TNT @ 00:07

Ter, 09/09/08

Ando um bocado preocupada com a nova geração de garotas que anda por aí...

De todas as gerações devida ou erradamente identificadas como X, Pepsi, Rasca ou Whatever, não as vejo encaixar em lado em nenhum. A não ser, talvez, numa nova geração M de malcriadas, S de sem classe, B de baixo nível ou I de infelizes.

No meu local de férias, assisto a uma cena de chegada de um jantar de quatro miúdas giríssimas, elegantes, bem-vestidas e cheias de pinta. Observação de uma delas: “eh pá, vocês são cá umas c*nas!” Ehhhh... aquilo caiu-me tão mal a seguir ao jantar...! Lá teve de vir um chá de cidreira para acalmar o estômago...

Tinham todo o ar de meninas de Cascais, mas rapidamente as identifiquei como rascas de Cascais.

Será que as mãezinhas delas não lhes explicaram que o facto de serem mulheres acarreta mais responsabilidades a todos os níveis? Ou será que as mãezinhas também mandam umas caral**das, enquanto chamam pelo Salvador, pelo Martim e pela Matilde? “Cab*ão do Bernardo que não há maneira de chegar... F*da-se!”

É que isto não é só serem convidadas para as festas da Silly Season. Há que se saberem comportar, mesmo quando o jantar não caiu bem. A azia é lixada mas experimentem Kompensan. Dizem que é bom!

 

TNT
 



Paloma @ 00:55

Ter, 09/09/08

 

concordo plenamente ctg...apesar de viver no Porto e de mts amigas tratara-se entre si por p*** e a palavra f***** ser tão banal como dizer "Olá" há coisas q por nós ñ devem ser pronunciadas...


TNT @ 01:10

Ter, 09/09/08

 

É claro que não defendo que sejamos umas donzelas intocáveis etc... Só acho é que no meio de uma data de gente, desatar neste vernáculo, não abona nada a nosso favor.
As miúdas, que eram giras que se fartavam, conseguiram rapidamente perder a graça toda... Os homens presentes comentaram logo o nível (baixo) das criaturas... É assim!

ruben @ 01:12

Ter, 09/09/08

 

as meninas de cascais já há muito tempo que, não só já não moram lá, como passam férias nas ilhas privadas das amigas ou amigos, voam em jactos privados e passam a maior parte do ano no estrangeiro (estudam na suiça, em inglaterra ou nos estados unidos, já no meu tempo era assim). só o mordomo e os criados ouvem as carvalhadas que dizem á porta fechada. no máximo vão para o sul de frança, mas aí só os imigrantes portugueses que as servem é que podem entender um ou outro palavrão que possa jorrar das suas bocas desenhadas de boneca. hoje em dia tropeçar com frequência em lebres que miam é uma realidade desagradável. já não há cão nem gato que não faça um empréstimo ao banco com o primeiro salário que recebeu para fechar a escritura do t1 que comprou na floresta de prédios que eclodiram nos últimos vinte anos de mandatos do d'argent, do judas e agora do cachucho. é a abundância para todos, para os autarcas corruptos que por lá passaram e para o ego dos suburbanos que para lá foram viver a troco de uma dieta forçada mas com uma ilusão em obesidade mórbida, isto, se é que essas pequenas são mesmo de lá, o que eu, com o devido respeito, duvido.


TNT @ 01:20

Ter, 09/09/08

 

Bom...
A "acção" passou-se na costa alentejana num daqueles turismos rurais... Nada de muito luxuoso, bem sei!
Elas tinham realmente muito bom ar e por isso foi mais surpreendente/chocante/desconcertante...
Se eram de Cascais, não sei. Utilizei a expressão por ser o estilo de menina que apelidamos assim. Aparentemente, claro!

Jameson @ 01:18

Ter, 09/09/08

 

Não é uma questão de pudores... todos dizemos umas car*lh***s de tempos a tempos, e talvez sejamos mais efusivos entre espécies do mesmo sexo.
Talvez nos sintamos mais à vontade.
Agora o nível desce quando há essa mistura de géneros e a descompensação é desconcertante quando ouvimos palavrões onde menos esperaríamos, até uma inconveniência que fosse!
Há que ter limites, para não andarmos todas às cabeçadas lá em baixo na "xafurdice rasca"


TNT @ 01:23

Ter, 09/09/08

 

Pois... o inesperado é que foi meio chocante.
E sabes que não me choco propriamente com muita facilidade.
Achei mesmo rasquinha; desnecessário, inadequado, inapropriado, foleiro, manhoso....
Eu acho que, por sermos mulheres, temos (ou deveríamos ter) necessariamente mais responsabilidades, classe, nível, interesse e até direitos e deveres! Estas miúdas desarmam tudo!
Fiquei francamente decepcionada.... embora saiba que as coisas são mesmo assim.

