tsetse @ 15:44

Sex, 12/12/08

Já estava eu habituada à ideia de que havia pessoas que só se sentiam atraídas por outras do mesmo sexo, que desde os 4 anos sabiam que eram diferentes, que era tudo uma questão biológica ou química, de que era tudo muito normal e que, como defensora do direito à diferença, devia aceitar o facto, quando, de repente, uma nova questão se põe.

Uma amiga de infância admite que, entre namorados, se apaixonou por uma mulher; uma conhecida, depois de viver dois anos com uma mulher e ter convencido toda a família a aceitá-la como lésbica, fica noiva de um homem; uma conhecida coloca no seu site pessoal, misturado com uma série de artigos escritos no âmbito do seu doutoramento, o texto sobre o orgulho de ser bissexual; um amigo escreve sobre o facto de se apaixonar por pessoas interessantes, independentemente do sexo; outro amigo admite também que até há uns anos andava com mulheres, mas que agora anda com homens, até ao dia que encontrar uma mulher que lhe interessasse; e, por fim, mais um conhecido admite que a mulher o traiu com outra mulher, embora continue a gostar de homens.

Se fosse só um caso, eu poderia acreditar estar perante um excepção. Mas parece que não. Passei trinta anos sem ouvir falar de um único caso de bissexualidade assumida, para, de repente, uma série de pessoas a acharem normal. A história que os gays nos contavam nos anos 90, de que jamais se sentiriam atraídos por mulheres, parece estar ultrapassada, parece que agora foi descoberto que basta achar a outra pessoa interessante para poder sentir-se sexualmente atraída por ela. Não interessa o género sexual, interessa a pessoa.

E, confesso, é esta parte que mais me faz confusão. Eu, realmente, já conheci muitas mulheres que acho muito interessantes e com quem queria continuar a conviver, mas nunca me apaixonei por nenhuma, nem, mais concretamente, me senti atraída sexualmente por ela. O que levanta a questão: há afinal três tipos de pessoas? As que desde os 4 anos só se sentem atraídas por pessoas do mesmo sexo + as que sempre se sentiram atraídas pelo sexo oposto + as que  descobrem que se sentem atraídas pelos dois lados? Ou somos todos potenciais bissexuais e os heterossexuais como eu e os homossexuais que juram só gostar de homens desde os 4 anos são uma cambada de mal informados ou de preconceituosos?

Eu sei que já os gregos gostavam de se relacionar com ambos os sexos e que até alguns romanos o faziam. Já Júlio César tinha uma queda por homens e mulheres. Consta até que, para além do caso extraconjugal com Cleópatra, tenha tido antes um caso com o irmão dela. Será a história suficiente para provar que a bissexualidade está na natureza humana? Ou apenas prova que algumas pessoas nascem com essa capacidade?

E, porque é que, de repente, os casos de bissexualidade aumentaram tanto? Teremos ultrapassado mais um tabu? Será moda? Será pura promiscuidade? Ou será uma abstracção que os liberta de uma variável (género) e os deixa focar noutras variáveis (como inteligência, génio e personalidade)?

 

Tsetse




AlfmaniaK @ 16:42

Sex, 12/12/08

 

Evidentemente somos todos potenciais bissexuais. (excepto os assexuados, mas estes tem razão de ser)


tsetse @ 17:24

Sex, 12/12/08

 

Então como explicas que tantas mulheres nunca se tenham sentido atraídas por outras mulheres? Conheço várias bastante liberais, que não tiveram uma educação religiosa, algumas que até colocaram a hipótese, mas que não conseguiram sentir "borboletas na barriga" nem atracção sexual...

Será uma questão do subconsciente? De falta de "abstracção"?


