os outros pensamentos que as mulheres têm quando vêem uma amiga ao lado de um namorado lindo de morrer: “como é que ela sendo tão feia ou até ela que é tão feia consegue um namorado tão lindo”.


tsetse @ 18:50

Dom, 28/12/08

 

Pois enganas-te, duplamente.

1. Uma rapariga inteligente e com bons princípios morais nunca acha que um homem é mais interessante por estar rodeado de mulheres bonitas, antes de saber o que move essas mulheres.

2. Se vejo uma amiga feia e desinteressante com um homem bonito e inteligente (ou cheio de piada), até posso dizer "que outros atributos ela terá, que eu desconheço". Mas, se eu lhe conhecer outros atributos (como, por exemplo, inteligência, simpatia e/ou bondade), só vou achar justo.

Neste campo, nós não pensamos como vocês...

RKF @ 15:37

Qui, 22/01/09

 

tsetse , vou-te responder na mesma moeda, sendo em caps lock as modificações:

Pois enganas-te, TRIPLAMENTE.

1. Um HOMEM inteligente e com bons princípios morais nunca acha que uma MULHER é mais interessante por estar rodeado de HOMENS BONITOS, antes de saber o que move esses HOMENS.

2. Se vejo um AMIGO feio e desinteressante com uma MULHER bonita e inteligente (ou cheia de piada), até posso dizer "que outros atributos ele terá, que eu desconheço". Mas, se eu lhe conhecer outros atributos (como, por exemplo, inteligência, simpatia e/ou bondade), só vou achar justo.

Neste campo, nós pensamos EXACTAMENTE como vocês...

Mais uma vez estás a generalizar a coisa.

Tb posso dizer que conheço muitas mulheres que são assim como descreves, mas nunca vou escrever um tópico onde considere isso uma característica típica das mulheres.

:)


tsetse @ 16:33

Qui, 22/01/09

 

Em relação ao ponto 1, não podia concordar mais consigo. Um homem valoriza os homens que estão rodeados de mulheres bonitas, mas não o contrário.

Em relação ao ponto 2, por coincidência, também concordo. Quando um homem vê outro com uma mulher bonita, acha logo que ele deve ter algo de bom escondido (valoriza-o, portanto) daí incentivar os outros a usar mulheres como acessório humano.

Já agora e porque é para si: claro que há excepções.

RKF @ 17:58

Qui, 22/01/09

 

Vamos por partes, o teu primeiro parágrafo:

Tu valorizas uma mulher (ou até mesmo um homem) que está com um feioso?

Hummm, acho que qt muito, dás o benefício da dúvida e tentas conhecer primeiro o feioso, n?

Qt ao segundo parágrafo, então diz-me lá uma coisa: tu se vês um homem normal com uma mulher muito bonita, pensas logo o quê?

Vá la , sê sincera, quero ouvir a tua resposta.

De qualquer forma, qualquer que seja a tua resposta, ela n generalize a opinião de todas as mulheres.

Qt ao incentivar os outros a usar as mulheres como acessório humano, concluo que te refiras assim Às mulheres pelo facto de muitas cuidarem (e exagerarem) da sua imagem.

Ora, ninguém as obriga a tal, certo? De certo que sabes que muitas delas se arranjam para "caçar" certos homens com "poder", chamemos-lhe assim

Por isso acho que o tal acessório humano é mais criado e incentivado pela mulher e não tanto pelo homem.

Qt a nós, claro que gostamos de uma mulher bonita., mas que também tenha algo na (dentro) cabeça. :)


tsetse @ 19:44

Qui, 22/01/09

 

Eu nunca disse que valorizava uma pessoa só porque ela estava com um feioso. Expliquei-me mal ou fui mal interpretada. Essa questão daria para outro post e não tem nada a ver com o que se fala aqui.

Em relação à sua questão:
Quando eu vejo um homem normal com uma mulher muito bonita, acho normal, porque:
1. Sei que há muito mais mulheres bonitas do que homens bonitos. A natureza favoreceu-nos e a nossa sensibilidade, o nosso elevado bom senso e bom gosto leva-nos a ser mais cuidadosas com o que ela nos ofereceu.
2. Sei que a maioria das mulheres bonitas não liga ao facto do homem ser bonito por fora. (Pelo sim, pelo não e por ser para si, repito que falo da maioria e não de todas as mulheres: conheço uma que dá valor).
3. Sei que a maioria dos homens prefere mulheres bonitas.