Miguel @ 09:47

Ter, 09/09/08

 

Parece que é regra: as mulheres obtêm a igualdade muito facilmente em tudo o que é negativo.
Mas há outras que até nisso vêm com opiniões da década de 40 ou 50 do século passado.


TNT @ 14:33

Ter, 09/09/08

 

Eu nasci na década de 60... deve ser por causa disso!
Eu não defendo a igualdade de direitos. Acho que as mulheres devem ter mais Deveres e Direitos. Porque se houve mulheres que se sacrificaram durante séculos, devíamos, pelo menos, respeitar o trabalhinho que foi feito...
As meninas deviam, acima de tudo, respeitar-se mais a elas próprias.

pinkcode @ 10:51

Ter, 09/09/08

 

I clap that post!!!!

Já me vi enredada no meio disso e é degradante... é de fugir...
Não conheço muito da realidade do Sul... mas aqui a Norte... rapariguinhas muito bem vestidinhas e muito arranjadinhas, mas que abrem a boquinha e são uma broeiras... não se pode...
Eu acho que o problema é mesmo esse, a educação! Os papás hoje em dia deixam fazer tudo e conferem muito poder às crianças, que pensam que são o máximo! Pensam que são extraordinarias!!!
Os pais anulam-se por elas, e as criancinhas dão nisso... em mal criadas, em baixo nivel.
É degradante...

PM


TNT @ 14:36

Ter, 09/09/08

 

Pois...
O demasiado respeito pela "personalidade" das criancinhas dá nestas situações.
Esquece-se a educação, a formação e tudo o que é importante.
O que importa são as roupinhas, as festas e as restantes parvoeiras. Elas não percebem que estalam o verniz todo e lá se vão as roupinhas pelo ralo!

teresa @ 12:59

Ter, 09/09/08

 

este não é bem um comentário é mais um pedido: procuro casais que não queiram ter filhos para um trabalho jornalístico (Única) até agora só consegui casais que não querem dar a cara em fotos, o que não me serve de muito. O objectivo é fazer um trabalho pedagógico onde fique claro que esta é muitas vezes uma opção responsável e não apenas um sinal de egoísmo como mt se faz crer. Há mt gente que tem filhos só porque os amigos os tiveram tb e essa opção é bem menos responsável. Mas, para que haja pedagogia, é necessário que os casais assumam essa opção com naturalidade e não tenham pavor de dar a cara. Se alguém conhecer um casal assim que não se importe de aparecer. Por favor avise...


TNT @ 15:25

Ter, 09/09/08

 

Se quiser, poderá contactar-me através de tnt.bombastica@gmail.com.
Aliás, esse tema já foi aqui abordado em http://internofeminino.blogs.sapo.pt/49653.html e com certeza que a poderemos ajudar. Bom trabalho!

Anónimo @ 13:18

Ter, 09/09/08

 

Para mim, é uma questão de falta de educação.
E, lá está, os olhos enganam e muito. Essas raparigas girassas e todas jeitosas depressa se revelaram aquilo que a "nata" portuguesa tem de melhor.
E assim vamos vivendo...


TNT @ 14:36

Ter, 09/09/08

 

Completamente... que tristeza!

MartiSSima @ 14:07

Ter, 09/09/08

 

Na minha opinião tudo tem a ver com saber estar em sociedade que vem da nossa formação.

Se essas ditas meninas tivessem ido jantar de cinto de ligas, causavam o mesmo impacto chocante mesmo que falassem com bons modos cheias de Fs e Rs.... Não tem a ver com o vocabulário...

A mesma frase noutro contexto e noutro ambiente estaria enquadrado, assim como o cinto de ligas (noutro ambiente seria o apropriado).

Se antes as miudas giras, bem vestidas e cheias de pinta só podiam ser de 'boas familias' porque vestir-se bem implicava gastar-se um dinheirão nos dias de hoje qualquer um pode vestir-se bem sem gastar muito, generalizou-se... já ninguem tem de viajar para comprar umas simples levis, há à venda nas feiras por 20 euros...

Se antes passar férias num local turistico era previlégio de uma certa classe, hoje só fica em casa quem quer. As facilidades de pagamento, as low costs, os pacotes de férias a pagar a perder de vista abriram as portas a que toda a gente tenha acesso a ir a Cuba ou à Republica Dominicana...

