TNT @ 00:51

Sex, 30/06/06

Ora bem... Para além de borboletas, espanhóis e outros assuntos que ainda não tive oportunidade de abordar, confesso que detesto falsos moralistas. As pessoas que passam a vida a julgar os outros, e depois fazem-nas pela calada.

A questão primordial e que só vem piorar o estado das coisas, é que o princípio da sociedade ocidental cristã, está completamente assente numa gaja que deu uma queca fora do casamento, mas como não queria ser apedrejada como as outras, decidiu mandar a maior tanga de sempre. E não é que pegou? Aliás, perdura há mais de 2000 anos. Há que se lhe tirar o chapéu!

Voltando a 2006... Não são insuportáveis aquelas pessoas que têm sempre algo a censurar, a criticar, a julgar sobre outros? E ao que parece o reino dos sonsos vai ganhando adeptos diariamente! “Ah eu era incapaz de me meter com a namorada do Rui... namoradas dos meus amigos são homens pra mim...”. (ou vice-versa)

Das duas uma: ou este pessoal virou todo homossexual ou há algo de (muito) podre no reino da Dinamarca!

Porque é que as pessoas não assumem os seus desejos e vontades? E mesmo que não tenham de os publicar (como eu), pelo menos não critiquem os outros.
Porque no fundo, gostamos todos da mesma coisa. Uns gostam é mais que os outros!

TNT



TNT @ 16:45

Qua, 28/06/06

Porque é que as pessoas se separam?
Provavelmente porque ao fim de algum tempo, ficam a conhecer-se melhor!
E não gostam do que vêem...

As relações são quase todas óptimas nos primeiros seis meses. Passarinhos, borboletas e flores. (Já agora, detesto borboletas). As pessoas estão felizes por terem atingido os seus objectivos de conseguir estar com o sujeito X ou Y. E por enquanto, ainda andam bem-dispostas, fazem as vontades, têm paciência para esperar, acham piada às coisas mais estranhas e ridículas, etc.

Quanto mais tempo passa, mais ridículas vão parecendo as coisas, menos tempo de espera há disponível, menos vontade temos de lhes fazermos as vontades, e mais mal-dispostos vamos ficando.

Eu costumo dizer, que ao fim de uns tempos, não foi bem aquele produto que comprei. Julgava ter comprado uma camisola de cachemira e afinal, saiu-me um topezito de uma cadeia de lojas de roupa espanhola. (Já agora, detesto espanhóis). Como é? Estamos todos em liquidação total? Ou somos restos de colecção?

Porque é que não conseguimos manter a frescura do algodão acabinho de comprar? A leveza da seda ou o brilho do cetim? Porque nos fartamos! Fartamo-nos uns dos outros até à exaustão. Aborrecemo-nos de morte com os nossos pares.

A melhor solução é sermos sintéticos. Nas várias acepções da palavra.

TNT



TNT @ 22:25

Ter, 27/06/06

Fui apanhada por um leitor deste blog. Descobriu que eu era a TNT. Chamou-me má! Eeeeu??? “És mesmo má” foi a afirmação. (bem apessoado o rapazito, por sinal...)

Acham mesmo que sou assim mázinha para os homens? O meu intuito é tentar fazer com que percebam que as mulheres também podem ser mais simples do que parecem e que muitas vezes querem exactamente o mesmo que os homens. Fazemos as coisas de modo diferente, é certo, mas muitas vezes só queremos mesmo uns amassos sem consequências. Tal como os homens.

O que se passa é que talvez os nossos distintos leitores não estejam habituados a ouvir mulheres falarem assim acerca dos desejos, vontades, sexo, cama, e outros tipos de descrições e experiências aqui relatadas.

Se somos mais cáusticas ou corrosivas é porque há anos que tentamos fazer-nos ouvir de formas mais leves, suaves e subtis. Agora decidimos partir para a ignorância, aproximando-nos assim, um pouco mais da linguagem masculina.

Pode ser que seja desta que nos percebam...

TNT



TNT @ 22:07

Dom, 25/06/06

Ah... Se pensavam que me ia pôr a dissertar sobre as diferenças entre homens e mulheres, estão muito enganados!
A diferença de que vou falar é entre aquilo que as pessoas dizem e o que realmente fazem.
Ou melhor, quantas vezes fazem... porque sobre a qualidade do sexo já toda a gente mente. Ah pois é!
Normalmente quem mais fala, menos faz. Quem diz pouco, faz muito. Quem não fala mesmo, nem sabe o que isso é.
Agora, os fiéis leitores vão achar que neste blog se fala imenso de sexo, donde se conclui que... ooops!

