TNT @ 00:34

Sex, 11/01/08

Comentava-me uma amiga, que andava toda entusiasmada com um certo moçoilo e que parecia ter voltado à adolescência: mal dormia, experimentava dez vezes a roupa antes de sair para o trabalho, sentia várias borboletas no estômago e o coraçãozinho a bater desalmadamente, de cada vez que o telemóvel tocava.

Enquanto a coisa anda ali no vai-não-vai, no chove-não-molha e outros aforismos do género, é o total desatino de emoções, descontrolo hormonal traduzido muitas vezes em falta de apetite - o que pode ser altamente benéfico, diga-se de passagem! - e um turbilhão de pensamentos, que julgo que já todos sentimos, por isso nem me vou alongar mais na descrição.

Até ao primeiro encontro, normalmente concretizado numa boa refeição, não há úlceras que resistam à confusão. E mais, que é feito do apetite para partilhar o repasto? Normalmente bebe-se qualquer coisa para descontrair e não se notar que trememos como varas verdes, o que sem nada de jeito no estômago, pode não ser a atitude mais inteligente. Believe me, I know! Adiante...

O primeiro encontro será o culminar de todas as expectativas e fantasias que andámos a alimentar. Raras são as vezes em que se realizam, convenhamos. Ou porque o rapazinho trocou o talher, ou porque aquele pedacinho de espinafre teima em permanecer na dentadura da menina, ou porque ele se riu de menos ou porque ela se riu demais, a longa metragem idealizada ao longo da semana, poderá tornar-se rapidamente numa daquelas curtas manhosas, em V8, já para não falar, num filme de terror série B.

Tal como acontece com a primeira noite de sexo onde normalmente sobram braços e pernas, não se deve esperar muito do primeiro encontro. As pessoas estão normalmente nervosas, a representar papéis que julgam ser os correctos, demasiado preocupadas em agradar e pouco recordadas daquilo que são. Todas as certezas e seguranças se esvaem junto com o líquido dos copos e recorrentemente se cometem erros que podem custar um possível e agradável relacionamento.

Para a coisa correr bem, parece-me que o melhor será sermos nós próprios, mais bem vestidinhos, mais sorridentes, menos nervosos, ficando com a certeza de que se não gostaram da personagem assim, a coisa nunca poderia resultar. Sim, porque podemos disfarçar um dia ou dois, mas mais do que isso, é só para Robert de Niros ou Meryl Streeps.

E como eu costumo dizer, “não gostou? há mais quem goste!”

TNT


Mike @ 01:56

Sex, 11/01/08

 

Normalmente, os meus primeiros encontros resultam num quase natural quebrar do gelo que consigo pela quantidade de disparates que faço, não porque tenha essa vontade - que não tenho - mas porque enquanto tento, mentalmente, antecipar o movimento seguinte ou recapitular os procedimentos supostamente correctos (entenda-se, "o que vou dizer", "o que será que ela está a pensar", "será que ela gosta daquele restaurante", "será que apertei o fecho das calças"), acabo sempre por cometer alguns disparates que ou vão deitar logo tudo a perder, ou vão permitir criar o à vontade. Da última vez, esqueci-me de pagar o parque antes de tirar o carro. Entramos no carro para ir jantar e quando cheguei à cancela do parque, percebi que não poderia sair. Para ajudar, tive que fazer toda a rampa manhosa do parque de marcha atrás. Parei o carro e pedi-lhe que esperasse enquanto eu ia pagar. Dois pensamentos ocorreram-me: 1º- Sou um anormal!, 2º Pelo menos se estiver mal impressionada, pode ir embora e, quando eu regressar ao carro, compreenderei se ela já lá não estiver. Mas estava! Ah! Chego sempre atrasado a todos os encontros (a minha vida anda atrasada há já algum tempo). Se a pessoa se arrempeder, tem sempre mais meia hora para pensar em se pisgar!
Ó TNT, só não percebo essa de "mais bem vestidinhos". Eu ando sempre bem vestido. Nunca sei quando me vou cruzar com a Tsetse da minha vida, pelo que o melhor é andar sempre arrumadinho! Absolutamente de acordo quanto ao sermos sempre nós próprios. "Não gostou há mais quem goste" não faz parte do meu pensamento. Eu sou mais do "olha a estúpida da anormal que não gostou. Tem a mania que é esperta, é o que é. A princesinha!" (agora a sério, sou mais de pensar que se arrisco, se vou a jogo, posso perder. A derrota é o único resultado que tenho como garantido, a partir daí vou jogar para ganhar. O pior que me pode acontecer é ficar exactamente como estava antes.


anikin @ 02:48

Sex, 11/01/08

 

Amem!

