tsetse @ 16:17

Qui, 23/10/08

Eu não tenho nada contra as pessoas que deixam de trabalhar para criar os filhos, dedicar-se ao marido ou ajudá-lo nos seus negócios. É uma opção e acredito que seja até uma experiência muito enriquecedora, visto que, na sua maioria, as mulheres sentem um grande prazer em ajudar. Desde que (e esta é a questão essencial) o marido tenha capacidade de lhe proporcionar uma situação económica e um futuro semelhante ao que ela teria se não estivesse a dedicar-se a ele.

Quando o meu avô se casou com a minha avó, ela era professora primária. Ela deixou de trabalhar para se dedicar à família, mas o meu avô sempre fez questão de descontar a sua segurança social, de lhe fazer um plano de poupança reforma e de criar uma conta poupança só em nome dela. Hoje, que o meu avô já não está cá, a minha avó tem o privilégio de ter duas boas reformas e viver bem. As viúvas, mesmo que não tenham descontado, também podem receber uma reforma de viuvez. Mas e aquelas que se dedicaram anos ao marido e, de repente, o vêem fugir, não para o céu, mas para outras paragens? Ficam sem nada.

Ainda noutro dia li que uma grande parte da população que vive abaixo do limiar da pobreza é constituída por mulheres idosas que nunca descontaram e que foram abandonadas.

Para além destes casos mais drásticos, protagonizados por mal agradecidos imbecis, há ainda outros mais camuflados como, por exemplo:

1. Os que conseguem que as mulheres que trabalham dentro e fora de casa paguem as despesas da casa e o supermercado com o seu ordenado e vão amealhando (ou divertindo-se com) o seu ordenado. Dentro deste grupo, ainda há aqueles que têm a lata de, no dia do divórcio, passar todas as poupanças para a conta do irmão;

2. Os que que não ajudam nada em casa, por trabalharem horas a mais, e por isso conseguem ter um ordenado muito superior ao dela (que tem que sair do trabalho às 17h para ir buscar o miúdo à creche e tratar da vida dos dois) e que dividem as despesas a meio e usam o seu chorudo ordenado para fazer uma conta poupança ordenado só para eles;

3. Os que pedem às mulheres para trabalharem em negócios deles (às vezes, sem lhes pagar) e depois desaparecem; etc.

Por estes e outros casos que tenho ouvido ultimamente, só tenho a dizer:
O amor é muito lindo, dar sabe muito bem, mas o futuro é incerto. Não tenham vergonha de exigir o que merecem e não se esqueçam de fazer uma poupança só em vosso nome.

Porque, cada vez mais, é raro ouvir um caso como o do meu avô. Parece que o agradecimento e a compaixão estão fora de moda. O futuro está nas vossas mãos.

 

Tsetse



Joana @ 18:28

Qui, 23/10/08

 

ola!!

Ja tinha saudades vossas andaram desaparecidas.

Confesso que sempre que pensa numa vida a dois (nao sao assim tantas vezes quanto isso, mas as que penso...) penso nela com contas bancarias separadas...

Ou porque se um ganha mais do que o outro dá bronca, ou se porque um tem vicios e o outro nao (tabaco por exemplo) sai da conta dos dois o que ao fim do mes dá bem pra eu tb me poder mimar e comprar um ou dois pares de sapatos (dependendo do vicio em questao e do preço dos sapatos logicamente), o facto é que é muito mais vantajoso cada um ter a sua continha e não há cá misturadas nem confusoes :P

beijinhos


tsetse @ 14:14

Sex, 24/10/08

 

Sim, até porque nunca sabemos o que o futuro nos espera... E, cada vez mais, vemos casos de pessoas que "agora estão, amanhã já não", independentemente do estado físico, psicológico e financeiro de quem deixaram para trás...

saga @ 21:39

Qui, 23/10/08

 

Ah, sempre o dinheiro...

Por curiosidade, divorciada ou ficou para tia?


tsetse @ 22:21

Qui, 23/10/08

 

Pode ser que um dia, se a tua mãe ou irmã passarem por isto, tu fiques mais sensível ao problema...