Mas vamos então à diferença entre os sexos. As mulheres que falam, têm. Isto porque as mulheres conseguem prolongar o prazer com a conversa.
Por isso é sempre bom falar de sexo e recordá-lo, porque assim sentimos uma, duas, as vezes que falarmos sobre aquela noite que nos deu um andar novo. (e não estou a falar de imobiliário)

Definitivamente temos muita sorte por sermos mulheres. Eles, é só ali uns segundos a verem estrelas.
Nós mulheres, conseguimos ver a via láctea, viajar para outras galáxias e até mudar de dimensão.

Se a Nasa tivesse mais mulheres, já tínhamos uma base na Lua. Com homens, é só bandeiras...

TNT


Tags:


tsetse @ 00:27

Ter, 20/06/06

Há várias reacções masculinas que a maior parte das vezes são enganadoras.
Aqui ficam algumas:

Quando o homem está quase sempre calado, muitas vezes as mulheres pensam que ele é misterioso, introspectivo e profundo. Mas a realidade é quase sempre outra... a maior parte das vezes o silêncio representa apenas falta de assunto ou de interesses.

Quando o homem tem os olhos a brilhar, as mulheres têm a tendência de pensar que é de alegria pela vida ou de amor por elas. Nãaao... Má notícia: a maior parte das vezes quer dizer apenas que está bêbado ou com lentes de contacto.

Quando o homem se ri muito, pode parecer bem disposto e feliz com a vida. Mas, o mais provável, é estar outra vez bêbado ou estar simplesmente nervoso, sem saber o que dizer.

Quando o homem parece muito distraído, a pensar na vida, provavelmente não está... Está simplesmente em "stand by", a descansar o cérebro. (Parece que os homens não conseguem pensar tanto tempo como nós... se calhar ficam cansados)

Tsetse



TNT @ 00:43

Seg, 12/06/06

Eu não sei se já repararam, mas os homens, apesar de dizerem querer ser livres, na verdade gostam mesmo é de rédea curta.

Gostam é daquelas mulheres a quem têm de pedir autorização quase para respirarem. E reparo na sorte que algumas mulheres têm com os homens, sendo completamente controladoras. Eles andam ali certinhos, direitinhos como os animais de estimação. Sempre de trela, muito bem-comportados, não entram nas lojas nem cafés ficando resignadamente à porta. Quando elas saem, dão-lhes uns afagos e já está! A verdade é que eles não aliviam as bexigas fora do penico, nem pulam a cerca, nem outros aforismos que tais.

A versão seguinte já é mais moderada. Já têm alguma liberdade mas com algum controlo. Elas dão-lhes alguma margem de manobra mas sempre em busca dos respectivos dividendos. São os animais da quinta. Têm algum espaço, mas limitado pelas vedações ou por elementos exteriores que controlam as suas acções. Porém, como qualquer animal, assim que se vêem com um bocadinho de liberdade começam logo a inventar e a querer mais. E vá de pular a cerca de vez em quando e fazer disparates. Depois voltam para as donas com ar cabisbaixo, certos que erraram, prontos para receber o perdão, jurando não tornar a prevaricar.

E finalmente temos a última versão...
Não, não é a mais interessante, nem a mais gira, nem a mais compensadora. Garantia desta vossa autora.
Termos a pretensão de tratar os homens como seres humanos que necessitam de liberdade para as suas acções é um erro crasso! Por paradoxal que pareça, estes animais selvagens não sabem movimentar-se em liberdade. Ficam perdidos, sem rumo, sem objectivo, sem nada.

Verifico, com infelicidade, que as mulheres controladoras se saem muito melhor, nestas coisas das relações, do que as permissivas. E embora digam o contrário, eles gostam mesmo é de rédea curta. E quem sabe...? Algumas vergastadas de vez em quando!

TNT



convidado @ 00:04

Sex, 09/06/06

Todas as mulheres que tiverem a oportunidade de estar à vontade em ambientes masculinos, ouviram, com certeza, que um dos sonhos da maioria dos homens é estarem com duas ou mais mulheres ao mesmo tempo. E, de preferência, gémeas!

Sinceramente, este desejo intriga-me. E gostaria de perguntar: Se, a maior parte das vezes eles não conseguem dar vazão a uma, porquê mais? Será na esperança de que as meninas se entretenham uma à outra e que, por isso, eles
tenham descanso? Ou será que, por estarem tão habituados à pornografia, preferem ver a sentir? Ou será um simples "mais é melhor"?

Qualquer que seja a resposta, a mim parece-me um sentimento básico, de quem não sabe desfrutar do sexo com qualidade.

No fundo, acho que os homens não sentem as coisas com a mesma intensidade que nós, privilegiando antes outro sentido: a visão.

