o_inimigo @ 00:01

Sex, 12/10/07

A Relevância dos Pormenores

Estava um amigo outro dia a tentar explicar-me o que falhou na sua relação e disse:

Já dei voltas e mais voltas e não consigo explicar o que falhou! Começo a pensar que o grande problema foi, ao fim de tanto tempo, eu ainda me esquecer repetidamente de puxar a cortina do chuveiro para trás.

Pois é, cada vez tenho mais certezas que os pormenores são essenciais numa relação!

Com o tempo fui ouvindo não só problemas vindos da cortina do chuveiro, mas também da tampa da sanita levantada, da escova de dentes pousada ao lado do lavatório, da toalha de banho deixada no chão, de ler um livro na cama até tarde, de convidar aquele nosso amigo para beber uma cerveja sem avisar..."and so on".

As mulheres não entendem que no essencial somos uns "brutinhos", uns "rudes" e que ao longo da vida vamos, lentamente, alterando algumas posturas e compreendendo a importância de alguns pormenores, mas nunca deixando de todo a nossa "essência". E porque o fazemos? Porque gostamos de vocês, porque estamos dispostos a mudar, a abdicar de algumas coisas e a tentar o entendimento pela relação e o seu futuro.

Enquanto elas em pequenas brincavam às escondidinhas e às mães e filhas, nós brincávamos aos "tirinhos", às guerras e aos jogos de futebol de tudo ao monte e fé em Deus. Crescemos num mundo sem qualquer romantismo , no meio de típicas famílias  tradicionais e  machistas em que o amor, o romance e a partilha, muitas vezes não tinham lugar.

Começávamos a entender que tínhamos sentimentos com o fogo das paixões de Verão em que com o passar da menina, o nosso coração batia mais forte, em que a música começava a soar de outra forma (Barry White começava finalmente a fazer sentido), em que os cheiros e a simples troca de caricias eram uma overdose sensorial para as nossas hormonas, a qual culminava no beijo e nos deixava num estado letárgico, pelo menos até voltar a rotina das aulas.

Isto tudo para dizer que cada vez compreendemos mais a importância dos pequenos pormenores acima descritos e que estamos cada vez mais atentos aos mesmos, no entanto, vocês mulheres, deveriam dar ainda mais importância e relevância a algo que cada vez acontece mais e faz parte do processo evolutivo acima descrito. Não é por acaso que notamos aquele corte de cabelo que na realidade não se nota, ou aquela cor caju que em (quase) nada difere da Vossa cor natural.

Meninas, está na hora de dar a relevância devida a quando Vos fazemos um cafuné enquanto estão deitadas no nosso ombro a ver televisão, a quando dizemos que estão bonitas antes de saírem de casa, quando compramos aquela prenda e acertamos em cheio, quando ao fim do dia cheiramos o pescoço e dizemos que adoramos o Vosso cheiro, quando ao fim da noite adormecem primeiro que nós e levam um beijo e um afago que valem por mil palavras, quando preparamos aquele jantar, com aquela música e aquele ambiente.....

Meninos, tentem lembrar-se de puxar a cortina do chuveiro para trás e aproveitam cada oportunidade, cada situação, cada momento, para alimentar a Vossa relação porque no final ela é feita de pequenos pormenores, pormenores com a máxima importância!

(enviado por Porthos)


Anikin @ 00:33

Sex, 12/10/07

 

Tudumagandatanga!

Taaaannnnnnngaaaaaaaaaa!

Nem uma mulher deixa um homem por porcariazinhas dessas nem um homem deixa uma mulher.

Claro que, quando já não se ama / gosta / estima / whatever, qualquer desculpa serve para implicar.

Ou seja: o problema do teu amigo (chamemos-lhe Aramis) é um problema de focagem: tem dificuldade em enxergar a dura realidade e ainda arranja desculpas para a outra.

Denial is NOT a river in Egypt.

Mike @ 20:22

Sex, 12/10/07

 

Anikin,
Não concordo nada com o que dizes.
O somatório de várias "porcariazinhas" dessas dá uma grande merda, posso garantir-te.
E não é porque se deixou de gostar, é porque se gosta mas não é possível emendar todas as porcariazinhas que se vai fazendo. Porque A vida exige de nós, quer a nível profissional quer a nível pessoal e, por comodismo ou distração, quando chegamos a casa vamos acumulando porcariazinhas e, um dia, olhamos para trás e vemos que criamos um monte de esterco. Aí, decidimos entre emendar ou deitar a toalha ao chão e assumirmos que não estamos interessados em ter discussões por causa de porcariazinhas que sabemos que não vamos emendar.
Depois, quando alguém nos pergunta «porque é que acabste?», qualquer que seja o teu discurso soa a desculpa, porque aos olhos dos outros é um autêntico disparate, porque como o Porthos escreve « esquecer de puxar a cortina do chuveiro» não é um motivo válido. No entanto, o problema não foi a cortina do chuveiro, mas a discussão que daí adveio.
O que lês aqui no meu comentário, não é uma defesa ao Porthos - que não precisa, pois sabe-se defender muito bem - é um comentário de alguém que viveu essas porcariazinhas.

