TNT @ 00:10

Qua, 10/05/06

Somos os primeiros!

Estamos em primeiro lugar no ranking dos divórcios da Europa dos 15. Mais dia menos dia, vamos acabar por ficar em primeiro no Festival Eurovisão da Canção, vão ver...

O problema não é haver muitos divórcios. É haver muitos casamentos. Os portugueses passam a vida a casar. Não há fim-de-semana que não se oiçam buzinas a anunciar um novo enlace pelas terras deste país. E tanto alarido para quê? Para depois figurarmos em primeiro lugar nos divórcios. Ok... é uma meta.

Para se casarem entopem as conservatórias, que podiam estar a tratar de coisas muitíssimo mais importantes. Depois tornam a entupir as conservatórias para se divorciarem. Entopem, e de que maneira a já entupida e a rebentar pelas costuras, justiça portuguesa, porque se não se conseguiram entender no casamento, muito menos se entendem no divórcio e precisam que outras instâncias tomem decisões por eles. E tudo porque lhes apeteceu casar... Não há paciência!

Os casamentos deviam ser como os contratos de telecomunicações: “Temos aqui este telemóvel topo de gama para lhe oferecer e mais €10 em chamadas mensais. Fica porém, com a obrigatoriedade de permanência de dois anos com a nossa operadora. Está interessado(a)?”

Assim, sabemos exactamente quais são os nossos benefícios e as nossas obrigações. E depois é só cumprir, sem se poder desistir. 

E se vemos que há várias operadoras a oferecer a mesma qualidade de atendimento e não temos a certeza de conseguirmos decidir, então optamos pelos serviços pré-pagos. Temos as telecomunicações na mesma, mas sem assinatura mensal. Sem grandes compromissos. 

Podemos usar os anéis mas os dedinhos ficam cá deste lado muito “sossogaditos”.

TNT



Samuel @ 14:46

Qua, 10/05/06

 

Se querem tanto usar aneis podem escolher este:
http://www.singelringen.com/


estrela da manhã @ 16:14

Sex, 12/05/06

 

Há pois é! Mas eu tenho uma proposta ainda melhor. A ver: O casamento devia ser como um contrato, ou seja, primeiro temos o período experimental, que sugiro que seja de 3 meses (já estou a ser condescendente, porque isto há mulheres muito tapadinhas, eu incluida). Depois de passar no período experimental, entramos verdadeiramente no 1º contrato, de 6 meses, renovável automáticamente por igual período. Ora quer isto dizer que ao fim de 6 meses de casamento disporíamos da hipótese de rescindir o contrato, sem necessitar sequer, de justa causa. Há ... com 8 dias de pré-aviso, não vá o rapazito não ter tempo para fazer as malas.
Como já estão a prever, no final do 3º contrato, passa a "efectivo", e é então que o principe encantado se torna num sapo verde e viscoso que deixa a roupa interior suja espalhada pelo chão da casa, enquanto vê o eurosport (esse canal infame e causador de infidelidades, sim ... ou acreditaram mesmo que ela ía ás compras enquanto vocês viam os quintuplos de final entre o campomaiorense e o fanhões?!)) ... mas nada temam, porque tenho a resposta para o prblema ... é que no final do 3º contrato vocês já estão a abarrotar de tanta "camaradagem".
Simples, não é?

Estrela da manhã


TNT @ 16:54

Sex, 12/05/06

 

Genial Estrela da Manhã! É isso mesmo!

sus @ 16:07

Sab, 13/05/06

 

Dasss....

Mas o quê que vocês mulheres querem???
Ser tratadas que nem rainhas??

E em troca o que estão dispostas a dar?


TNT @ 20:14

Sab, 13/05/06

 

Rainhas não... Princesas!
Em troca tens a sorte de não teres de conviver só contigo... Hihihi!

sus @ 02:05

Dom, 14/05/06

 

Pois, tou a ver que é so mesmo isso que têm para dar em troca.

Porquê que em vez de quererem ser tratadas como rainhas, ops, princesas e depois só nos darem isso em troca não aproveitam e mesmo com o homem que engatam para uma noite, se forem para casa dele, na manhã seguinte não aproveitam e lhe lavam a loiça suja e lhe passam a roupa??

Vocês mulheres só olham para os vossos interesses...


TNT @ 16:35

Dom, 14/05/06

 

Casa dele?? Minha casa??
Há cá cunfias, ou quê?
Hotel, filho, hotel! Onde há room-service & laundry!

gomesh @ 17:43

Qui, 18/05/06

 

De facto em Portugal casa-se muito... por lá passei quando tinha 20 anos e cometi o disparate de me casar com quem pensei seria a mulher da minha vida... Infelizmente as coisas não resultaram (talvez diferença de idade uma vez que ela tinha mais 12 anos que eu...) - não nego que terei tido alguma culpa no assunto uma vez que para o casamento falhar e necessário haver duas pessoas que não o fizeram resultar. O ponto e neste momento sou eu que tenho problemas para ver o meu filho... sou eu que tenho de pagar as dividas do casal uma vez que ela se recusa a faze-lo... mas ainda quer metade dos bens, só não quer as dividas... Não me levem a mal... sou muito grato ao sexo oposto e depois da minha separação encontrei a mulher que penso será a minha companheira para toda a vida... já estamos juntos a quatro anos agora e creio que estaremos por minuto mais... se calhar porque agora sou mais maduro já entro nos 30...) mas o facto e que estamos disposto a esperar para o casamento e não estamos a apressar as coisas... se calhar temos de aprender a esperar...


TNT @ 21:08

Ter, 23/05/06

 

É isso mesmo... a paciência para a situação de dar nó, é a maior das virtudes! Boa Sorte!

miguel maria @ 23:42

Qua, 13/09/06

 

Perfeitamente de acordo!! E é isso mesmo que o Singelrigen (o anel de solteiro de que o Samuel estava a falar) vem dizer!! Não é só uma anel mas mais do que isso, é um conceito., tudo um bocado à volta de não a pressões sociais para casar porque depois só dá em divórcio!! o Singelringen vem dizer que tens que aproveitar a tua "solteirice" antes de "dares o nó", é um NÃO REDONDO à pressãozinha dos pais e avós que não têm mais nada para fazer senão querem pressionar-te para casar!! Eu vou usar, num cordão ao pescoço !!

Flupk @ 21:10

Qui, 09/11/06

 

Concordo plenamente e exactamente por isso desmarquei um casamento (a 2 meses do "contracto) o ano passado.
Mas se calhar temos que avaliar o porquê da questão. Segundo Zygmunt Bauman (em Amor Liquído) - " Não existe um maior número de pessoas a atingir mais vezes os elevados padrões do amor: o que acontece é que esses padrões esão mais baixos".
È verdade, damos muito valor ao chamado "one night stand" ou às chamadas amizades coloridas. Isto só nos diminui, a todos os níveis. Já fui o modelo perfeito desta estúpida e ignorante forma de ser. Senti-mo-nos vazios, sós e acabamos por nos tapar de nós próprios.
Não somos burros TNT, andamos é todos muito esquecidos de nós próprios.(feminino e masculino).
Sentir, parar, serenar, pensar e só depois deixar sentir (intelegentemente). Não façamos tatuagens semanais como uma certa loura desiquilibrada e ...... nem sei.

uzaeesquece @ 10:26

Seg, 16/07/07

 

no fim podes sempre ficar com o dinheiro que esta em cima da mesa de cabeceira e saires sem conversa ou barulho...

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D