o_inimigo @ 00:01

Sex, 28/09/07

Trilogia da Pressão
 

Divido essa pressão em três, poderia dividir em mais, mas o post ficaria demasiado longo.

O que passo a apresentar é apenas uma visão, a minha, do que são as mulheres, do seu sofrimento e das suas falsas expectativas. Não é nenhuma teoria, mas bem o poderia ser, faltam-me apenas os dados estatísticos!

  1. A pressão do matrimónio

Ainda que com a evolução social, o período se tenha estendido, é frequente nas mulheres entre os 25 e os 30 anos a inquietação resultante da pressão que a sociedade – mas acima de tudo elas próprias – exerce no sentido de avançarem para o matrimónio, para a gravidez e, como consequência, o fim de uma vida social activa. Durante este tempo ou à medida que ele vai passando, cada vez mais, as mulheres acabam por não ver este objectivo concretizado. Vão perdendo a confiança e a auto-estima. Tornam-se menos interessantes, entram numa espiral que as leva a manterem-se sempre no mesmo ponto. Não evoluem.

Então o que falha ou falhou? Na maior parte dos casos, as paixões e as relações decorrentes neste período não são sólidas. Coincidem com o início da vida profissional, altura em que se começa a conhecer o sabor da independência financeira, o início de novas relações sociais em novos grupos socioprofissionais e por isso, acabam por levar, principalmente os homens, a uma independência a todos os níveis, para aproveitar – não se sabe muito bem o quê ou como – este novo estágio da vida. Abandonadas numa fase em que a expectativa levava para sonhos maiores, as mulheres ficam desesperadas e entram num circuito fechado, onde tudo esbarrará sempre no mesmo e da mesma forma. Ficam os traumas do passado, as traições, os amores mal resolvidos e, pior, os mal explicados. As que sobrevivem a este período divorciam-se anos mais tarde. Poucas são as que conseguem atingir o objectivo inicial.

 

  1. A pressão da moda

Num destes fins-de-semana, numa saída com amigos, e enquanto via passar um grupo inteiramente feminino pensava na divisão certa para as mulheres:

- as que se sabem encaixar na moda do momento

- as que têm estilo próprio

- as outras

Infelizmente, o que impera são as do terceiro tipo. As outras. As que vivem com a pressão de terem de ter estilo, de estar na moda, mas que infelizmente para todos – elas e nós, os que temos de levar com elas – raramente conseguem. Fazem figuras ridículas. Mais vale a discrição do que chamar a atenção pelos piores motivos.

Depois vêm as que se sabem encaixar na moda, ou porque Deus lhes deu um corpinho que ajuda, ou porque têm uma maior capacidade de sacrifício – sim porque pelo que vejo e ouço, é os sapatos que são desconfortáveis, é as calças onde mal cabem, é o frio que têm que passar porque querem têm que levar aquela camisola ou top que compraram, mesmo que estejam -10º C. Eu admiro esse espírito, essa capacidade de sofrimento e é por isso que são elas que dão à luz, porque se preparam desde cedo para o sacrifício e a dor.

Eu cá prefiro as que têm o seu próprio estilo. Essas, normalmente, têm associado ao estilo, uma classe muito própria, que faz delas ainda melhores. Misturam a moda com aquilo que lhes fica bem, não se pavoneiam, e, embora muitas vezes sejam as mais discretas, são de longe as preferidas da larga maioria dos homens.

 

  1. A pressão das dietas

Este é o ponto que mais me impressiona.

Se hoje uma boa parte das mulheres é infeliz, a pressão das dietas tem uma grande quota-parte de responsabilidade.

Vivem com uma falta de auto-estima incrível. Esquecem-se que o mundo não é perfeito e elas também não. Abrem as revistas e olham para as fotos das supermodelos – aquelas pelos quais nós homens babamos – e não percebem que aquela cor, aquela cintura, aquele peito, aquelas pernas, aquele rabo, tudo aparece firme, a ausência de celulite, tudo, é trabalhado no photoshop, não há defeito que passe sem ser corrigido.

