TNT @ 20:45

Seg, 19/03/07

Entre outras coisas que faço na vida, colaboro numa revista masculina. A revista masculina, a única, the one.

Para quem não me conhece, eu tenho um ar absolutamente feminino, gosto de homens, rapazes, rapazinhos (com mais de 19 anos, por causa das implicações legais, nunca fiando...), não tenho tendências lésbicas, embora confesse que tenho coisas absolutamente masculinas! Muitas vezes me dizem, pareces um gajo com essas manias... Por “essas manias” entenda-se, a minha falta de mariquice, meiguice, paneleirice e outras “ices” afins.

Ou seja, sou muitas vezes mázinha como só um homem consegue ser, embora não seja nem mentirosa nem egoísta. Só sou fria, bruta e directa. Ah, e distante, muito distante... Mas mesmo assim, creio que não lhes chego aos calcanhares.

A crueldade masculina é muito própria, por ser desprovida de sentimentos. Eles são cruéis como as crianças, nem fazem por mal. Não é intencional. Nem se apercebem das consequências dos seus comportamentos. Não dão pelo rasto de destruição que vão deixando à sua passagem, tipo tsunami emocional. São fdp sem darem por isso, sem qualquer mérito, sem sequer poderem ficar com os louros das suas acções.

E por não terem a noção, vão repetindo, repetindo... E mesmo que alguém lhes diga, eles não vão compreender, não têm capacidade para isso. Ou então, percebem na altura, mas esquecem rapidamente, porque aquelas cabeças, na sua triste maioria, são tipo peixinho dourado. Retêm informação durante dois ou três segundos e depois... puff!

As mulheres... essas são tramadas. Quando querem ser más, são-no conscientemente. Deliberadamente. Premeditadamente. Com muita classe, planificação, sabedoria e glamour. Mas isso... fica para outro post!

TNT



misinha @ 21:10

Seg, 19/03/07

 

Pois devemos ter todos um genesinho responsável pela crueldade, mas enquanto nos homens ela se manifesta de forma implícita, "desprovida de sentimentos" como tu referes, nas mulheres ela torna-se uma competência que, se quisermos, vamos adquirindo e desenvolvendo com os mais deliciosos requintes.


TNT @ 21:16

Seg, 19/03/07

 

Nem mais!

River @ 22:00

Seg, 19/03/07

 

E desgraçado daquele que "provar" o sabor duma crueldade requintada!!! Ehehehehhhh!!!

Parabéns pelo Blog. Sou fan! ;)


TNT @ 23:44

Seg, 19/03/07

 

Vai sentir a supremacia da dor...!


cigana @ 22:53

Seg, 19/03/07

 

Estou a vê-los na tua descrição tipo "Homer Simpson" e estou-me a rir da imagem...
As mulheres são umas víboras, principalmente umas com as outras, mas não só... e essa imagem não me faz rir.


TNT @ 23:42

Seg, 19/03/07

 

Mas qualquer dia faço um post sobre a maldade no feminino. Sem lhes dar muitas pistas, claro... uma coisita ssim light, só para lhes abrir o apetite!

não posso dizer o nome @ 23:21

Seg, 19/03/07

 

eu sou doutorado nesse tipo de crueldade feminina. mais não posso adiantar. quanto á minha crueldade... tudo o que o post diz é verdade e mais ainda, pois sou eu também vitima dos meus actos irreflectidos e dos becos sem saída por onde me tenho metido, através do peso de consciência e arrependimento doloroso. muitas vezes, depois de me contorcer, digo para mim que se pudesse voltar atr á s j á não o fazia novamente. anos mais tarde volto a cair noutra igual. não h á remédio. o que é mais básico é que só me apercebo das coisas muito depois de elas acontecerem. mea culpa, mea culpa! nesse aspecto dou a mão à palmatória, nós homens em geral somos míopes e duros de ouvido, porquê, não sei...


