o_inimigo @ 00:01

Sex, 09/11/07

As mulheres... Ah! As mulheres.

A cabecinha caprichosa (nem sempre) o corpinho tentador (às vezes)...
As mulheres são um enigma, lá isso é verdade.
Podemos ficar horas a desafiar lugares-comuns, a atirar acusações, fazer queixas ou justificar diferenças. Que somos diferentes, elas e nós, está bem de ver. Se isso é bom ou mau...

Bem, não vou entrar aqui naquelas comparações parvas nem filosofias baratas. É melhor atirar-me logo aos grandes princípios, às afirmações arrasantes.
Cá vai: na longa história das relações entre homens e mulheres, há dois períodos: antes da pílula e depois da pílula. O resto é opinião.

Antes da pílula estavam tramadas. Tinham de se submeter e eram tratadas como cadelas.
Depois da pílula ganharam direito de cidade, e agora são elas que não querem casar.
Como são mais inteligentes, persistentes e competentes, em breve tomarão conta do mundo. (Está bem, nos países árabes vai levar mais tempo, mas o que são um ou dois séculos nesta ordem de magnitude?)

E depois? Estamos tramados? De facto. Mas podemos sempre fazer uma vasectomia. Ou cortar a pila.

(enviado por José Couto Nogueira)



AlfmaniaK @ 00:45

Sex, 09/11/07

 

...e com grande verdade comento:


Inocêncio da Silva @ 09:52

Sex, 09/11/07

 

Eu substituo a vasectomia por uma lobotomia...
Sempre tem como efeito secundário alguma falta de memoria e mudanças comportamentais. Evito assim andar a chorar pelos cantos sempre que me lembrar deste tempo, e terei a frieza necessária para poder ser consumido de uma forma descartavel.

eusoutiagorolo @ 11:29

Sex, 09/11/07

 

As mulheres estão a segurar a faca pelo cabo ou pela lamina?????


“Uma nova mulher surgiu na viragem do século. As suas prioridades são diferentes: dinheiro, sucesso, poder. Só depois vêm o amor e a constituição de uma família. Sai de casa dos pais para viver sozinha, investe na carreira e tem o primeiro filho depois dos 30 anos.”
Parece-me a regressão do homem e a evolução da mulher, ou será ao contrário?
Hummm, fico com a ideia que é a evolução do homem e a regressão da mulher, pois elas (as mulheres) estão numa fase pela qual já andamos.

Se não vejamos:

- Muitas mulheres abdicam da maternidade, outras partem para uma produção independente, com ou sem o concurso do homem - que posteriormente poderá ser descartado. A mulher dos tempos modernos não deve depender do companheiro. Ela precisa ter a sua independência cultural, social e, sobretudo, financeira e tem um comportamento cada vez mais masculino: é sexualmente agressiva e quer satisfazer os seus desejos sem a «obrigação» da paixão ou do relacionamento.


Ao segurarem a faca pela lamina, estão num processo regressivo, mas tal não afecta o processo evolutivo, pois não só de avanços se evolui, evolui-se com retrocessos. Elas querem sentir/pensar de forma masculina, mas vai demorar a aperceberem-se tal como a nós homens sucedeu que não é o caminho.
E não é o caminho porquê? Porque como nos aconteceu, passamos de um chinelo nos pés ao fim de um dia de trabalho e um sofá de frente para a televisão, para a banca de cozinha e avental (porque percebemos que a mulher tendo emprego, comeríamos mais tarde não sendo compatível por exemplo com os jogos de futebol). Passamos de dar uma nota ao miúdo e vai chatear a tua mãe, para brincar com o miúdo na Playstacion horas a fio numa boa relação pai/filho, tempo de qualidade. Passamos daquela frase feita, “Maria estas tão bonita hoje, que pele tão suave…..”, para amo-te e desejo-te…..devo registar que foi uma das grandes evoluções linguísticas masculinas. Passamos de “Maria domestica”, para “Maria com emprego”, pois faz jeito mais um ordenado em casa para aquele plasma ou para kitar o carro ou mais uns trocados para o casino….e podia continuar com a grande evolução masculina…..

Miguel @ 14:41

Sex, 09/11/07

 

Para as mulheres os homens são, cada vez mais, "aquele monte de porcaria que vem agarrado à pix...";
Para os homens as mulheres são cada vez menos "aquela coisa toda agarrada à c..."
É que agora, nem as mulheres precisam dos homens para gozar a vida (refiro-me às finanças), nem os homens podem contar com uma dona-de-casa a tempo inteiro.
A evolução, sem dúvida, funcionou.
Mas dou razão ao autor deste post: cuidado, senhoras, não repitam a história (ainda que ao contrário). É que nem os homens possuem a capacidade de repetirem sempre a mesma rotina diária (serviço doméstico), nem as mulheres querem (?) ser as sustentadoras da família.
Penso que as novas gerações estão perto do equlíbrio. Talvez seja bom começarem a afrouxar a evolução, para não cair na involução.


TNT @ 14:47

Sex, 09/11/07

 

Muitíssimo bem visto Miguel!

vera @ 16:45

Ter, 13/11/07

 

tou ca com o feeling que essa de cortar a pila deve ser uma soluçao que nao deixaria toda a gente infeliz !

Cláudia @ 15:36

Seg, 19/11/07

 

Cortar a pila é que não!!!! ...quanto ao resto nunca se sabe... mas a verdade é que as coisas estão a mudar drasticamente, é a merecida chegada da "mulher" ao puder!!!
Post desses...quero mais!!
Fiquem bem
Cláudia

Anónimo @ 13:21

Qui, 22/11/07

 

puder e não poder? um acto falhado se (f) puder?

Anónimo @ 22:33

Sex, 23/11/07

 

já vi que por aqui, o sexo comanda a vida...
não corte a pila, por favor! depois anda de saco plástico. que trágico.
as mulheres são como os homens: não comem ninguém.

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D