Bee



TNT @ 00:21

Qua, 07/06/06

Quem me conhece, sabe que tenho algumas dificuldades em lidar com o factor casamento. Se fosse só uma festa com lua-de-mel e depois tudo ficasse igual, ainda me podiam convencer....
Agora ter de partilhar espaços íntimos como a cama e a casa de banho, já me ultrapassa um bocado!
Aquela coisa de ir a correr para a casa de banho aflitinha e deparar com a bela da tampa levantada. Como se não bastasse ter de baixar a roupinha ainda tenho de baixar a tampa. Já é baixeza a mais! E o belo do pêlo no sabonete? Claro, há sempre a hipótese de usarmos doseador como se tivéssemos crianças em casa, mas... E a total incapacidade (julgo que genética) para lavar a banheira após o duche? Ele é pêlos, e sei lá mais o quê que os homens conseguem armazenar no corpo...

Saindo da casa de banho e entrando no quarto... Na cama, parecem uns fornos a lenha. No Inverno ainda dá jeito, mas no Verão? Tenham paciência! Cheguem-se pra lá! E a bela da unhaca dos pés que raramente vê tesoura, a roçar nos nossos tornozelos e a fazer arranhões como se fossem gatos vadios?

Saímos do quarto e vamos para a cozinha.... Temos uma lariquita, vamos ao frigorífico e apetece mesmo um copo de leite fresquinho. Sacamos o pacote que está estranhamente leve e obviamente vazio. Ainda tem uma gotinha, por isso não se deitou o pacote fora nem se avisou ninguém que o leite tinha acabado! Esta conversa serve igualmente para bolachas, aperitivos e qualquer tipo de produtos de embalagem opaca.

E finalmente, se vão ao supermercado sozinhos, voltam com uma série de inutilidades porque as meninas das promoções os convenceram a trazer aquela garrafa de licor de ovo que vai começar a apodrecer no nosso bar e acabar de apodrecer no bar do sogro...

Por isso meus amigos eu vou por aquele velho ditado popular: Casamento, apartamento. Mas considero que tem de haver é apartamento do casalinho. Ou seja, uma casinha para cada um...

TNT



TNT @ 00:00

Ter, 06/06/06

Após os milhares de pedidos de ajuda dos grandes homens que lêem este blog, decidimos começar a tratar das vossas almas. (que dos corpinhos, logo se vê).
Assim, estamos disponíveis para responder às vossas dúvidas, anseios e eternas questões acerca deste fantástico sexo... o feminino!
Perguntem o que quiserem a quem quiserem. Destinem as vossas missivas às várias autoras, porque já devem ter percebido que somos muito diferentes e temos opiniões muito diferentes.
Enviem para convidada@sapo.pt e vamos tentar responder a todos. No entanto não prometemos ter resposta para tudo, por isso não se estiquem!

TNT



TNT @ 10:19

Sex, 02/06/06

Fui ver o Missão Impossível 3 e foi quase uma missão impossível.
O filme é interminável com excesso de Tóni das Cruzes e com uma históriazinha de amor “a la Danielle Steel” perfeitamente insuportável...

Que o Tom Cruise seja exaustivamente explorado, até aceito, uma vez que ele entrou com o carcanhol. Ajoelhou tem de rezar! Agora a história de amor? Não me parece nada bem...

Se vamos para um filmaço de acção, a última coisa que nos apetece ver, é uma rapariguita que passa o filme a dar o mote para o herói poder brilhar. E já não existem aqueles motivos fúteis, tipo salvar o mundo três ou quatro vezes num dia? Tem de ser por amor a uma moçoila com idade para ser filha dele?

Quando quero ver romances, vejo o Orgulho e Preconceito. Não vou ver o Missão Impossível! Já estou é com receio que o novo James Bond, loiro e com ar de trolha eslavo se apaixone, decida casar e ter muito filhinhos double 0’s. Talvez seja a melhor forma de arranjar outro espião ao serviço de Sua Majestade rapidamente.

Os filmes de acção podem ter um bocadinho de romance. Não me parece é que seja saudável, o romance tomar conta da acção. Senão, qualquer dia, o que será dos heróis? Vão transformar-se em meninas sempre de Kleenex em riste, prontos a deitar a lagrimita? E os vilões? Para provocarem a ira dos heróis, terão de ser uns malandros que em vez de aspirarem a dominar o mundo, aspiram o tapete com a escova do soalho?

Volta Exterminador, estás perdoado...

TNT

Tags:

Pesquisar
 
comentários recentes
meu caso é meio parecido,mas so houve beijo,mas ai...
Quando as variáveis filhos e questões financeiras ...
Boa Tarde,Depois de muito pesquisar na net sobre a...
Viva, gostei do tema e tem razão, as Portuguesas s...
Sim, eu sei. Mas o que dói nao é tanto o que se pa...
Ele não contou porque achou que, se a Anónima não ...
Posts mais comentados
Arquivos
2012:

 J F M A M J J A S O N D


2011:

 J F M A M J J A S O N D


2010:

 J F M A M J J A S O N D


2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


subscrever feeds