O que eu quero dizer é que não se pode julgar a educação duma pessoa pela aparência, ou por se encontrar num determinado sitio a passar férias...

Existem 'wanna bes' em todo o lado, os Salvadores, os Martins, as Carlotas e as Beatrizes não são exclusivos de uma classe.

Se antigamente por te chamares Matilde e por te vestires de ralph lauren era sinónimo de riqueza, hoje já não é assim... e ainda bem....

Pode ser que um dia se comece a olhar para o interior das pessoas sem o 'ruido' do exterior.

O episódio que contas e que tanto te chocou TNT, serve para percebermos que o local, o nome e a aparência não diz absolutamente nada sobre a formação das pessoas.


TNT @ 14:37

Ter, 09/09/08

 

Claro que a aparência não diz nada das pessoas. E mais uma vez se provou isso. A verdade é que todo o contexto não pedia uma situação daquelas. Não fazia qualquer sentido...


Inocêncio da Silva @ 14:09

Ter, 09/09/08

 

Lembro-me do meu tempo de adolescente em que a minha geração era apelidada de "geração rasca" por sermos desprovidos de ALGUNS valores morais...
Hoje vejo os netos desses auto intitulados moralistas a fazer coisas que a dita "geração rasca" nunca ousou fazer.
Os netinhos dos pseudomoralistas são COMPLETAMENTE desprovidos de valores, moral e até de vocabulário visto usarem uma linguagem que alterna entre o palavrão e a abreviatura e que eu, sinceramente, simplesmente não consigo decifrar...talvez por eu ser da geração rasca, sei lá!!!
Nota-se mais nas "moranguitas" mas os "moranguitos" também não deixam o seu crédito por mãos alheias...


TNT @ 14:41

Ter, 09/09/08

 

Eu sou da geração Pepsi... salvo raras excepções, ainda não temos netos. Porém, é assustador o que pode vir por aí.
Nunca vi os moranguitos mas farto-me de ouvir as minhas amigas que têm filhos a chegar à adolescência a falarem disso com alguma preocupação.
Porém, o mornagos são apenas um produto daquilo que as pessoas querem e daquilo que vende. Não existe oferta se não houver procura... o que é francamente alarmante!


Inocêncio da Silva @ 17:33

Ter, 09/09/08

 

Xiiiiii à que tempos que não ouvia essa expressão...
"Geração Pepsi"...


TNT @ 19:06

Ter, 09/09/08

 

Está no post...
Logo na segunda linha! Ai, ai, ai! Não andamos a ler com atenção!

MartiSSima @ 15:04

Ter, 09/09/08

 

Pois Inocêncio eu tb sou dessa geração dita 'rasca'... masssss sobre isso eu costumo dizer que rasca era a geração dos nossos pais ... bastava falar inglês e ter viajado umas duas vezes que com a ajuda das passagens administrativas e meia duzia de tostões tinham a oportunidade de 'enriquecer' (mas muitos não fizeram por isso eu os chamar de rasca)... nós tivemos que estudar e nos esforçar muito mais para sermos 'alguem' depois dos tremendos disparates que a geração acima fez com o pais que herdámos.

Essa geração ainda pode viver da segurança social que esta geração 'rasca' paga.... nós se não nos pormos a pau com as gerações que vêm ai e fizermos um pézinho de meia para a velhice bem podemos pensar em dedicar-nos à pesca...


TNT @ 15:06

Ter, 09/09/08

 

Ah pois!
PPRs com fartura senão estamos todos lixados!

Miguel @ 16:25

Ter, 09/09/08

 

C'um catano.
Não só tivemos o tremendo azar de ser apelidados de "geração rasca" como, por aqui se vê, ainda tivemos que ficar traumatizados por isso.
TNT, sff, promove aí um debate para ver se afastamos de vez esse fantasma.
Fomos ou não rascas? E as outras gerações, já nascidas em Democracia, foram ou são mais frutuosas em valores e em graus de sucesso do que a nossa? Que hipóteses tivemos de ser mais bem sucedidos?


Inocêncio da Silva @ 17:32

Ter, 09/09/08

 

Lamentavelmente estes "morangos-que-nem-com-açúcar-lá-vão" são uma sombra do que nós fomos...

Casper @ 11:38

Dom, 28/09/08

 

Ora aí está.

Em duas frases resumiste tudo.

Subscrevo inteiramente as tuas palavras

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D