Quanto ao texto do Porthos, gostei muito.

Porthos,

Parabéns. As "nossas meninas" não precisam de nós para nada, mas têm muita sorte por nos terem cá!!! :-)))))

prf32 @ 09:15

Sex, 12/10/07

 

Gostei...
Uma "tampa" por causa de uma escova de dentes!
hum ....Falta aqui qualquer coisa.
Mas está giro e com imaginação.


Miguel @ 09:38

Sex, 12/10/07

 

Meu, se ao fim do dia lhe cheiras o pescoço e dizes que gostas do seu cheiro, ela vai logo pensar que cheira a suor e que tu está a dar-lhe uma "indirecta".
Risca essa.

Fá @ 10:03

Sex, 12/10/07

 

"Meninas, está na hora de dar a relevância devida a quando Vos fazemos um cafuné ... blá .. blá ... e isto quer dizer exactamente o quê??? Meninas sintam-se gratas porque de vez em quando lá nos lembramos que existem, e resolvemos demonstrá-lo com umas festinhas???.. bullshit !!!

gomesh @ 11:20

Sex, 12/10/07

 

Mas... ainda há homens que deixam a toalha no chão ou a escova de dentes em qualquer lado? Ou pior que deixa a tampa da sanita levantada??
E eu a julgar que já não vivíamos na idade média!
Eu tenho 31 anos e ainda "brinco aos tirinhos" (o belo do paintball ), mas toalhas no chão, casas desarrumadas... não obrigado... afinal somos animais racionais ou irracionais ???

Hailstorm @ 14:08

Sex, 12/10/07

 

Grande Porthos,

De ti não se esperaria outra coisa: Excelente tema, e exímio na abordagem e conclusões.

Mas pergunto-te (e a todos os leitores), quem não tem uma distracção de tempos em tempos?
Teremos que viver em constante alerta para os pormenores ou é nos dado algum espaço de manobra?
Na minha humilde opinião, quando as coisas já não estão bem qualquer desculpa serve, por mais insignificante que seja.
Não vale a pena complicar...quando uma toalha no chão é motivo de discussão, o melhor é procurar outro sitio onde a deixar.

Aquele abraço.

ruben @ 21:21

Sex, 12/10/07

 

eh pá o meu computador está avariado de certeza, tenho de o levar a arranjar rapidamente. é que não consegui ouvir som dos violinos deste post.


antídoto @ 22:53

Sex, 12/10/07

 

Meus amigos, releiam com atenção porque o Porthos sabe do que está a falar.

Sim, está bem, isto não tem nada a ver com aquela questão de serem elas as bombardeadas pelas hormonas e sermos nós a sofrer com os estilhaços.

Mas que é importante, é!

cacau @ 18:07

Sab, 13/10/07

 

Parece-me que não se terminam relações por causa de pormenores... O que eu penso é que se chega a um ponto de ebulição em que usamos desculpas para justificar os nossos actos, que são justificados por uma simples palavra: acabou!
Há um tempo eu terminei uma relação, e disse que foi porque ele nunca me ofereceu flores, porque era o último a ligar-me no meu dia de aniversário e achava absolutamente normal, porque... porque... porque... Na realidade, ele sempre foi assim, e eu gostava dele. Só quando o sentimento acabou, essas coisas se materializaram... Não são desculpas. Não são motivos. São fracas justificações que apenas confirmam o fim de uma relação...
É só a minha opinião...
Parabéns pelo blog, e felicidades (nota: tudo na vida passa, seja a felicidade ou o desolamento...)


anikin @ 00:05

Seg, 15/10/07

 

Exactamente o que eu acho... mas muito melhor explicado.

Tasha @ 11:40

Ter, 16/10/07

 

Quando se pede para não deixar a toalha no chão UMA vez, é pormenor. Quando se pede DUAS vezes, bem, talvez seja pormenor, se entre os dois pedidos se passem dias, semanas, meses... Quando se pede 300 vezes num ano, é falta de respeito por quam a apanha do chão... e falta de respeito já é motivo para terminar uma relação... ou será que não?

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D