Sacrificam-se pelo corpo. Não comem, não bebem, passam a vida em dietas com nomes de brinquedos, agarradas a chás de ervas daninhas que entretanto passaram a servir para emagrecer. Refrigerantes com nomes de água, com fibras ou L-carnitina, que ninguém sabe para o que serve.

Ginásios que mais parecem a tropa, onde toda a gente faz o que lhes mandam. Não é o culto da saúde, é o da doença! Pelo menos mental! Entendo a saúde como uma forma de bem-estar, mas isto é sacrifício, é sofrimento, mas sobre o sacrifício e as mulheres estamos entendidos!

Em contraponto, existem as que em total desalinhamento, não comem, mas enfardam. Enfardam tudo o que lhes apetece e o que não lhes apetece. Aquelas que parecem o Bibendun (boneco da Michelin) ou a traseira de um camião! Aquelas que dizem «quem tiver que gostar de mim, vai ter que gostar assim!». A essa eu desejo boa sorte. Espero nunca atropelar nenhuma. Teria muita pena do meu carro!

Entre os extremos, ficam aquelas que me encantam. As que têm algum cuidado mas que vivem com prazer, que assumem a celulite como um ligeiro problema mas não um drama, que sabem que aquela pequena barriguinha ou aquele pneuzito tem personalidade, que existem e estão lá porque ficam bem, todos os homens gostam, todos os homens um dia conheceram alguém assim por quem se encantaram…

 

(enviado por Mike)



Susana Oliveira Rodrigues @ 12:30

Sex, 28/09/07

 

Começo a achar que sou uma ave rara... felizmente para mim (e para o mundo em geral) conheço mais algumas aves raras e já vamos fazendo um belo conjunto. Estará a Comunidade Científica prestes a catalogar uma nova espécie?

Mike @ 01:19

Sab, 29/09/07

 

Susana,
Podes ser mais detalhada no comentário?
Fico sem saber que ave rara é essa!

LF @ 15:29

Sex, 28/09/07

 

Cá por mim, lamento, mas não me "babo" com supermodelos escanzeladas.
Acho até que muitas mulheres, fruto dessa imagem mediatizada, fazem uma interpretação errada do seu corpo, da sua beleza e sensualidade, procurando emagrecer quando tal se não justifica.
Para se ser sexy são necessárias carne e curvas. Não apenas ossos, por muito elegantes que pareçam, e por muito que os casacos e as camisas lhes assentem bem..

De qualquer modo, e sem qualquer intuito de ser politicamente correcto, devo dizer com siceridade que a beleza e a sensualidade estão muitas vezes na atitude. Na maneira de estar, de falar, de andar, de se sentar, de sorrir, de viver. Ou seja, no charme - não confundir com sofisticação.
É claro que há casos extremos, que dificilmente conseguem apresentar uma imagem sedutora assim à primeira vista. Mas a maioria das mulheres jovens, com um padrão fisionómico normal,com a atitude certa, bem vestidas qb, consegue ter todos os motivos de interesse.

Mike @ 01:26

Sab, 29/09/07

 

LF,
Entendo o teu comentário como um reforço à minha ideia.
Espero que, de uma forma geral, as mulheres que lerem o texto e o teu comentário percebam o que nós homens gostamos. E é tão simples...

Hailstorm @ 16:05

Sex, 28/09/07

 

"...é os sapatos que são desconfortáveis, é as calças onde mal cabem, é o frio que têm que passar porque querem têm que levar aquela camisola ou top que compraram, mesmo que estejam -10º C. Eu admiro esse espírito, essa capacidade de sofrimento e é por isso que são elas que dão à luz, porque se preparam desde cedo para o sacrifício e a dor." -
Genial, sem a mínima duvida uma das melhores odes ao esforço feminino em encaixar na moda (no verdadeiro sentido da palavra).
Este cantinho do inimigo tem solidificado o orgulho que nutro pela minha irmandade, tal é a qualidade e quantidade artística das dissertações sobre o feminino.
Grande Mike...nada a acrescentar, a não ser este abraço.

Mike @ 01:27

Sab, 29/09/07

 

Hailstorm,
Obrigado.
Retribuo o abraço.

Porthos @ 17:25

Sex, 28/09/07

 

Mike,

Diria que se trata de um post ao nível dos teus habituais comentários, ou seja, muito bom!!