TNT @ 23:43

Seg, 19/03/07

 

Pois... nem eu!
Mas lá que é verdade, isso é.


noche @ 23:48

Seg, 19/03/07

 

muito fixe...

um gaijo

não posso dizer o nome @ 00:19

Ter, 20/03/07

 

eu retirei o post "lá vem ela, sabendo que linda" para o meu pc. não se arranjam mais posts desses?


TNT @ 00:34

Ter, 20/03/07

 

Há mais donde esse veio...
Mas serão sempre publicados no tnt.blogs.sapo.pt
Esse texto foi para um exercício específico de personagem. Mas fiz mais... Em breve, publico.

não posso dizer o nome @ 00:56

Ter, 20/03/07

 

que bom, esse texto é fantástico. é claro que será no blog tnt, eu é que tenho tendencia para misturar tudo. peço desculpa.

AlfmaniaK @ 03:13

Ter, 20/03/07

 

Fantástico! Hoje foi a minha vez de me rir um pouco (mas sem malícia).
Este post está digno de ser respondido, e assim... cá vai:
Os homens são como as mulheres, só que mais masculinos! hehehehehe
Isto é claro como a água, mas não se vê porque aos olhos das mulheres nós somos como o Shrek, umas cebolas (ou seja, temos camadas)... as consequências disto não são fáceis de antever mas posso colocar a nossa crueldade assim: Não fazemos mal a ninguém sem querer. O que fazemos sem querer é algo tão egoísta e genuíno como qualquer outro comportamento feminino, mas aos nossos olhos, as consequências são irrelevantes e para elas "dramáticas"!!! É um facto, as mulheres conseguem dramatizar mais uma situação inocente que os homens. Porquê? Porque nós não reparamos no que acontece, é como que um "...não importa;...não faz mal" e elas... bom, elas vêm as camadas. Um acto isolado masculino consegue, no entender delas, transportar várias camadas que elas (e agora o lado egoísta e genuíno delas) escolhem ver!!! E a partir daqui dramatizar é fácil....
O oposto também acontece, mas os homens não vêm camadas nelas, apenas conseguem vê-las! Adiante...
Infelizmente, quando o drama está feito, uma das camadas que elas fazem questão de ver é que "Ele tem a mania que tem a razão"! Ora contra isto, minhas senhoras, nada feito! Como posso um dia dizer que o que fiz ou deixei de fazer aconteceu sem querer fazer mal, se qualquer argumento que eu dê será sempre refutado pela premissa de que eu "tenho que ter a razão"? Ou melhor, como é que um homem, poderá compreender o que fez de mal se para elas é que foi mau ou cruel?!?!
Sejamos amigos e aprendamos a relativizar as coisas, a crueldade inocente do homem existe aos olhos da mulher (daí ser desprovida de sentimentos, claro!!)! Aliás, se um homem quiser ser cruel e ferir os sentimentos de alguém, não é certamente de forma inocente... nisso, elas batem-nos aos pontapés, mas nós lá vamos dando umas cabeçadas!
Já se colocarmos a questão de modo a que a crueldade masculina é um estado de hipocrisia mal assumida...! hummm, bom a conversa já é outra.
Terminei? Venha mais uma cebola!

Já agora, porque ainda não o fiz, parabéns pelo blog! Oportuno e com um humor perspicaz... muito bom ;)


TNT @ 10:26

Ter, 20/03/07

 

Uff! Depois deste comentário o que dizer?
A verdade é que não sou adepta da teoria das layers. Acho que os homens são pouco mais do que aquilo que mostram. A teoria da cebola serve para mulheres que acreditam que há sempre mais qualquer coisa. Eu já aprendi que não é assim. E sou muito mais feliz desde que o descobri!
Os homens são o que são e não adianta esperar mais. What you see is what you get!

AlfmaniaK @ 10:46

Ter, 20/03/07

 

É tens razão... a história das camadas era para ver se me safava! Os homens são sacanas, mas vocês, miúdas, podem ganhar com isso... basta quererem! No dia em que distinguirem sexo de amor... terão os homens todos na palma da mão. Com e sem mentiras. A questão é: Será que algum dia vocês conseguirão alcançar tal poder? hummmm nãããã... o sexo é um "add-on" do amor, e assim será para sempre!