Casper @ 01:14

Sex, 24/10/08

 

Muito Bom comentário...

O meu palpite é que ficou para tia...

A verdade é mesmo essa. Actualmente, as mulheres só vêem dinheiro, dinheiro e dinheiro. Dinheiro para roupas, dinheiro para sapatos, dinheiro para tudo e mais alguma coisa. É incrivel. Este mundo está cheio de TIAS PATINHAS. É vê-las a torrar o dinheiro dos maridos no Cascais Shopping e no El Corte Inglês até que um dia os maridos lhes chamam à atenção que estamos num momento de crise e que elas devem conter-se nos gastos. E aí elas desaparecem porque os maridos já não conseguem dar-lhes o nivel de vida a que estavam habituadas

Vejam lá se alguma vez falam das fortunas que os maridos têm que pagar às mulheres aquando dos divórcios. DIsso já não falam porque desde que as mulheres tirem beneficios desses contratos, nem é preciso mencionar o assunto.

É triste que caminhemos para uma sociedade cada vez mais materialista. É sem dúvida, um processo sem retorno...



tsetse @ 12:13

Sex, 24/10/08

 

Tias patinhas a gastar dinheiro no cascais shopping? Ai, que este rapaz não leu livros da disney na sua infância! Tio patinhas a sério não gasta dinheiro.

Quanto a palpites, cada um faz o que quer... Eu palpito que tu sejas um idiota.


Casper @ 18:01

Sab, 25/10/08

 

Palpitas e palpitas bem. Desde já agradeço os elogios…

Tens toda a razão quando dizes que o Tio Patinhas não gasta dinheiro. Mas vou “desenhar-te” o meu raciocínio.
O Tio Patinhas e as Tias Patinhas são ambos obcecados por dinheiro. Contudo, enquanto o Tio Patinhas preocupa-se em guardar o dinheiro, as Tias Patinhas divertem-se a esbanjá-lo. E é aqui que ambos divergem…

Nas sábias palavras de Gustave Flaubert, “o que o dinheiro faz por nós não compensa o que fazemos por ele”


tsetse @ 20:09

Dom, 26/10/08

 

Continuo sem perceber a ligação entre essas "Tias Patinhas" e este post. Aqui fala-se de dinheiro para ter uma vida digna: com dinheiro para pagar a casa ao fim do mês, comida, medicamentos e prever uma velhice sem preocupações. Fala-se de injustiças. Se queres falar sobre futilidades, recomendo este post:
http://internofeminino.blogs.sapo.pt/68561.html

Anónimo @ 14:04

Sex, 24/10/08

 

Saiu-me a lotaria e ando à procura de donzela prendada e casadoira para namoro e, quem sabe, algo mais ;-)

M.V. @ 14:07

Sex, 24/10/08

 

Pois, também conheço um caso assim... e não é fácil ver uma amiga doente, sem dinheiro para nada, enquanto o marido vivia em grande com o dinheiro poupado à custa de ter vivido parcialmente à conta dela. Não é uma questão de ter dinheiro para comprar mais ou menos sapatos, como foi aqui dito num comentário. Esses casos são irrelevantes. O pior é quando são casos de sobrevivência ...


tsetse @ 14:16

Sex, 24/10/08

 

Exacto! É precisamente para evitar mais casos como esse, que escrevi isto. Se salvar uma mulher da miséria com este post, já terá valido a pena.


antiego @ 14:34

Sex, 24/10/08

 

Parabéns por este post e pelo vosso blog.

Há tanta merda nesta blogosfera que este blog é um verdadeiro Oasis.
Então blogs femininos com mulheres idiotas a falarem de sexo, é o que está a dar.
Parabéns.


tsetse @ 16:03

Sex, 24/10/08

 

Obrigada pelo elogio, antiego.