Fico com a ideia de que muito mais havia para escrever.....

Do que mais gostei foi da primeira pressão, bastante actual e infelizmente usual.

Nota: As meninas do Interno não comentam o post?


TNT @ 19:10

Sex, 28/09/07

 

Tão amiguinhos que nós estamos do Mike!
Quanto às pressões: sim, uso mini-saia no Inverno com a bela da collant para não ficar com as pernas roxas de frio; sim, uso saltos altíssimos porque gosto e me realçam as belas pernocas; sim, faço dieta porque quero recuperar a minha linha perdida; sim, etc...
Quanto ao ponto 1: nunca tentei, nunca fiz, já me pressionaram e entretanto desistiram pelo cansaço. Mas foi preciso persistência e às vezes má cara até desistirem...

Anikin @ 00:16

Sab, 29/09/07

 

TNT, só duas obs:

1- É que o Mike fez um Post bastante decente. O primeiro do cantinho do inimigo com que me identifico minimamente;

2- Pelo menos metes a bela da collant. Fiquei chocado em Londres, com 5 graus NEGATIVOS, a ver duas pitinhas de micro-saia de perna ao léu (nadica de nada de meias)... que atéa pele já estava com aquelas manchas azuladas em anel. Não consigo compreender...

Mike @ 01:46

Sab, 29/09/07

 

Anikin,
"Indentifico-me minimamente" - minimamente??
O texto é decentíssimo, diria mais, é a minha cara! Meninas, vai um tipo decente? Ah? Sim? Pode ser? O meu contacto é o 9.......9 (se adivinharem os outros 7 nºs eu meto aqui a morada e dou o nº do visa!).

Mike @ 01:40

Sab, 29/09/07

 

TNT,
Antes de mais, não estava à espera... (you know what i'm talkin' about!)
Para quando uma imagem dessas "belas pernocas"?
Eu acho que o sacrifício moderado é aceitável. Os sapatos altos ficam bem e ajudam à elegância.
Eu também faço dieta para recuperar a minha, por isso, nada de mal, mas sem exageros. Comer saudável só nos torna mais saudáveis e melhora a nossa qualidade de vida.
Espero que as meninas também fiquem amiguinhas do Mike, até porque o Mike está a precisar de amiguinhas!!!!!!!!!!!


TNT @ 12:05

Seg, 01/10/07

 

Mike,
Em relação aos "amiguinhos" estava a gozar com o Porthos. Rivais no amor, adversários da palavra, inimigos milenares e agora juntam-se neste cantinho????
Meninas, aprendam...!

Mike @ 13:25

Seg, 01/10/07

 

TNT,

Como diria o Paulo Bento, eu encaro os rivais com dranquilidade, com respeito e espero sempre que haja fair play.
Quanto ao teu conselho para as meninas, poderias ter sido mais minha amiga e ter escrito «Meninas aprendam a ver a vida com outros olhos. Podem não existir muitos "Mike", mas este deve ser bem tratado! :-))
Não me responde à pergunta «para quando uma imagem dessas belas pernocas»? Por isso, vou ficar na esperança de um dia as poder ver (aqui em imagem, claro!).

Mike @ 01:33

Sab, 29/09/07

 

Porthos,
Havia mais para escrever. O que ficou por escrever pode muito bem ser acrescentado por quem comenta. Tive alguma dificuldade em escrever este texto sem o transformar em testamento. Acho que ficou o essencial.
Agradeço o cumprimento "Diria que se trata de um post ao nível dos teus habituais comentários, ou seja, muito bom!!". Aliás, o que seria deste blog sem os nossos comentários??? :-))


tsetse @ 20:53

Sex, 28/09/07

 

As mulheres sentem mais a pressão do casamento por duas razões:
1. Porque têm um limite de idade para terem filhos (coisa que os homens não têm)
2. Porque as mulheres solteiras com mais de 40 anos são mais mal vistas que os homens na mesma situação.

Já eu e a TNT não nos importamos nada com isso...