Em relação à frase: "Qt ao incentivar os outros a usar as mulheres como acessório humano, concluo que te refiras assim Às mulheres pelo facto de muitas cuidarem (e exagerarem) da sua imagem.", tenho a dizer: não, concluíste mal. Um homem, ao olhar para outro homem de forma diferente, com o pressuposto de existir algo positivo escondido, quando ele está com uma mulher bonita, está a fazê-lo sentir-se mais importante e bem consigo mesmo. Logo, quando ele quiser sentir-se assim de novo, vai buscar uma rapariga gira para estar ao lado. No caso das mulheres, o acessório não é outro ser humano, mas um vestido bonito, uma carteira da moda ou outro acessório sem vida própria. Mais uma vez, falo de generalidades, pois até há mulheres que andam com cães como acessório. Há de tudo neste mundo!

Em relação a ninguém obrigar a mulher a arranjar-se, sugiro que releia o fim deste post, onde explico que os homens as incentivam a arranjar-se, pelo simples facto de as premiarem quando elas estão com melhor aspecto.

ruben @ 02:08

Dom, 28/12/08

 

acho o post inconsistente porque o conteúdo é uma faca de dois legumes. se funciona dessa maneira para o lado masculino, então ainda funciona pior e mais perverso para o lado feminino. o dinheiro e a posição social aliados aos atributos físicos do sujeito são os verdadeiros pesos do prato da balança feminina. não chega o fato armani, o jaguar ou o porshe, também o estatuto social, o status profissional, a família , o berço, etc. entram no vosso balanço contabilístico que é bem mais complexo e sofisticado que o nosso, e fechado com uma demonstração de resultados mais exigente e rigorosa em relação aos activos e valores do sujeito em questão!!!!! nós, sexo masculino, não passamos de uma brincadeira de jardim de infância comparados convosco, sexo feminino, que têm uma implacabilidade e rigor capazes de fazer corar o mais prestigiado financeiro de wall street. todos os outros tipos que não satisfazem os requesitos exigidos por vós, são pura e simplesmente tratados abaixo de cão e por vezes com uma crueldade abjecta, isto apesar de os sujeitos em questão não estarem minimamente interessados na pessoas que tão altruisticamente os mal trata (in your dreams baby, in: "goddess gracious me"). quem tem telhados de vidro não pode dar-se ao luxo de choramingar de barriga cheia.


tsetse @ 18:51

Dom, 28/12/08

 

Tenho a honra de conhecer mulheres que estão muito acima das que tu conheces...


ruben @ 01:15

Seg, 29/12/08

 

bem... aquilo que eu desconheço não posso argumentar!!!!!

RKF @ 15:44

Qui, 22/01/09

 

Tenho a honra de conhecer HOMENS que estão muito acima dos que tu conheces...

E então, são todos bons ou todos maus?

O teu problema e' que generalizas as coisas...

Não posso falar muito nesse aspecto porque não te conheço, mas pelo que já deu para perceber (acompanho este blog quase desde o seu início, apesar de raramente comentar), tu pareces ter o perfil daquelas mulheres na casa dos 35 - 40 anos, inteligentes, com formação superior, independentes mas que tiveram o azar de nascer e viver numa época em que o machismo tinha níveis superiores aos de hoje, o que fez com que crescesses com a ideia que todos os homens são shit e que as mulheres estão num patamar superior por terem mais qualidades. Isto aliado ao facto de teres conhecido muitos homens da geração anterior à minha (tenho 27 anos) e de muitos deles ainda serem muito machistas, o que fez com que sofresses às mãos deles.

O teu principal problema está aí: tu generalizas!

E partes com essa ideia para todos os relacionamentos que tens.

E dps claro está, como alguém já aqui disse, sentes-te atraída por pessoas erradas, pois se és realmente uma mulher inteligente, madura e independente, deverias ter uma maior capacidade para escolheres as tuas companhias.