Puss @ 15:04

Sex, 24/10/08

 

Eu nao me imagino sem o meu rico emprego fora de casa. Gosto mto da independencia que me da quer em termos financeiros, quer em termos psicologicos. Se alguma vez tivesse de depender de um homem para fazer o quer q seja acho que teria uma depressao. Mas o facto e que, se formos falar em bondade e amor incondicional mais facilmente o encontramos do lado dos homens do que das mulheres. Namorei com uma pessoa que vou elogiar como sendo um excelente homem no que respeita a forma de tratar uma mulher. E aquele tipo de homem que prefere uma mulher independente, nao por ter medo que lhe suguem o dinheiro todo mas pq sabe que em principio isso faria dela uma mulher mais confiante e feliz. E o genero de homem que seria tambem capaz de sustentar financeiramente a sua respectiva e os rebentos que tiveram em comum sem nunca cobrar nada por isso. E o genero de homem que faria o tal plano financeiro para a respectiva etc etc mas tambem a iria incentivar para progredir intelectualmente, profissionalmente. E apesar de eu saber que grandes homens gostam de mulheres com objectivos de vida, lutadoras e independentes sei tambem que nenhuma ou qse nenhuma mulher faria o mesmo por um homem caso a situaçao fosse inversa. Por questoes culturais ou nao, a verdade e que somos mto egoistas nesse aspecto. Muitas de nos escolhe o parceiro em função da capacidade que ele tem de nos proteger não so sentimentalemnte mas financeiramente tambem. Fomos sempre ensinadas desde os tempos da maria cachucha a tentar arranjar um companheiro bem posicionado na vida. E claro que tambem ha aquelas personagens que parece q compraram uma mulher pa ter em casa a fazer a limpeza.....mas la está.....quem n esta satisfeito que se mude....nada impede a mulher de se divorciar, memso q fique sem nada, e começar de novo, arranjando um emprego......antes viver com menos luxos do que sujeita aos maus tratos psicologicos de um homem. As mulheres q ficam em casa, so ficam pq querem, pq assim escolheram ou arriscaram. As que para alem disso deposi ficam a chuchar no dedo é pq escolheram mal o parceiro.

A minha mae so tem o secundario e sempre disse ao meu pai q so se casaria qdo arranjasse um emprego, que n queria ficar dependente dele financeiramente e assim foi durante 30 anos. Neste momento, com uma certa idade, optou por ficar em casa e o meu pai assim a apoio. E tambem obvio que ela nao tendo tanto dinheiro como o que tinha qdo estava empregada nao se ia meter no shopping e a gastar o do meu pai........mas ele tambem nao a trata como uma domestica. Ainda tou para ver uma mulher a aceitar a decisao de um marido ficar em casa sem ganhar um tostao, mesmo que este lave a roupa, cozinheo e faça essas coisas todas......lol. Não vou dizer que é por mal.....é apenas cultural.....

Infelizmente existem ai homens que ja procuram a companheira pelo dote......e que tal como algumas mulheres, vivem de golpe do bau em golpe do bau.....como no filme viuva negra.....caçam a presa....dao o golpe....e saiem de bolso cheio.....


Puss @ 15:27

Sex, 24/10/08

 

Mais uma coisa.....em relação a esses casos extremos de mulheres que ficam a viver em mto mas condiçoes deposi do casamento acabar e do marido ter juntado o dinheirinho dele e ter ficado bem na vida enquanto estavam casados e depois do divorcio....Acho que se realmente se preocupam com esssas situaçoes estao a aborda-las de forma errada pq o problema n se resolve por andarmos ai a dizer mal desses sacanas sem escrupulos. O problema resolve-se chamando as cabecinhas femininas a razao e educando-as de forma diferente. O mar de rosas n e para sempre e algumas personalidades so se revelam qdo ja e tarde demais por isso nao ha nada como gostarmos mais de nos do que de outra pessoa, e prevenir o pior, apostando na nossa educaçao e independencia. Esta mal é essas tantas mulheres que por ai andam nos tempos q correm ( nao me estou a referir a geraçoes passadas, estou a referir-me a mulheres que com tantas coisas q por ai ouvem ainda acreditam no conto de fadas eterno ) sem se protegerem para o caso de uma situaçao semelhante.