Querida TNT, tu por vezes és tão sábia...

Allie @ 08:37

Sex, 11/01/08

 

Como eu adoro os primeiros encontros, ou tudo o que existe até que eles aconteçam. É normal nos primeiros minutos, vá lá 1ª hora, o pessoal ainda estar nervoso, mas se houver porntos em comum e vontade, com ou sem vinho (eu não bebo alcool) começa-se a descontrair e a aproveitar o momento. Excepto, talvez, se realmente a fasquia estiver muito elevada e cada coisinha fora do sitio se torne um tormento.

gomesh @ 08:59

Sex, 11/01/08

 

Nem mais!
A meu ver os problemas dos primeiros encontros resolvem-se se olharmos para os mesmos apenas como "one night stands"... não vai durar, mas enquanto dura vou-me divertir... comigo esta forma mais descontraida acaba por retirar todas as expectativas que por vezes se criam, depois... logo se vê!


Inocêncio da Silva @ 10:44

Sex, 11/01/08

 

Sempre incisiva, sempre actual, sempre pertinente, sempre TNT...

Esse nervosismo fomentado pela elevada expectativa que se tem nos primeiros encontros, é directamente proporcional com a dimensão do alvo da mesma. Isto é, se a febra é de excelente qualidade o receio de deixar mal o "ego" é enorme. Nós gostamos de por peso nas nossas próprias costas por assim dizer, mas desde que valha a pena.

Vá lá TNT, dá um desconto afinal de contas quem é que não se deixa entusiasmar com um brinquedo novo? e quem é que nunca estragou nenhum a tira-lo da caixa ou a desembrulha-lo?

Somos todos crianças desajeitadas que gostamos de brinquedos...que variam com a idade.

S.Pedro @ 16:31

Sex, 11/01/08

 

Primeiros encontros..... A pois é !!! Isto com a idade parece que se vai perdendo o jeito (falo por mim!)...

Depois de passado aquele momento do "Não sei se fique, não sei se fuja", estou como o Mike: o pior é ficar é na mesma (como a lesma!) :-)

Bjo


Nuno_Ferreira @ 15:35

Sab, 12/01/08

 

Ora aí está.. É que nem preciso dizer nada :p LOL Meus amigos.. Expectativas é para outras coisas na vida.. Um aumento no salário, uma nova oportunidade de trabalho, o autocarro que vai chegar mais cedo e que não vamos perder, a gasolina a não aumentar.. LOL

Nas relações, não vale a pena esperarmos nada, somos o que somos e a outra pessoa é o que é.. Ou há "clik" ou não há.. E a vida ensinou-me que realmente, se há quem não goste, também há quem adore ;) LOL
Quem gosta gosta, quem não gosta não come.. (Salvo seja) :p

Beijinhos TNT, abraços pessoal!!!


cigana @ 23:34

Dom, 13/01/08

 

Claro que, a menos que haja muita segurança e muita experiência de vida, num 1º encontro as pessoas esforçam-se por parecer o que pensam que o outro querem que elas sejam. Mais cedo ou mais tarde as máscaras vão derretendo, estar sempre em cena sem se desmanchar é quase impossível, o verniz começa a estalar e a realidade ganha contornos mais nítidos.
E para quê? Afinal todos os príncipes e princesas são seres humanos com as suas falhas.

Porthos @ 14:47

Seg, 14/01/08

 

TNT,

Como diria um amigo meu, deveria haver sempre a oportunidade de ter uma segunda, primeira oportunidade :-)))

Bem, gostei do texto e acho que o nosso mal consiste mesmo nesta capacidade que temos de fazer filmes sem sermos realizadores!!

Com o tempo aprendi a não antecipar problemas, por isso tento (reparem que eu escrevi tento) não ter grandes expectativas em relação a tudo...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

TNT, <BR><BR>Como diria um amigo meu, deveria haver sempre a oportunidade de ter uma segunda, primeira oportunidade :-))) <BR><BR>Bem, gostei do texto e acho que o nosso mal consiste mesmo nesta capacidade que temos de fazer filmes sem sermos realizadores!! <BR><BR>Com o tempo aprendi a não antecipar problemas, por isso tento (reparem que eu escrevi tento) não ter grandes expectativas em relação a tudo... <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>bj</A>


J. @ 13:51

Ter, 15/01/08

 

ninguém pode fingir durante muito tempo algo que não é. é mta pressao

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D