TNT @ 01:16

Seg, 26/02/07

Noutro dia, um amigo e leitor deste blog, comentou-me que existem “meninas com potencial” algumas tornam-se “grandes mulheres” mas só poucas atingem a classe de uma “grande senhora” (sic). Eu respondi-lhe prontamente: e é isso que os homens querem?

O que a vida me mostra é que os homens até podem ter fascínio por mulheres com classe, mas muito raramente ficam com elas... Ele justificava que a maioria dos homens se desculpa com o facto de não terem estado no local certo, na altura certa e de terem passado ao lado de uma grande carreira, etc...

Conheço homens absolutamente fascinantes que escolheram ficar com mulheres completamente insípidas, tontas ou demasiado vulgares que só podem ser levadas à tasca da esquina. E que passam a vida a lamentar-se que não são compreendidos, que a vida é injusta, que nem imaginamos o sofrimento, a solidão e parvoíces do género.

Os que ainda têm uma réstea de dignidade e capacidade mínima de raciocínio, saem dessa enquanto podem. Dos outros, temos pena. Azarito. Se não mudam a situação é porque não querem. Gostam de levar na corneta, de escandaleiras de mão na anca, gritaria e outras cenas lamentáveis dignas de actores secundários de peças mal encenadas em teatros amadores obscuros. Ou daquelas que estão sempre prontas a concordar com eles, que não têm opinião nem convicções, que moldam a sua personalidade à deles como se de uma relação quase parasita/hospedeiro se tratasse. Ou ainda das completamente vazias a roçar o vácuo, que não percebem nada, não querem perceber e que nem sequer conseguem ter raiva por quem percebe.

Mas o que leva homens inteligentes a juntarem-se a mulheres tão desinteressantes? Será insegurança? Medo da competição? Preferem ficar sempre com a sensação do que poderia ter sido, mas sem arriscar? Preferem o amor platónico? Ou como se diz dos jogadores de futebol, “teve medo de ser feliz”?

Que venham os Mourinhos do romance! Para que o medo destes homens se transforme em risco e o risco em concretização... Gooooooooooooooolo!!

TNT



Cat @ 06:20

Seg, 26/02/07

 

Adorei o teu blog e a maneira franca, directa e espirituosa como escreves os teus pensamentos. Vou adicionar-te. Boa sorte na vida!!!
Beijocas


TNT @ 17:55

Seg, 26/02/07

 

Obrigada!

ainat @ 10:14

Seg, 26/02/07

 

Acho que não poderia de deixar de comentar este post porque já por várias vezes me perguntei porque é que um homem inteligente e com um futuro excepcional pela frente escolhe para si uma mulher vulgar e fútil? Porque é que não escolhe alguém à sua altura? Mas à pouco tempo tempo dei-me conta de algo deveras interessante. Nós mulheres também fazemos a mesma escolha. Quantas não são as mulheres bonitas, com óptimas carreiras, inteligentes que não casam ou se juntam com homens completamente diferentes delas?
Acho que é um mal que esta nos genes de cada um de nós :)


TNT @ 11:06

Seg, 26/02/07

 

Olá ainat,
Por acaso não sou muito adepta da teoria dos opostos.
Nunca me senti atraída pelos fracos e oprimidos, queixinhas e conformados, introvertidos e amorfos.
Para estar com um homem, preciso de o admirar e respeitar. Caso isso não aconteça, será rapidamente afastado de funções...

lovely @ 13:59

Seg, 26/02/07

 

Bem, eu assumo, ainda acredito no Pai Natal. heheheh
Já recebi elogios muito bonitos, de homens principalmente, sobre o meu caracter, a minha postura, as minhas convicções, etc. Já tive um amigo que disse à namorada que ela devia pôr os olhos em mim a ver se aprendia alguma coisa. Isso é tudo muito bonito e satisfaz durante uns 15 segundos, mas depois, pergunto-me se tendo tantas qualidades porque continuo sozinha ou só atraio ralé. É como a anedota sobre um anúncio no jornal, onde uma mulher escreve "Sou formada, falo inglês e francês, bonito, gostosa... Nem sei como virei prostituta."