AlfmaniaK @ 04:28

Sab, 13/12/08

 

Enquanto seres sexuais (podemos fazer sexo por prazer) seja qual for o género com que estamos, não invalida que tenhamos prazer. Logo somos bissexuais em potência. Já se nos sentimos atraídos ou não... é uma variante da nossa sexualidade que pode ser muito discutida.


antiego @ 16:56

Sex, 12/12/08

 

Já há muitos anos se disse: ninguém é 100% heterossexual. Por mais que esta frase choque os milhões de machos muito machos e milhões de femeas muito femeas, que andam por aí.


tsetse @ 18:22

Sex, 12/12/08

 

E o que é para ti não ser 100% heterossexual? Achar alguém do mesmo sexo bonito ou interessante? Ou ter a capacidade de se sentir atraído sexualmente?


antiego @ 21:52

Sex, 12/12/08

 

Eu não sou o autor da frase. Esta frase é velhissima. Qdo a uvi 1º, foi há mais de 10 anos.

Creio que essa frase implica que alguma atraçãozinha homossexual deve haver em todos nós, ainda que possa ser imperceptivel. Claro que os mais macho e mais femeas, nunca na vida admitirão tal coisa.

Não será possivel a uma mulher heterossexual, sentir uma pequena atração fisica por uma mulher voluptuosa? Não quer dizer isso seja o sufeciente para querer ter sexo com ela.
Do mesmo modo, um homem muito macho pode sentir uma leve atração por um homem muito bom, sem que isso signifique querer ter sexo com ele.

Esta é uma frase que eu repito mundo quando se fala de homossexualidade, e se brinca com ela. Curiosamente são bem mais as mulheres do que os homens, que afirmam a pés juntos que não, são 100% e com absoluta certeza. LOL, ou seja, da minha sondagem, as mulheres muito mais medo da homossexualidade. Já os homens, brincam na boa com a homossxualidade.

Passa lá pelo meu blog. Bom fim de semana

Nelson de Souza @ 13:50

Seg, 15/12/08

 

É quase impossivel eu conhecer vc pessoalmente,estou sempre lendo seus posts e ficoimpressionado,como nossa maneira de pensar é semelhante.
Bato palmas para vc


antiego @ 21:05

Seg, 15/12/08

 

(ei, tantos erros no meu comentario anterior, tss tss)

Caro Nelson, fico sentido com as suas palavas, as que mais me tocaram nesta blgosfera.
Realmente, acho quie só mesmo vindo de um Brasileiro. Grandes mestres no calor humano, grandes mestres do elogio ( e da bajulação :-) )

Abraço deste lado do Atlantico


Re @ 13:01

Qua, 13/03/13

 


Quanta bobagem!!! achar outra mulher bonita e admirar não tem nada a ver com atração sexual..mulher hetero de verdade não sente nenhuma atração, apenas repusa...

Miguel @ 17:32

Sex, 12/12/08

 

Nós, portugueses(as), somos uma raça de descobridores, que ficaram mundialmente conhecidos por soltarem amarras e ir à descoberta. E por descobrirem, de facto, coisas novas para o mundo.
Já há alguns anos que constato o crescimento do número de bissexuais, assumidos ou não.
E porque não?
Antes, éramos machos ou panilas. Não havia meio-termo. Portanto, só comíamos duma sopa.
E eis que surgem os que gritam: estou farto de sopa de grelos, também quero sopa de cenora ou de pepino; provam e hummm, é boa, mas continuo a gostar da de grelos.
Pessoalmente, não sei se alguma vez conhecerei um homem que me faça querer provar sopa de cenoura, mas o certo é que, graças a esta evolução, que de evolução se trata sim senhores, já não tenho influências negativas que me coibam de gozar essa nova experiencia.
E só de pensar nessa liberdade, já me sinto bem outra vez por ser portugues.


tsetse @ 18:20

Sex, 12/12/08

 

Então esta nova "vaga de bissexualidade" significa para ti menos um tabu e mais liberdade? Quer dizer que sempre existiu mas só agora é que as pessoas começam a admitir?

