convidado @ 11:59

Qui, 23/11/06

Vamos supor a seguinte situação, que por acaso (e só por acaso) não é verdadeira: imaginemos que eu fui traída, terminei a relação, mas agora e dado o arrependimento sincero do meu companheiro, decidi voltar. Faço as malas, coloco a toilette mais sexy que encontrar, e lá vou eu.
Chego, dou uns amassos no moçoilo, vivo uma segunda lua de mel, até que estou assim sem nada para fazer e me ponho a pensar: Ora bem, agora que estou de novo nesta relação, com o mesmo tipo que não pensou duas vezes antes me trair, como vai ser? Conseguirei realmente confiar nele? Se o palerma me traiu uma vez, não será porque ele acha que essa é uma alternativa possível? Não estará na base dos seus princípios morais? Será que, da próxima vez que ele estiver a apanhar seca e com crises emocionais, não achará normal encontrar uma alternativa divertida?
Outra questão: será que poderei respeitá-lo para todo o sempre? É que não abona nada a seu favor, ter traído uma pessoa como eu!
Depois, já me estou a imaginar num momento difícil, a dizer coisas como:
"Ai não queres que eu vá jantar com o meu amigo? E então porquê? Achas que sou da tua laia e que te vou trair só porque sim?" ou... "Oh meu menino! É melhor ser viciada em compras do que andar por aí, a trair a confiança de quem gosta de mim". Coisas desagradáveis, com certeza, mas que nos saem nos momentos de maior irritação.

Por isso, a minha questão é: será possível construir uma relação saudável, com respeito e igualdade, depois do perdão? Parece-me difícil. Porque perdoar não é esquecer.

É por estas e por outras, que a maior parte das pessoas opta por mentir. Negar tudo até ao fim. E, sinceramente, não me parece nada má escolha.

Bee


Anónimo @ 10:42

Sab, 11/07/15

 

Descobri que o meu marido me traiu quando ainda éramos namorados. Entretanto já se passaram 9 anos desde esse dia. E eu descobri 9 anos depois. E porque li uma conversa entre os dois onde falavam do passado. Senti-me traída pelas duas coisas. Pelo que se passou no início do nosso namoro e pela conversa que tiveram agora. Confrontei-o e ele disse-me que nunca houve sentimento envolvido. Que quis contar-me tudo quando estávamos para casar mas que achou melhor não estragar a nossa relação que, com todos os altos e baixos era perfeita. E eu perdoei, só que não estou a conseguir sozinha. Há momentos em que acho que está tudo bem mas logo a seguir entro em crises de choro. E eu estou grávida de sete meses e não posso andar assim. Quero acreditar e confiar mas está a ser difícil. Na verdade, ele ficou bem com o meu perdão... Mas e eu? E o meu bebé?

Bee @ 15:58

Sex, 24/07/15

 

Ele não contou porque achou que, se a Anónima não soubesse, não ficaria magoada com o facto. Se fez bem ou mal? É difícil dizer. (O ideal era nunca a ter traído mas, infelizmente, não podemos voltar ao passado e apagar as parvoíces que fizemos). 


A verdade é que a Anónima teve 9 anos de um casamento quase perfeito, precisamente por ele não ter contado. Se ele tivesse contado na altura, provavelmente nem estariam casados e à espera de um bebé. Temos que colocar tudo em perspectiva e, uma vez que já passaram tantos anos, o meu conselho é: o melhor é focar-se no bebé e na família feliz que quer dar a esse bebé. 

Anónimo @ 23:04

Qui, 06/08/15

 

Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se passou há 9 anos. O que nao entendo é porque é que ele teve necessidade de recordar o passado agora. É isso que me dói...

Traída @ 17:47

Qua, 17/08/16

 

Boa Tarde,
Depois de muito pesquisar na net sobre a questão, eis que encontro este post...
Estou a passar por esta mesma situação.
Casada há 19 anos com 11 anos de namoro para trás, 2 filhos adolescentes e em Março o meu mundo desabou!! Fui traída, descobri!! Sim não foi porque ele me dissesse... acho que nunca o diria! Confrontei-o...negou...mostrei provas...assumiu...mas sempre na defensiva e acusando! Procurou fora porque em casa não estava satisfeito, não era suficiente para as necessidades dele!!
Não mostrou arrependimento nem na altura, nem quando mais tarde, voltei a descobrir que o caso se mantinha e a confrontar. Hotéis atrás de hotéis... era uma relação puramente sexual, disse, voltando a colocar a responsabilidade em mim. Não mostra qualquer arrependimento!
É uma colega de trabalho com quem mantém o contacto, quer continuar a amigo dela! Se acabou o caso não o sei neste momento.
Durante estes meses passei por todo um carrossel de emoções... raiva, desilusão, sentimento de culpa! Chorei, chorei muito... quero ser forte mas não consigo... emagreci, isolei-me!
Nunca mais tivemos intimidade. Conversámos sobre o assunto. O problema passa só por um campo - o sexual - como se um casamento se resumisse a isso... Diz que nunca quis acabar com o casamento. Diz que se assim for é porque eu quis não ele. Mais uma vez a responsabilidade em cima de mim! Continuamos a viver juntos. A situação financeira não me permite sair com os meus filhos ou mandá-lo embora!
Disse-lhe que assim nos manteríamos mas que não lhe prometia mais nada... Tenho que me resolver, ficar em paz comigo, para poder perdoar... esquecer nunca! A isto respondeu-me com a pergunta, de quanto tempo estava a falar... 6 meses/ 1 ano? Que não garantia que não o voltava a fazer se não "me resolvesse" rapidamente!!
Mas será que vou conseguir perdoar? Será que quero? Não sei... Não sei o que sinto, não sei o quero! Sei que não consigo confiar. Não hesitou em trair, nunca pediu desculpa ou se arrependeu. Quem me diz que não voltará a fazer o mesmo? 

Bee @ 10:25

Seg, 02/01/17

 

Quando as variáveis filhos e questões financeiras entram, fica tudo mais complicado.

marcela pound @ 02:20

Sex, 31/03/17

 

meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ainda assim ta dificil voltar a confiar
que faço???

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D