tsetse @ 15:32

Qua, 31/01/07

A maior parte das relações tendem a perder o interesse ao fim de algum tempo. As pessoas já conhecem quase tudo sobre o outro, já estão cansadas dos seus defeitos e os temas de conversa começam a faltar. Há, no entanto, quem encontre um ou mais caminhos para adiar este destino.

As estratégias mais comuns para combater este flagelo são:

1. A estratégia dos projectos
A ideia é estar sempre a arranjar projectos, para ocupar o tempo e ter novos temas de conversa. Normalmente, o primeiro projecto é a compra da casa. Depois, vem a decoração da mesma. A seguir, vêm os filhos, a casa de praia, o lar. Tudo serve para adiar a falta de assunto.

2. A estratégia de evitar o outro
Passam o dia sem fazer quase nada, para ficar no trabalho até mais tarde. Ao final de semana, combinam festas com mais pessoas, idas ao futebol e mais trabalho. Assim, vão adiando o contacto com o parceiro, na esperança que o outro não descubra que já não há assunto.

3. A estratégia dos moinhos de vento
Aqui a estratégia é manipular o outro e arranjar conflitos imaginários. Assim, têm sempre assunto e apoio. O mais comum é começarem por transformar pessoas críticas ou indiferentes à sua relação, em inimigos. Depois, inventam uma cruzada contra os infiéis que ousaram não acreditar naquele amor, na esperança de o fortalecer. A seguir, arrastam o seu Sancho Pança contra outros moinhos de vento. Muito simples e eficaz, principalmente entre parceiros, digamos que, pouco inteligentes ou sem opinião própria.

4. A estratégia das discussões
A ideia de quem a pratica é, primeiro, arranjar mais assunto e, depois, criar interesse com as reconciliações. Esta, sinceramente, não percebo muito bem. Só sei que há quem a pratique e, pior, que tenha sucesso.

5. A estratégia das actividades
A ideia é estar sempre a arranjar coisas interessantes para fazer a dois. Há dois tipos de actividades: as que se repetem e que ocupam muito tempo e as surpresas. Dentro do primeiro grupo estão: danças de salão, ranchos folclóricos, idas frequentes ao cinema, torneios de bridge, escalada, etc. A ideia é encontrarem coisas que ambos gostem de fazer e que lhes tragam mais assunto. As surpresas servem para contrariar a rotina e, mais uma vez, para aumentar os temas de conversa. Exemplos de surpresas: ir à praia ver o pôr-do-sol e levar uma caixa de sushi para comer a dois; deixar de ser forreta e oferecer bilhetes para uma viagem ao Japão; etc (que o resto das ideias ficam para mim... ou deixariam de ser surpresa).

Qual a mais correcta? Qual a que funciona? Isso depende dos princípios morais e do gosto de cada um. Há quem misture todas. Eu, prefiro a última, como devem ter notado. Gosto de animação e de companhia.

Tsetse


lovely @ 16:16

Qua, 31/01/07

 

Boas ideias. Quando conseguir manter uma relação para cima de 6 meses, vou aproveitá-las. ;-p
Já gaora, e que tal umas dicas sobre como aturar um chefe quando ele está nos maus dias?


tsetse @ 17:05

Qua, 31/01/07

 

Lovely, a melhor maneira de aturar um chefe de mau humor é: Aceitar que todos temos dias não; Não dar grande importância; Colocar uns auscultadores e ouvir boa música.


Analycia @ 16:26

Qua, 31/01/07

 

Bem de surpresas eu não gosto muito....mas concordo contigo, é sempre mais interessante partilhar algumas das actividades em que temos prazer os dois sem ser obviamente sexo. Continuem, alegram sempre o meu dia. Jokas


tsetse @ 16:39

Qua, 31/01/07

 

Bem, as "surpresas" até podem ser combinadas... Mas, de preferência, com pouco tempo de antecedência. A ideia é ser coisas diferentes e agradáveis.

ainat @ 17:24

Qua, 31/01/07

 

Ainda bem que eu já faço um pouco de tudo isso! :)


tsetse @ 00:18

Sex, 02/02/07

 

Cara Ainat, não estou certa que isso seja bom... Como digo no post, isso só serve para adiar o problema. A minha ideia não era fazer um manual, mas uma crítica aos casais que insistem em permanecer juntos, depois do fim.


Beta @ 21:21

Qua, 31/01/07

 

Gostei do que li por aqui, pessoalmente faço mais ou menos um pouco de tudo, lol.
Há mesmo é que tentar não caír na rotina e não parecer que se está a arrastar a relação, mas sim mantê-la e ir renovando-a. Penso que o factor supresa, fazer coisas para surpeender o outro é uma das melhores coisas e quem não gosta?

T-Dois @ 21:49

Qua, 31/01/07

 

lolololololo
mulher, onde vais buscar estas ideias????
lololololol


tsetse @ 00:22

Sex, 02/02/07

 

Querida Beta, não deixar a relação cair na rotina, é bom! Arrastar uma relação sem interesse, é mau. Acho que não me expliquei bem neste texto...


Mim @ 00:17

Qui, 01/02/07

 

Essa da falta de interesse não é uma fatalidade.

Conheço-me há muito tempo e por vezes ainda me espanto.

(procura sapo com imagem referente a narcicismo)


tsetse @ 00:23

Sex, 02/02/07

 

Eheh! Há esperança, afinal!


Zé @ 10:59

Qui, 01/02/07

 

sim...tudo começa por manifestar sempre a nossa indignaçao pela falta de imaginaçao dos moçoilos!

avante....sejamos criativas (e eles gostam)!

gomesh @ 12:51

Qui, 01/02/07

 

mmmm... de todas as opções parece que há apenas uma que resulta... a ultima! Não sei como seja quem for aguenta uma relação com qualquer outra acção ...
Todos precisamos de surpresas, atenções ... senão perdemos o interesse e a malta f ou m não importa) começa a querer "jantar fora"...


TNT @ 14:06

Qui, 01/02/07

 

Pois gomesh... É por essas e por outras que eu conheço tantos restaurantes....

gomesh @ 15:10

Qui, 01/02/07

 

Nada como ser bom apreciador(a) de "fine Cuisine"...


cigana @ 22:44

Qui, 01/02/07

 

Boas ou más (algumas horríveis, nomeadamente a 3 e a 4) tudo são só habilidades para contornar e disfarçar a solidão a dois!
Tu preferes a última?! Não acredito, acho que procurarás sempre novas emoções, sem cair na hipocrisia de disfarçar o cansaço de uma relação falhada. Certo?


tsetse @ 00:26

Sex, 02/02/07

 

Eheh, certo... A verdade é que eu nunca aguentei uma relação chata por muito tempo...


Swing @ 23:12

Qui, 01/02/07

 

Outra alternativa, trocar de parceiros temporariamente:

http://en.wikipedia.org/wiki/Swinging

Há quem goste e se ambos sabem é tudo menos traição.

Ou então arranjar fetiches bem estranhos para se irem "entretendo" um ao outro.
Bem, pode ser considerado como uma caso particular do 5º ponto.

PuLhA&Company @ 01:58

Sab, 03/02/07

 

Isto é tão estupido que até doi.


tsetse @ 14:30

Sab, 03/02/07

 

Ah, que bom que alguém percebeu q isto era o que não se devia fazer! Estava a ver que as expressões "adiar este destino", "na esperança que o outro não descubra que já não há assunto", " adiando o contacto com o parceiro, na esperança que o outro não descubra que já não há assunto", "não percebo muito bem. Só sei que há quem a pratique e, pior, que tenha sucesso" iriam ser consideradas positivas...


Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D