Já agora, pelo facto de nunca te teres sentido atraído por um homem e (provavelmente) te teres sentido atraído por muitas mulheres, não te faz pensar no porquê? Será que afinal nem toda a gente é bissexual por natureza? Ou é ainda um preconceito ou dificuldade tua?

Miguel @ 13:53

Seg, 15/12/08

 

Quando digo "já não tenho influências negativas...", revelo na entrelinha que já as tive em pelo menos uma situação. Na realidade, em três situações que não se concretizaram por preconceito, medo, por um certo mal-estar inibidor. Por uma dificuldade minha, derivada do preconceito (para responder à tua pergunta).
Não creio que todos sejam bi-sexuais, por natureza, por gosto ou por qualquer outra razão.
Estou convencido de que a bi-sexualidade resulta da necessidade de encontar novas formas de passar bons bocados. Nem mais nem menos. Não tem equiparação com a homossexualidade, que é por definição fundamentalista. Os(as) homossexuais não têm escolha. São assim porque são.
Os bi sentem-se bem com uma mulher ou com um homem ou com ambos em simultâneo. Por gozo, por prazer, por luxúria. Porque lhes sabe bem.
E não há necessidade de rotular tal prática de "promiscuidade". Que raio, sexo sem casamento já foi, e ainda é, considerado promiscuidade.
Não! Ser bi-sexual é ser livre, não ligar a tabus nem a preconceitos. É ser completamente alheio a noções tão ridículas como a de que "as mulheres não têm necessidades sexuais", que vigorou até às décadas de 60/70 e que ainda subsistem em certas cabeças.
Não estou a fazxer uma apologia da bi-sexualidade. Estou sim a elogiar, e a invejar, quem tem auto-confiança que chegue para se sentir bem em tal pele.

Carla @ 23:14

Qui, 12/08/10

 

A bissexualidade não é uma escolha ou uma "necessidade de encontrar novas formas de passar bons bocados".. Na realidade sempre me relacionei com homens e sempre fui verdadeiramente feliz com eles, mas apaixonei-me  verdadeiramente por uma mulher, não por escolha, por sexo ou por outra razão semelhante. Nós não escolhemos... Somos o que somos...

AnónimA @ 20:59

Sex, 12/12/08

 

A meu ver, penso que estamos numa época de experiências. Toda a gente quer experimentar tudo o que vê e o que não vê e, sobretudo, o que é bom (nomeadamente o prazer carnal-swing, masoquismo, tntrico...). Depois alguns experimentam e gostam e eis que surge a homossexualidade; outros não acham piada e, portanto, continuam heterossexuais. Eu nunca senti vontade de estar com a mulher. Tenho amigas, algumas interessantes, mas daí a algo mais... acho que não! Não tem nada a ver com a forma como um homem nos abraça, nos beija e nos faz as tais "borboletas na barriga" :)

Não te assustes Tsetse... ainda há muitos que não querem nada disso :D


executivo_chanfrado @ 22:06

Sab, 13/12/08

 

Também me parece que nos tempos que correm existe uma abertura diferente daquela que tínhamos até há alguns anos (quando eu era um jovem…). A homosexualidade tornou-se “moda” e a bissexualidade algo que é visto como que … um passo à frente.
A sociedade em geral deitou muitos tabus pela janela e a mentalidade vigente é muito mais aberta. Situação que verifico pelos relatos de malta mais nova que trabalha comigo e que referem a bisexualidade como algo cada vez mais comum.
Não me choca absolutamente nada (nos outros).
Pessoalmente nunca me senti atraído por pessoas do mesmo sexo se bem que, como dizes no texto acima conheça vários homens que acho interessantes tanto do ponto de vista físico como intelectual. Mas é isso exclusivamente. Este gajo é um tipo interessante e gosto de estar com ele, falar com ele, conviver com ele.
É filme em que de todo não me vejo, em intimidades com um homem (o que não me choca nos outros em mim repugna-me).
Filme em que também não me vejo é em intimidades com uma mulher que não seja interessante (principalmente do ponto de vista intelectual).
E agora, um pouco no contraditório, espero que os meus dois Infantes só se virem para o lado “certo”.

