tsetse @ 19:24

Qui, 05/04/07

As relações à distância (e em especial as que já começaram à distância) têm uma série de características em comum:

1. O casalito, nos raros momentos em que se vê, está bastante determinado em mostrar o melhor que há em si e em fazer coisas animadas, para aproveitar os poucos momentos juntos. Ou seja, nem sempre mostra o que realmente é, e até a pessoa mais sem graça, pode parecer ter a sua piada.

2. Quando o casalito está longe, tem o conforto de ter alguém que o acha o "meu mais do que tudo", com a conveniência de estar mais ou menos solteiro, ao mesmo tempo. O que é uma grande vantagem para as pessoas que gostam do seu espaço, mas que são, em simultâneo, carentes.

3. A partir de um certo tempo nesta situação, começa a crescer um certo desconforto. Uns começam a querer viver na mesma cidade, pois acreditam que o comportamento que a cara-metade mostra nos finais-de-semana (ou nas férias) vai se manter no dia a dia, os outros começam a sentir a corda na garganta e passam a questionar "mas é mesmo com esta pessoa que eu quero partilhar a casa?", ou "mas será que eu gosto o suficiente dele ou dela?".

4. Mesmo que ambos estejam de acordo e tentem viver na mesma terra, a desilusão está quase sempre presente. Porque raramente a pessoa consegue manter, no dia-a-dia, a boa disposição das férias.

Pois é, é uma situação muito complicada. E já vi várias a acabar mal.
(Depois não digam que eu não avisei...)

Tsetse


AlfmaniaK @ 02:43

Sex, 06/04/07

 

Alguns acabam mal! Mas outros há que têm sorte. Prefiro olhar para o lado bom da questão. Faz de conta que somos "Super-Guerreiros" (Tipo songoku) e que cada relação nos deixa mais fortes. Se acabou... não acabou mal, acabou deixando uma força oculta renascer. Uma relação à distância é só mais um episódio da série!


Cláudia Oliveira @ 11:12

Sex, 06/04/07

 

Relações à distãncia não é para mim.


tsetse @ 16:18

Sex, 06/04/07

 

Eu até acho alguma graça, embora não tenha tido nenhuma nos últimos tempos. Dá um certo requinte quase platónico à coisa... Além de que facilita manter o nosso espaço, coisa que valorizo muito.

lovely @ 11:29

Sex, 06/04/07

 

Tenho uma amiga que vive uma dessas relações, embora não começasse assim. Conheceu o jovem quando estava na universidade e, no final, cada um para seu lado. Agora, ando sempre de candeias às avessas. Não prevejo um final feliz.


tsetse @ 16:34

Sex, 06/04/07

 

Pelo que tenho visto, as relações à distância que não começam à distância ainda têm a desvantagem de não terem o "encanto romântico" das que o são desde o início...

In @ 17:41

Sex, 06/04/07

 

Apesar de ser casada há 20(!) anos, e de não me ter arrependido (até agora...), confesso que acho uma certa "graça" a esse tipo de relação. Não sei se é bem esse tipo de "à distância", talvez seja mais "cada um em sua casa". Acho que se um dia tivesse uma segunda relação (depois desta acabar claro!), seria assim, cada um no seu espaço. Deve ser da idade:)


TNT @ 18:01

Sex, 06/04/07

 

Mas está-se a falar de relações à distância de cada um no seu cantinho, ou relações à distância cada um no seu fuso horário?
É que da primeira eu sou adepta. Em relação à segunda, não tenho vocação para Penélope. Tive uma relação à distância uma vez e a coisa não correu bem. Basicamente esqueci-me da existência do rapazinho. E passado um mês de ele estar em terras do tio sam, eu andava por terras lusitanas com um belo espécime autóctone. Ooops...!


tsetse @ 18:07

Sex, 06/04/07

 

Estava a falar de distância física que não permita os encontros diários. Digamos... mais de 200 km.

Jameson @ 19:16

Sex, 06/04/07

 

Uma relação à distância até pode resultar se os dois estiverem bem esclarecidos em relação ao futuro da relação, o que me parece no post é que falas de relações em que ambos caminham em direcções opostas e com vontades distintas... O mal de todas as relações!


tsetse @ 14:57

Sab, 07/04/07

 

Oh Jameson... Mas quem é que no início de uma relação sabe logo o que quer do futuro? Já para não dizer que uma pessoa apaixonada perde toda a capacidade de ser objectiva.

E, do que eu tenho visto, há realmente problemas específicos das relações à distância.

cassia @ 01:56

Dom, 20/05/07

 

ola jamerson!!!!!!!! li seu comentar interno feminino sobre relaçoes a distacias.
e quiz fazer um comentario que achei curiioso, eu estu tendo um relacionamto a distância e acho que eu e a pessoa que esta se relacionando comigo, estamos mesmo nos gostando.
so que eu sou casada e nao poderia de forma nem uam esta tendo este realcionamento, mais esta incontrolavel , agente não consegue ficar um dia sem se falar, e o curioso e´que ele chama-se james.
bem parecido com teu nome né? mais nada ver foi so uma obiservação , vc acha mesmo que pode acontecer mesmo um relacionamento a distancia, sera que acontece de dar certo mesmo? oque vc acha em.
boa noite
desculpa o encomodo ta bjo

antídoto @ 20:41

Dom, 08/04/07

 

É problemático, mas possível, sei de alguns casamentos resultantes de relações virtuais e os problemas não diferem do comum dos casais.
Há muita gente romântica por aí, bem capaz de amores platónicos...
Por mim prefiro olhos nos olhos e pele na pele.

Anónimo @ 15:43

Seg, 09/04/07

 

Adorei ler este post, talvez porque me reveja um bocadinho nele. Estou neste momento a viver uma relação à distância e realmente não é muito fácil de gerir. E ao mesmo tempo tenho a noçaõ de que, provavelmente, não nos iremos conhecer a cem por cento. É estranho.
Ana.


InsideOut @ 15:31

Ter, 10/04/07

 

Eu não acredito em relações à distância, especialmente quando as pessoas depois ficam juntas e em pouco tempo tudo o que achavam que tinham se desvanece. Não se podem construir castelos sem alicerces.
Beijocas.

gomesh @ 13:37

Sex, 13/04/07

 

Eu não conheço muitas que resultem... falo por experiêcia, uma vez que o meu casamento (aquele que acabou em divórcio) começou assim... não me apanham outra vez...

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D