Tambem acho idiota da parte de alguns homens q aqui deixaram comentario, dizer que tudo o que nos move e o dinheiro........escolhem as companheiras pelas pernas em vez de ser pelo cerebro e depois admiram-se de apanharem com sanguessugas.....

Um exemplo n relacionado com dinheiro, e um caso real de um homem q deixou a mulher para casar ir ter com uma brasileira. Qdo voltaram do brasil ja ela estava de bebe. Na altura do parto o miudo teve complicaçoes e precisou de uma transfusao sanguinea...........JA ESTAO A VER O FIM A HISTORIIA?......fizeram-se analises e tal........O FILHO N ERA DELE.....ohhhhhh lol.....isto contado pela mulher q foi deixada de forma escabrosa por um homem idiota.


tsetse @ 16:07

Sex, 24/10/08

 

Sim, Puss, tens razão: temos que educar o máximo de "cabecinhas femininas" para a eventualidade de algo correr mal. A ideia deste post era precisamente essa... Mas não consegui deixar de dar a minha opinião no meio, eheh...


Casper @ 18:22

Sab, 25/10/08

 

Cara Puss

Apenas quero dar-te os parabéns pelo teu post.
Haja uma mulher que diga realmente como as coisas são na realidade e que descreva como a maioria das mulheres pensam na actualidade.

E não descuro a parte em que te referes ás atitudes de alguns homens porque também há aqueles que falham nas suas obrigações.

Para finalizar, é claro que as mulheres não se movem apenas pelo dinheiro, mas cada vez mais, esse é o principal critério de avaliação dos homens.

AnónimA @ 15:34

Sex, 24/10/08

 

E tudo gira à base do dinheiro...

Por acaso tens bem razão do que dizes. Sei de muitas situações em que senhoras idosas ficavam em casa a tomar conta dos muitos filhos que, naquela altura se faziam e agora muitas delas nem sequer sabem do esposo, pois ele simplesmente desapareceu e elas ficaram sem nada e com uma dezena de filhos para criar...

São casos e tempos complicados, é verdade, mas, graças a Deus que hoje em dia as mulheres não estão confinadas às tarefas domésticas e têm o seu próprio emprego do qual, em alguns meses, podem tirar um bocadinho que seja para oferecerem um miminho a elas próprias.

Penso que o casal deve ter o dinheiro e as poupanças em comum e andarem sempre a conversar ou se um abusar ou se o outro abusar dos gastos despropositados... e não venham cá dizer que isso são as mulheres porque, hoje em dia, os homens também são uns grandes gastadeiros :) (beleza, carros, motas, computadores, roupa...)

Por fim, resta-me comentar que quem casa pelo dote acaba por perder o melhor da vida que, ao contrário do que muitos pensam, é mesmo o amor!

Tinha saudades vossas =)


tsetse @ 16:09

Sex, 24/10/08

 

Tens toda a razão AnónimA!
E... também tínhamos saudades tuas.


Kika @ 15:37

Sex, 24/10/08

 

Subscrevo na íntegra o Interno Feminino, nada contra em relação às mulheres que decidem abdicar da sua vida profissional (apesar de ser algo que eu não faria), desde que com isso não fiquem penalizadas.
PARABÉNS pelo post !

Nelson @ 23:55

Dom, 26/10/08

 

Boa noite,

É a primeira vez que deixo aqui um comentário neste blog. Acho este blog interessante apesar de um pouco exagerado, mas eu sou um bocado (muito) cru nestas coisas. Logo não posso opinar muito. Só acho que cada caso é um caso e mais nada.
Já agora gostaria de perguntar à Tsetse o que é que ela acharia se fosse o homem a abdicar da carreira profissional para ficar em casa a tratar do filhos?


tsetse @ 10:33

Seg, 27/10/08

 

Olá Nelson. Acharia exactamente o mesmo. Não tem a ver com sexo, mas com justiça.

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D