TNT @ 16:15

Qui, 22/01/09

 

Oh, Tsetse! E vem um rapazinho de 27 anos tentar dar-te lições sobre as tuas companhias.
O menino ainda é muito pequenino para estas coisas! Mas nessas idades, normalmente, costuma ser-se dono de toda a razão e verdade. As dúvidas só aparecem quando começamos a aprender alguma coisa.

RKF @ 16:35

Qui, 22/01/09

 

Típico argumento de alguém mais velho que se acha o dono da verdade perante os mais novos.

Conheci muitas pessoas (mais velhas) que pensavam como tu nesse aspecto e com as quais não aprendi rigorosamente, por causa da sua presunção.

Até ao dia em que conheci uma pessoa que tinha idade para ser meu pai e que a primeira coisa que me disse foi:

"As gerações mais novas serão sempre mais inteligentes que as anteriores, por muito que isso lhes (às anteriores) custe no orgulho. Se assim não fosse, ainda hoje viveríamos nas cavernas e não haveria evolução. O único problema delas e' que ao início não são experientes".

Foi essa humildade rara de alguém mais velho do que eu que me fez perceber que estava perante um ser humano excepcional, e que veio a tornar-se o meu mentor de vida até hoje, com o qual aprendi muito em todos os aspectos da vida.

Qt ao termo perjorativo (no caso é) de "rapazinho", conheces-me de algum lado para me falares assim? Sabes lá tu qual é a minha experiência de vida em todos os aspectos?

Enfim, continua a achar que a idade é um posto... Olha que nem sempre, minha cara, nem sempre...

Tu deves ser do tipo: "filho não faças isso, que eu e' que sei porquê, porque sou tua mãe e sou mais velha do que tu", sem tentares explicar à criança o porquê de ela não fazer algo.


TNT @ 17:22

Qui, 22/01/09

 

Oh RKF! Vê-se bem que também é novinho nestas andanças do blog. Senão, já saberia que criancinhas, para mim, só com mais de 19 anos e é para o que é!
Não para me darem lições daquilo que conhecem, mas para me divertirem... e de que maneira. Gosto imenso de miúdos, mas divertidos. Para conversas sérias, tenho os meus amigos... Desculpe lá qualquer coisinha!

RKF @ 17:46

Qui, 22/01/09

 

Pois, os teus amigos, suponho que da tua idade que tu tanto criticas aqui neste blog, generalizando para todos os homens.

Enfim, ganhaste a bicicleta!


tsetse @ 19:16

Qui, 22/01/09

 

Não estarás a confundir a TNT comigo? Olha que somos duas autoras diferentes...


tsetse @ 16:21

Qui, 22/01/09

 

Caro RKF, em textos de opinião é normal falar-se da generalidade. Textos cheios de "mas claro que há excepções", "não quer dizer que sejam todos assim" e outras banalidades do género são, na minha opinião, um insulto à inteligência e à paciência dos leitores.

Em relação à amostra usada para chegar a esta conclusão, esta não é constituída apenas por amigos meus, mas também por amigos de amigos, pessoas desconhecidas com blogs a falar do tema e colegas de trabalho.

Recomendo, por exemplo, que leia este texto (de uma pessoa que não conheço pessoalmente):
http://oarrumadinho.blogspot.com/2009/01/querias-no-querias.html

Já agora, preferira que se cingisse a comentar o tema do post, em vez de tentar fazer uma análise à minha vida.

De resto, é sempre bem vindo a comentar qualquer dos temas propostos, nem que seja só para dizer que é uma excepção. Mas preferia que argumentasse, pois são os comentários de qualidade e pertinentes que fazem deste um blog de sucesso.

RKF @ 17:41

Qui, 22/01/09

 

quote:

Caro RKF, em textos de opinião é normal falar-se da generalidade. Textos cheios de "mas claro que há excepções", "não quer dizer que sejam todos assim" e outras banalidades do género são, na minha opinião, um insulto à inteligência e à paciência dos leitores.

resposta:

Desculpa lá tsetse mas esse teu argumento deve ser para rir.

Então imagina assim: uma pessoa escreve um artigo de opinião, dizendo as maiores baboseiras ao generalizá-lo, sem ter o mínimo de cuidado de referir que há excepções. Suponho então que para ti isso já não é um insulto à inteligência dos leitores.

Queria ver qual seria a tua reacção a um artigo com o título de "A futilidade das mulheres", em que o seu autor generaliza-se o caso.