Mike @ 02:01

Sab, 29/09/07

 

Tsetse, minha querida,
Tu não vais chegar a saber o que sentem as solteiras com mais de 40 anos e sabes porquê? Porque um dia eu vou chegar no meu cavalo, vou gritar por ti, tu vens à janela e eu, com a voz colocada, digo-te:
«Tsetse, my dear Tsetse, you're my sunshine, you're the love of my life, you're the heat of my summer, you're my full moon, you're my highway to everywhere, so, my dear, be with me for the rest of our lives and let me love you for ever!!" Era lindo!

Anikin @ 00:19

Sab, 29/09/07

 

Finalmente um Post que honra minimamente o "inimigo"!!!

Obrigado Mike!

Mike @ 02:04

Sab, 29/09/07

 

Anikin,
Eu é que agradeço.
Mas essa do "honra minimamente" é que me está a fazer confusão. Tens a certeza que esse "minimamente" não está aí a mais? Lê lá isso outra vez. Ah? Que tal? Não quererias tu dizer "verdadeiramente"? Não quero influenciar-te, mas ficaria melhor. Muito Melhor.


cigana @ 01:02

Sab, 29/09/07

 

1.Não é verdade. O circuito não é fechado. Essas jovens, apesar dos seus relacionamentos falhados, vão evoluindo e vão consolidando a sua estabilidade e segurança. Crescem e amadurecem com as suas experiências. Aprendem à custa dos seus próprios erros e tornam-se mulheres. Tornam-se mais seguras de si, mais interessantes, mais fascinantes. Ganharam personalidade, sabedoria, sedução e jogo de cintura. Souberam manter-se atraentes, tornaram-se até mais belas, na sua plenitude total e sentem que a vida lhes reserva novas oportunidades. E aí esquecem todos os palermas que ficaram pelo caminho e vão desbravar o mundo, sem preconceitos nem pressões. Pouco interessa o objectivo inicial e os sonhos de menina, isso é passado. Sim, talvez algumas acabem em bruxas azedas e despeitadas, mas os cavalheiros também teriam todos conseguido alcançar as suas expectativas iniciais? Ou são agora carecas e barrigudos, estrangulados entre a gravata e o escritório, divorciados perdidos entre amantes, ou frustrados com um casamento de fachada? E ao contrário de nós, não estarão já demasiado cansados, fartos e pesadões para tentar tudo outra vez?

2.Nada tenho a acrescentar. Tiraste-me as palavras da boca!

3.Sem dúvida! É desejável um certo equilíbrio em tudo, mas que homem com H (enquanto não sair o acordo ortográfico…) é que só ama uma mulher por ela ser uma top-model? Pobres dos tipos que não conseguem ver para além das aparências e que basta uma boazona de formas voluptuosas e com roupinha a condizer para os pôr a ganir, nem que a coitada não saiba alinhar duas frases de jeito! É evidente que digo o mesmo do inverso…


GriM ReaPer @ 14:15

Sab, 29/09/07

 

comentarios para que? esta tudo dito.


Vera @ 20:18

Sab, 29/09/07

 

Gostei deste post do Mike. Mt bom mesmo.
Fiquem bem.


Lua de Sol @ 01:22

Seg, 01/10/07

 

Eu cá achei o post muito verdadeiro e o Mike uma delícia!
Realmente, quando era miúda passava um frio de rachar quando ia à discoteca, havia aquele lema de que tinha que se vestir algo diferente do que tinhamos ao jantar! Mas sempre tive um estilo muito próprio. Agora, mais crescidinha, gosto de dar nas vistas (quem não gosta?!) mas o conforto pessoal já pesa!
Tenham confiança em si, meninas! Isso sim, torna-as radiosas!
Bjs

MIke @ 13:35

Seg, 01/10/07

 

«... e o Mike uma delícia!»
Bem! O meu ego (que habitualmente já é bem grandinho!) está prestes a explodir!
A acreditar no ditado "quem vê caras não vê corações" e porque aqui é precisamente o inverso, eu estaria safo! Porque o meu coração é enooorme! Já a beleza, pronto... Mas para as meninas isso não é importante!!! :-))
Continuem a alimentar-me o ego e depois queixem-se que me torno insuportável e convencido!
Muito e muito obrigado! Embora o mérito seja das meninas que me escolheram e convidaram a participar nesta iniciativa.

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D