TNT @ 16:29

Seg, 26/02/07

 

É o que te digo, lovely.Eles têm medinho... muito!
A mim passam a vida a dizer "onde é que andavas há 5 anos atrás?", "uma mulher como tu é que eu precisava...", "nós os dois é que combinamos..."
Com menos conversa, já tínhamos chegado a algum lado...

antídoto @ 15:08

Seg, 26/02/07

 

Então não sabes que isso já foi diagnosticado?
É aquela coisa do "erros meus, má fortuna, amor ardente..." : )
Acrescentaria a isto os erros de juventude, a inexperiência da maioria das pessoas na relação com o sexo oposto, o romantismo, o medo, a carência, a solidão, o... o... o... e ainda o...

não posso dizer o nome @ 15:13

Seg, 26/02/07

 

quando o amor nos toca não escolhe condição social, beleza física , raça, credo, convicções politicas ou morais, coeficientes de inteligência , níveis culturais, erudições, linhagens... o amor toca e nós começamos a amar, ponto final. Alguém me perguntou um dia se eu a amava menos agora que ela tinha ganho uns quilitos a mais. Eu respondi, com muita sinceridade, que a amava ainda mais. O que eu sentia por ela, nada tinha que ver com a sua aparência , mas sim com a intimidade e cumplicidade do nosso relacionamento e das nossas vidas. São coisas que podemos especular, mas não entender. Por isso digo e afirmo que quando o amor toca não é possível pensar porque o que sentimos invade toda a nossa existência não deixando lugar para o pensamento sóbrio e racional. (mas onde é que eu já li isto? não, na floribela não foi!)

psiquê @ 19:32

Seg, 26/02/07

 

Gostei da tua intervenção. Partilho dessa opinião. O que verdadeiramente une as pessoas são aquelas pequenas coisas q se vão conquistando com a convivência, são os 'pequenos nadas', difíceis de explicar mas fáceis de sentir...
Acontece q nem todos têm coragem de admitir q o sentem... E, por outro lado, penso tb q seja mais fácil de nos relacionarmos c 'uma lasca fútil' do q com alguém c personalidade. Dá menos trabalho...


valorizar @ 15:42

Seg, 26/02/07

 

Compreendo e concordo com muitas das coisas que escreveste.
Mas diz-me alguém consegue escolher a pessoa por quem se apaixona?
Não.
Podemos é de facto mudar a situação quando estamos numa relação que não nos satisfaz e que já não faz sentido por estar desprovida de amor.


TNT @ 16:23

Seg, 26/02/07

 

Mas o que nos leva a apaixonar? Não serão um conjunto de características que admiramos? Embora não possamos escolher por quem nos apaixonamos, acredito que escolhemos aquela pessoa, porque tem determinadas características que nos atraem...


valorizar @ 16:41

Seg, 26/02/07

 

Claro que sim! Claro que quem nos chama à atenção é quem reúne características que gostamos, porém no principio de uma relação, todos nós nos esmeramos e damos o nosso melhor, há pessoas que nem sequer mostram quem realmente são.
Esta é uma das coisas que mais me irrita!
Pode acontecer apaixonarmo-nos pela pessoa errada, pois enquanto isso está a acontecer essa pessoa nem sequer está a mostrar quem realmente é.
E não é por falta de discernimento que acreditamos, pois as coisas são assim mesmo, só com o convívio e o passar do tempo é que realmente nos conhecemos uns aos outros.
Conhecer realmente alguém é sempre muito difícil .



TNT @ 17:59

Seg, 26/02/07

 

É verdade... A maioria das pessoas são dissimuladas.
É o que eu costumo dizer: compro cachemira e sai-me polyester...
Não percebo. É só para fazer perder tempo. O nosso e o delas. Cambada de gente manhosa!


cigana @ 17:20

Seg, 26/02/07

 

Tudo isso é verdade, mas o contrário também acontece. Há Mulheres cheias de categoria, em todos os sentidos, que estão com homenzinhos que não as merecem, boçais, sem personalidade, sem estilo, sem "tomates" (sorry...), ou eternos D. Juan que se atiram à qualquer rabo de saias que lhes passe à frente...
Talvez haja grandes Homens e Mulheres que prefiram manter o lugar de líder sem concorrência.


TNT @ 17:39

Seg, 26/02/07

 

Eu pertenço a essa segunda categoria... dos eternos D. Juan. Oh martírio!

não posso dizer o nome @ 20:54

Seg, 26/02/07

 

oh pá, bolas o Benfica já marcou um golo e continua em cima deles. com este resultado fica com mais três pontos que o sporting. lá se foi o campeonato outra vez...


garibaldov @ 22:24

Ter, 27/02/07

 

Quanto ao aviso que fazes não podia estar mais de acordo.Todos os homens só têm a ganhar em arriscar-se a entrar no território dessas mulheres para descobrir o que tanto os fascina em vez de se ficarem pelas banais e já batidas crianças insuportáveis que são as outras mulheres.Não querendo isto dizer que tenham de ser nariz empinado ou armadas em profundas.Até podem ser crianças, mas "suportáveis" :P
Quanto à interpretação que fazes dos homens não fazerem essa escolha, acho que estás errada.Não é medo.No fundo é mesmo só falta de noção do que se está a perder.

lovely @ 10:50

Qua, 28/02/07

 

TNT, adorava que fosses ao meu blog e votasses. Sim, eu falei em votar. Já vais perceber o quê. Ah, tem de comentar também. ehehehe Bjs

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D