TNT @ 10:52

Ter, 20/03/07

 

Já vão havendo algumas de nós com o Poder!!!

AlfmaniaK @ 11:02

Ter, 20/03/07

 

Claro que sim... mas vou esperar para ver como é a sugestão de vingança no feminino, para verificar se o poder está lá, ou se é só conversa... como direi: What you see is what you won't get!!


(como é que se usam os sapinhos? tipo smile?)


TNT @ 11:08

Ter, 20/03/07

 

O post da vingança surge depois da leitura da revista Sábado. Já anda aqui a fermentar há algum tempo... Logo se verá o que sai. Os sapinhos, carregas nesse quadradinho do lado esquerdo abaixo da indicação dos caracteres, quando estás a postar um comentário. Carregas, abre um quadro e escolhes o que te apetecer...

lovely @ 09:18

Ter, 20/03/07

 

Não sei se alguma vez leste o meu blog. Lá falo de um desses gajos cruéis que nos perseguem até à exaustão e quando nos têm, viram a cara ao lado e assobiam como se nada tivesse acontecido. É um mentiroso crónico. Ainda ontem, num mail, falava do amor aterno que me teria sempre, blá, blá, blá, mas que não podia ser porque tinha uma filha e por causa da miúda fora "obrigado" a voltar para a ex. Ora bem, eu que já tinha ouvido essa disse-lhe para me ligar quando fosse um homem a sério, pois sei perfeitamente (agora sei) qual o verdadeiro interesse dele. A questão, TNT, é que eles ficam sempre a rir-se e eu gostava, muito sinceramente, de conseguir ser um pouco como tu te descreves para lhes poder dar uma lição. Estou farta, fartinha, de gajos sem tomates (desculpa a linguagem) para chegar à beira de uma mulher e dizer "Sem compromisso, nada sério, só brincadeira". Basicamente eu fiz isso ao inicio. Não tinha interesse em nada sério e por isso aumentei o desejo de caça dele. Tanto andou, tanto fez, que acabei in love e ele perdeu o interesse e voltou para a ex. Mas, mesmo ao lado dela não deixa de me chatear. E como eu ainda não sinto vontade de rir, parece-me claro quem ganhou. Por isso, TNT, diz-me lá, essa tua forma de ser vem com a experiência ou é inata?


TNT @ 10:33

Ter, 20/03/07

 

Oh lovely...
Cabeçadas vamos sempre dando, enquanto tivermos a infeliz capacidade de nos apaixonarmos.
Homens casados, viventes, comprometidos e com crias, fazem parte de um universo que deveria ser proibido para nós. Mas como não estamos livres de nos acontecer aqui vão algumas dicas: Nunca acreditar neles! As histórias são sempre iguais, que se sentem sós, que nós é que lhes trazemos a alegria, parvoíces assim. Mas acredita lovely, é tudo mentira, ele NUNCA vai ficar contigo, por isso sai dessa e arranja um amiguinho para te passeares, rapidamente.
Quanto à minha maneira de ser, é inata e muito reforçada pelas experiências. Minhas e das que vou assistindo.

lovely @ 10:44

Ter, 20/03/07

 

TNT, sair, eu saí. Não estou, nem estarei novamente com ele. Há pelo menos 2 meses que é assim, altura em que me disse que ia voltar a viver com a ex. Ele não a vai deixar... se o fizer não será por mim. Já o fez antes, mas voltou. Isso tudo eu já interiorizei. O que mais me enoja nisto, é que devia haver forma de dar castigo a abutres como este. Mas, vou pensar positivo e esperar que a vida se encarregue de lhes dar o correctivo. De qualquer das formas apreciei muito o teu texto e comentário.


TNT @ 10:48

Ter, 20/03/07

 

Essa história do karma só acontece nos filmes. Os maus são castigados e os bons são recompensados. Bullshit!
Correctivos? Estamos cá para isso! Dentro em breve publicarei um post sobre vingança no feminino. Fica atenta que pode ser que venha a dar jeito!

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D