Tété @ 11:11

Ter, 16/12/08

 

Francamente, até me considero uma pessoa de mente aberta. Aceito as diferenças, desde que sejam vividas com naturalidade, (sem o espalhafato com que certos homosexuais se comportam). Acho algumas mulheres, ate amigas, bem atraentes e interessantes, mas nunca me senti atraída por elas. Posso admirá-las, em vários aspectos, mas colocando a ideia de ter qualquer contacto intimo com elas, sinto repugancia. Por isso não concordo que todos tenhamos algo de bissexuais. Uns terão, outros não.Creio que na busca desenfreada de prazer fisico haverá pessoas que experimentam de tudo, sem conhecerem bem qual a sua verdadeira identidade sexual.

ccosta @ 19:31

Seg, 29/12/08

 

Sinceramente acho que há pessoas com demasiado tempo livre e pouca atenção. Então para sobressairem tornam-se "bissexuais"! Quando inventarem um nome mais giro serão portadoras dessa condição e assim estarão em actualização permanente dentro da nossa sociedade, cada vez mais rica na diversidade!

M0rg4n @ 02:05

Ter, 30/12/08

 

Olá Tsetse.

De algum modo tenho suspeitas que eu sou um dos teus conhecidos que te fizeram mergulhar neste assunto, até porque o pouco que falámos na altura (altura deste post até) foi mais ou menos o que falas por aqui.

Primeiro, um ponto no teu discurso que considero menos conseguidos, digamos - é que isto das sexualidades quer queiramos quer não ainda fere muita susceptibilidade.

Porquê desde os 4 anos quando se é "diferente" e não "desde sempre"? Acredito que a sexualidade é pré-cognitiva, ou seja, não é uma "opção" / "escolha" sexual que se trata, mas sim de uma característica intrínseca ao indívíduo - e aí ou se tem ou não, ponto final.

Mas enfim, este é só um ponto que convém esclarecer - rapazes e raparigas, se põem a hipótese de ir para a cama com o mesmo sexo isso quer dizer que sempre houve essa predisposição, mas como em tudo há uma hora e um lugar para tal acontecer.

A teoria da "pessoa interessante" é muito boa quando nos estamos a tentar justificar perante nós, primeiro, e perante os outros, depois, esse tal interesse pré-existente (e uma boa maneira de testar reacções quando se "sai do armário"). Há quem o "dome" toda a vida - tal como quem o faça com a homossexualidade - e assim nunca consegue realmente chegar ao ponto de satisfação plena, até porque há sempre dúividas em todas as relações que consume.

Somos todos potenciais bissexuais? Não. Somos todos capazes de ter "brincadeiras" com o mesmo sexo? Sim, basta que para isso haja abertura de espírito suficiente e vontade de experimentar. Mas ter uma experiência homo não faz de ninguém bi - nem homo.

Para isso há outro tipo de envolvência que nem toda a gente está disposta a ter - sexo por sexo não é o mesmo que sexo numa relação, e uma relação essa sim, é ou hetero ou homo (a não ser em poli-relações, mas essa é toda outra conversa).

Os casos de bissexualidade não aumentaram tanto, não acredito mesmo nada nisso. De repente desapareceram tabus de falar sobre coisas que no passado pareceriam suicídio social.

Dito isto, o sexo da pessoa interessa sim - não só a inteligência, o génio ou a personalidade. Porque se estamos a falar desses últimos tópicos estamos a falar de relações interpessoais, e não de relações sexuais. E as interpessoais não têm sexo. Mas as sexuais, pela sua natureza, têm.

Então onde ficamos?

1. Existem muitos heterossexuais com abertura de espírito suficiente para terem experiências homossexuais. Continuam a ser heterossexuais.