De certo que serias a primeira a dizer que conheces muitas que não são assim.

Sobra a amostra, será que não havia excepções? Se assim for, dás-te com as pessoas erradas, esses fantásticos homens que referes no teu post. E por consequência esses teus conhecidos tb se dão com as pessoas erradas.

Li o post e digo-te que haverá de certo opiniões contrárias de outros homens. Tu o que fizeste foi apanhar este testemunho e generalizá-lo aqui.

Relativamente à analise à tua vida, eu tive o cuidado de referir antes de dizer o que quer que fosse sobre a tua vida que estaria a supôr, visto n te conhecer.

Agora deixa-me que te diga uma coisa em relação a esse ponto.

N é preciso ser-se muito inteligente para traçar um perfil da tua pessoa, em função daquilo que escreves e o que dizes sobre ti.

É perfeitamente natural catalogarmos assim as pessoas, no bom sentido claro, visto que certas características saltam logo à vista.

Por outro lado, n te esqueças que tens um blog que é lido por milhares (esperemos que sim) de pessoas, e através dele dás a conhecer tb um pouco a tua pessoa.

É que tu não estás propriamente a fazer aqui reviews de gadgets ou de carros, estás a abordar temas da condição humana, logo é natural que muitos desses artigos de opinião sejam um reflexo da tua personalidade.

No entanto, se ficaste ofendida com o facto de falar de ti, então desde já as minhas desculpas e tens a minha palavra que não irei fazê-lo mais, cingindo-me apenas aos posts.


tsetse @ 19:15

Qui, 22/01/09

 

Eu acho normal, por defeito, falar-se sobre a maioria. Se eu quiser falar sobre casos particulares, aí sim, tenho que indicar o facto.

O título "A futilidade das mulheres" não me parece, de forma alguma, abusivo ou insultuoso. Eu já escrevi aqui um post de título "Sushi-girls ou as futilidades masculinas", onde, para além de colocar um título parecido, admitia que as mulheres também têm as suas futilidades. Se o título fosse "As mulheres são fúteis mas os homens não", aí seria uma mentira e não um caso de generalizar (como, aliás, já provei nesse e noutros posts sobre o tema).

Em relação à amostra em estudo ser ou não constituída só por pessoas com esse comportamento: claro que não. Mas a maioria, sim. Como já disse, falei dessa maioria, ou seja, da generalidade.

Em relação ao facto de eu ter utilizado o post citado para fazer aqui uma generalização, tenho a dizer duas coisas:
1. este post foi escrito antes do tal post citado ter sido publicado;
2. dei um exemplo de um homem que admite online ser assim e, por isso, fiz questão de usar a palavra "exemplo";

Bruno Ervedosa @ 11:51

Seg, 29/12/08

 

Sou homem e tenho que concordar contigo. É uma tristeza ver homens que rebaixam Mulheres que têm imenso valor, só porque a visão deles está destorcida da realidade. Têm mais olhos que barriga.
Esquecem que a felicidade não está no trapo que elas vestem ou na apresentação que têm.
Eles não sabem o que é Amor!


Loira @ 14:20

Seg, 29/12/08

 

vou comecar a ficar atenta:)
gostei do blog... parabéns


tsetse @ 14:38

Seg, 29/12/08

 

obrigada!

e já temos mais de dois anos de existência... por aqui, tens muito para ler.

ccosta @ 19:22

Seg, 29/12/08

 

Parabéns! É um belo exercício mental! Nunca tinha pensado nesse aspecto tão óbvio! ;)


restelo @ 23:20

Seg, 29/12/08

 

Alto lá, menina ' Isso passa-se com a sua geração , porque com a minha geração, só o termos uma namorada fazia com que nós a elogiássemos fosse ela bonita ou feia , magra ou gorda, para nós era sempre a mais bela de todas. E sabe porquê?, descubra se for capaz.


tsetse @ 00:33

Ter, 30/12/08

 

Não sei qual é a sua geração, mas o senhor da história contada no início deste texto deve ter agora uns 68 anos. Os outros casos passaram-se com pessoas dos 25 aos 55 anos. Muito abrangente, portanto.

Em relação à sua charada, a resposta é respeito? Espero que sim!


Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D