2. Existem muitos (quase todos, mas cada vez menos) homossexuais que, pelas pressões sociais, têm experiências heterossexuais. Continuam a ser homossexuais.

3. Existem muito POUCOS bissexuais verdadeiros, sendo que a maioria são mulheres - que serão mais fluídas sexualmente -dizem os sexólogos. Um verdadeiro bissexual apaixona-se pela pessoa x ou y independentemente do seu sexo, e essa paixão é quase acidental.

Mas lá está, tudo isto são etiquetas. Porque é que não deixamos simplesmente viver a vida sexual dos outros sem meter o nariz, vivemos a nossa com quem nos diz respeito e deixamos simplesmente que as coisas o sejam sem terem que ser arquivadas no ficheiro x ou postas na prateleira y?

Beijos ;)

PS: Em relação aos comentários que por aqui ficaram... hm.

antiego: já ouviste falar da "escala de kinsey"? google it.

Miguel: é verdade, não são todos os cinzentos da vida que fazem com que ela seja interessante? pior seria se fosse tudo preto e branco. Mas não há que elogiar a bi, a hetero ou a homossexualidade. São porque são, nem melhores nem piores umas que as outras.

executivo_chanfrado: a sua última frase só revela a homofobia latente que nem para si admite.

ccosta: pelo menos a si não é latente. Parece-me daquelas pessoas que por causa de algo se falar muito recentemente é só uma moda e não uma evolução, e não a admite como tal. Lamento que não lide com muita gente com sexualidades diferentes da sua, aposto que teria uma vida muito mais rica.




Gordo comentário que ficou este. Cumprimentos daqui de um blogger conhecido ;)


tsetse @ 12:13

Ter, 30/12/08

 

Ainda demorei algum tempo a perceber quem eras, até porque não sabia que tinhas um blog e muito menos que lias o meu.



Gostei muito do teu comentário. Finalmente a explicação de que eu precisava.

ccosta @ 14:30

Sex, 02/01/09

 

Não me parece que se deva considerar evolução o facto de na sociedade "surgirem" repentinamente sexualidades diferentes, até porque como todos sabemos cada sociedade em determinada época se fez acompanhar de valores morais e éticos de acordo com as suas vivências, experiências e tradições, incluindo as sexuais.

As escolhas sexuais de cada um devem ser encaradas com normalidade, mas têm vindo a ser utilizadas para se "mostrarem e revelarem" ao mundo. Para quê se, como dizem, é a natureza? Parece-me que "qualquer publicidade é melhor que nenhuma publicidade".

M0rg4n @ 15:53

Dom, 04/01/09

 

Não considerei "evolução" o surgimento de "novas sexualidades" (uh?), mas o à-vontade com que actualmente se fala destes assuntos.

Cumprimentos.

nagareboshi @ 19:54

Ter, 30/12/08

 

ate outros animais o fazem porque não nós?

Marcus vinicius de mendonça @ 21:06

Ter, 06/01/09

 

Bom, eu tenho um conceito sobre Bissexualidade um tanto agressivo, Na verdade e tudo uma questao de ver o rumo que o mundo esta tomando, se perdeu muita coisa ou quase tudo, intao bissexualidade e um termo usado para justificar a perda de alguns princínpios, pois nao existe esse papo de meio-termo ou você e GAY ou HETERO...nao tem como tratar o bissexualismo como uma questao biológica, eu nunca conheci ou se quer ouvi falar de uma pessoa que diz ser bissexual desde de jovenzinho..nao existe iss,, e tudo uma produçao, acaba se produzindo isso na cabeças de algumas pessoas que nao tem tanta certeza de quem realmente sao !
Grande parte das pessoas estao com a mente um tanto volúvel sem personalidade própia ou seja (Uma pessoa fez e gostou,entao vou ver se eu gosto) e acaba fazendo nao por uma questao de prazer, mas sim por uma questao de momento...enfim isso e um assunto muito serio que rende muitas horas de dabate..

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D